//
você está lendo...
Ecologia, Energia, Hidrelétricas

A energia de todos nós

O artigo que escrevi hoje sobre a condição de província energética do Pará e da Amazônia em geral abordou um dos temas de maior importância numa região que possui a maior bacia hidrográfica do planeta e lida tão mal com a água. Quando comecei a pesquisar o assunto, com o qual lido há tantos anos, não tinha a quantificação global da rede de hidrelétricas que já fornecem energia para o país. Fui surpreendido pela totalização e pela precariedade dessas informações agrupadas nas instituições oficiais, além do desconhecimento das questões pela opinião pública.

Em princípio minha tendência era deixar o artigo para a segunda-feira, no pós-Círio. Mas meu instinto de jornalista não me permitiu guardar a informação por mais tempo quando concluí a primeira abordagem da pesquisa de três dias. Vou ter que voltar mais longamente ao assunto para aprofundá-lo, checar dados e sistematizá-lo melhor. Mas queria logo compartilhar meu espanto com o leitor do blog. Espero que mais pessoas no Pará e na Amazônia se interessem pelo tema e passem a pesquisá-lo também.

No curso da análise constatei uma lacuna que pode ser facilmente preenchida. Todas as empresas que possuem concessões de hidrelétricas em operação deviam ser obrigadas a atualizar diariamente em seu site informações sobre o nível da água no reservatório e a jusante dele, o volume do vertimento pelo vertedouro, quanto de água se acha estocada naquele momento e as medidas que houver sobre as cotas na bacia. Assim, qualquer cidadão poderia acompanhar a evolução na operação das barragens, familiarizando-se com um tema de grande relevância para o país.

Discussão

4 comentários sobre “A energia de todos nós

  1. Perfeito, Lúcio.

    Apenas a Norte Energia S.A, responsável pela Usina Hidrelétrica de Belo Monte, fornece Dados Hidrológicos contendo o Histórico de Níveis, Vazões e Volumes da UHE Belo Monte e o Sítio Pimental.

    Curtir

    Publicado por Thirson Rodrigues de Medina | 8 de outubro de 2016, 16:56
  2. Por exemplo, segundo informações do sistema da ANA, na UHE BELO MONTE SITIO PIMENTAL o tipo de monitoramento é Pluviométrico instalado no dia 02 jun, 2012, seu método de obtenção é por boletim e forma de transmissão é /convencional/telemétrica via satélite, a estação é apta a receber dados de chuva, com a última atualização realizada no dia 09 de abril de 2015.

    Curtir

    Publicado por Thirson Rodrigues de Medina | 10 de outubro de 2016, 21:26

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: