//
você está lendo...
Agricultura

A terra da soja

A soja deverá representar quase metade da safra brasileira de grãos em 2015/2016, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento, a Conab: 102,8 milhões de toneladas de um total 212,9 milhões de toneladas previstas. Se confirmadas, será um aumento de 6,8% em volume, em comparação com a temporada passada, que totalizou 96,2 milhões de toneladas; quase 7 milhões de toneladas a mais.

O crescimento previsto da safra inteira é de 2,1%. Ou seja: o incremento da soja será três vezes maior, se expandindo sobre as demais culturas agrícolas, algumas delas em redução. A área destinada à soja deverá se expandir por uma área em torno de um milhão de hectares adicionais só nesta safra, ocupando 32 milhões dos 55 milhões de hectares (ou 550 mil quilômetros quadrados, quase metade do Pará, o segundo mais extenso Estado da federação) de área sob exploração agrícola no país (ou quase 60% do total).

É uma dominação incrível. O Brasil virou a terra da soja.
Se essa expansão fosse restrita a área de vegetação secundária, não seria uma ameaça. Mas avançando sobre a floresta amazônica, os números servem de alarma.

Discussão

2 comentários sobre “A terra da soja

  1. Lúcio,

    Um detalhe muito importante faltou no seu comentário, que foi a taxa de expansão da área plantada em comparação com a taxa de expansão da produção de grãos.
    Isso deve nos orgulhar muito pois mostra o quanto o pais avançou na produtividade de um grão que até poucos anos atras só poderia ser cultivado no extremo sul, como você mesmo pode se lembrar.
    Evoluímos muito e graça a Embrapa que pesquisou e transformou o pais de importador de alimentos em maior exportador de alimento do mundo.
    Se você olhar com mais calma vai verificar que o grão nunca avança sobre a floresta pois precisa de terras limpas, destocadas para movimentação das maquinas e o custo da supressão da floresta torna a atividade inviável.
    Temos aqui mesmo em nosso estado grandes áreas antropisadas que poderiam e deveriam ser aproveitadas para plantio de grãos pois isso gera riquezas. Plantar mandioca na enxada somente na teoria do PT funciona (ou eles dizem que funciona). Você conhece em nosso estado algum assentamento que progrediu, que melhorou consideravelmente a qualidade de vida de seus integrantes cultivando no cabo da enxada ?

    Eduardo Daher

    Curtir

    Publicado por Eduardo Daher | 14 de novembro de 2015, 21:48
    • Você tem razão em parte, Eduardo. O aumento da produtividade é uma das grandes conquistas da agricultura brasileira, que chegou até as unidades familiares de produção, muito mais produtivas do que as grandes propriedades pela multiplicidade de atividade e emprego de mão de obra familiar. Mas a soja se expandiu pela floresta, sim. Às vezes como primeira atividade, às vezes como seguida, atrás da pecuária e da agricultura de subsistência insustentável. Lembro-me, muitos anos atrás, de um excelente documentário sobre os brasiguaios. Um deles, que tinha propriedade imensa no Paraguai, olha para trás, num vasto campo de soja, e diz que a cultura já está antieconômica e que vai seguir para o norte, em direção a Amazônia. A câmera faz um zoom e pegue, lá longe, a floresta densa. Depois de seguir para o norte, a soja se desviou para oeste e agora sobre pelo Tapajós e o Madeira. O que se devia fazer é o que você diz: plantar em áreas degradadas, com a assistência técnica e o crédito adequado para isso.

      Curtir

      Publicado por Lúcio Flávio Pinto | 15 de novembro de 2015, 10:10

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: