//
você está lendo...
Política

Revolução: com que roupa?

Nenhum dos candidatos à prefeitura de Belém apresentou um plano de governo, mesmo que em forma sucinta ou executiva. Limitaram-se a anunciar iniciativas através dos programas de rádio., televisão e internet. O prefeito Zenaldo Coutinho assegurando que, já tendo feito alguma coisa, fará ainda muito mais. O ex-prefeito (por oito anos) Edmilson Rodrigues prometendo que fará uma revolução em Belém.

Como? Com obras isoladas, um pinga-pinga ali e outro acolá? Dando continuidade ao que vem dando certo, ou ao menos com suas obras prosseguindo (aos tropeções e com orçamento estourado) há três ou quatro gestões, sem desviar Belém da paralela entre o que os candidatos anunciam (e repetem) a cada nova eleição e o perfil da cidade?

O companheiro de partido de Edmilson, que se tornou o maior nome do PSOL e, talvez, dependendo do resultado do do dia 30, a mais bem sucedida candidatura da esquerda, Marcelo Freixo, apresentou um programa de governo para o Rio de Janeiro, em contraste com as oito páginas do seu adversário (e, até pouco tempo atrás, favorito), Marcelo Crivella, do mais novo e dos mais poderosos partidos do país, a Igreja Universal do Reino de Deus.

Mesmo com essa credencial, Freixo disse à Folha de S. Paulo que está disputando uma eleição e não fazendo uma revolução. É justamente o inverso do que proclama Edmilson, sem qualquer fundamento para esse anúncio. Mas o que mesmo tem fundamento na retórica dos candidatos a prefeito da capital paraense?

Discussão

34 comentários sobre “Revolução: com que roupa?

  1. O Freixo tem uma cabeça melhor do que o Edmilson. Ela á disse, para desespero dos corporativistas que dominam o PSTU, que a máquina pública precisaria ser enxugada para se tornar mais eficiente. Em contraste, O Ed promete contratar mais gente sem dizer para que e de onde sairá o dinheiro.

    Tanto Ed como Zenaldo são políticos muito ruins sem propostas. Não passariam em nenhum exame básico de gestão, pública ou não. São políticos sem visão, verdadeiros charlatões da política. Do ponto de vista urbanístico, são igual a Marisa Lula da Silva, tal como confidenciou o marido para um empreteiro: gostam mesmo é de uma gambiarra.

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 24 de outubro de 2016, 19:38
    • José, vc gosta muito de malhar tudo e todos, menos o LFP. Só por curiosidade, me diga um ‘político’ contemporâneo que tu admiras? Porque parece que tu tem parâmetros e critérios de sobra mano!

      Curtir

      Publicado por Luciano | 24 de outubro de 2016, 21:26
      • Claro. Entre prefeitos o único bom que eu vi e gostei foi Jaime Lerner, pois revolucionou Curitiba. Os outros prefeitos deveriam aprender com ele. Entre senadores, o Jefferson Peres era o melhor, mas faleceu. Gosto do Cristovam Buarque e do Capiberibe. Os dois não foram bons gestores, mas são excelentes senadores. A Marina foi uma excelente senadora também e uma ministra que fez muito pela região. O Braga foi um excelente governador no Amazonas, com visão bem acima da média dos outros governadores amazônicos. Entre presidentes, o Santos da Colômbia é muito acima dos outros presidentes sul-americanos, recuperou a economia Colombiana e agora tenta resolver o problema da guerrilha.

        No Para não vejo ninguém que poderia ser considerado pelo menos como razoável. Pode ser que eu seja muito exigente, mas todos eleitores precisam ser. Para mim cada macaco no seu galho. Nem todo político pode ser um bom gestor. Edmilson, por exemplo, pode até se transformar em um excelente deputado, mas precisa estudar mais e fazer propostas inovadoras para a região. Como gestor, ele foi um fracasso justamente porque não consegue criar uma visão sistemica para a cidade. Zenaldo é ruim em todos os aspectos, não tem visão e nem curiosidade intelectual. Esse não tem nenhuma possibilidade de crescimento político. É um jabuti em cima de uma árvore.

        Curtir

        Publicado por José Silva | 24 de outubro de 2016, 22:02
    • Cabeças melhores no PSOL ….????….. Nessa vc forçou a barra José.

      “….O Ed promete contratar mais gente sem dizer para que e de onde sairá o dinheiro….”

      Engraçado…..numas propostas “virtuais” que apareceram por aqui para prefeitura de Belém, a prefeitura seria o maior conglomerado empresarial da região.

      Tinha empresa de Uber para serviços, tinha empresa de Cortar Arvores e catar manga com mão de obra infanto Juvenil, tinha empresa Imobiliaria, tinha empresa de barcos ao longo do canal São Joaquim, empresa de fabrica de sombrinhas, empresa de onibus….

      Ou será que já esqueceram ??

      Curtir

      Publicado por Sou daqui. | 25 de outubro de 2016, 10:16
      • Quem liga pra perfil fake?

        Curtir

        Publicado por Jonathan | 25 de outubro de 2016, 10:33
      • Sou Daqui..

        Não seja radical. Tem gente boa em todos os partidos. Precisamos de diversidade no cenário politico para manter os debates ativos. Tem gebe muito boa no PSOL. O Babá, por exemplo, sempre foi um político coerente com as idéias que ele defende e dedicado. Espero que um dia ele consiga se eleger deputado federal pelo Rio.

        Muitas das propostas apresentadas aqui não eram baseadas na idéia de que a prefeitura iria contratar mais gente, mas sim fomentar a criação de empresas públicas para determinadfos serviços. Eu sempre questionei de onde sairia o dinheiro, pois com um orçamento de R$ 3 bi por ano para atender as demandas sociais reprimidas de Belém é claramente insuficiente.

        É nesse caso que entra o talento do bom gestor. Fazer mais com menos. Selecionar os investimentos que gerarão o maior retorno social por cada centavo investido. Como os dois candidatos somente falaram de gastar mais dinheiro, nitidamente eles não sabem o que falam.

        Ouvi hoje que 75% dos municipios brasileiros estão no vermelho..Como está Belém?

        Curtir

        Publicado por Jose Silva | 25 de outubro de 2016, 14:18
  2. Só faltou dizer que o discurso de Zenaldo também proclama a sua gestão como revolucionária.

    Curtir

    Publicado por Jonathan. | 24 de outubro de 2016, 19:59
    • Ele não chega a tanto. Diz que agora vai trabalhar.

      Curtir

      Publicado por Lúcio Flávio Pinto | 24 de outubro de 2016, 20:11
      • “Estamos fazendo o BRT que é a maior obra de mobilidade urbana dessa cidade”.

        Ele pode não usar a palavra “revolucionário”, mas seus discursos apontam para isso. Basta prestar atenção na propaganda política dele também ao invés de só olhar para a do Edmilson.

        No mais, é o discurso da “revolução” que ganha eleição. Os dois não são ingênuos e têm mais experiência que Freixo em eleições desse tipo. Talvez por isso Freixo esteja bem atrás de Crivella.

        O discurso de Freixo é bem sensato, mas infelizmente o povo não liga para isso.

        Curtir

        Publicado por jonathan | 25 de outubro de 2016, 10:26
      • As maiores obras do Zenaldo vêm do Duciomar, que vêm de um passado remoro: o BRT e a drenagem da Estrada Nova.

        Curtir

        Publicado por Lúcio Flávio Pinto | 26 de outubro de 2016, 07:40
  3. Lúcio, estou curioso pra saber sua opinião sobre a viabilidade de uma gestão Marcelo Freixo no Rio. Você acha que o psolista conseguiria por em prática os projetos que defende, mesmo que tenha pouco apoio na câmara dos vereadores?

    Curtir

    Publicado por Caio | 25 de outubro de 2016, 00:03
    • Se vencer, ele terá terá autoridade moral para\cumprir o seu programa. Só por ele o eleitor mudou a posição de eleição antecipada de Crivella. Mas mesmo que não venha a ser um bom prefeito (como o Rio está precisando de um!), terá cumprido o importante papel de impedir a Universal de assumir a segunda maior cidade do país. Tomara que consiga.

      Curtir

      Publicado por Lúcio Flávio Pinto | 26 de outubro de 2016, 07:35
  4. Cabeças melhores no PSOL ….????….. Nessa vc forçou a barra José.

    “….O Ed promete contratar mais gente sem dizer para que e de onde sairá o dinheiro….”

    Engraçado…..numas propostas “virtuais” que apareceram por aqui para prefeitura de Belém, a prefeitura seria o maior conglomerado empresarial da região.

    Tinha empresa de Uber para serviços, tinha empresa de Cortar Arvores e catar manga com mão de obra infanto Juvenil, tinha empresa Imobiliaria, tinha empresa de barcos ao longo do canal São Joaquim, empresa de fabrica de sombrinhas, empresa de onibus….

    Ou será que já esqueceram ??

    Curtir

    Publicado por Sou daqui. | 25 de outubro de 2016, 10:27
  5. “……Edmilson, por exemplo, pode até se transformar em um excelente deputado, mas precisa estudar mais e fazer propostas inovadoras para a região….”

    Como bom amazônida, acredito em todas as nossas lendas. Mas tudo tem um limite.

    Curtir

    Publicado por Sou daqui. | 25 de outubro de 2016, 13:46
    • Tem que dar um voto de confiança. O cara é Doutor em Geografia pela UNICAMP, o que é um excelente curso segundo a CAPES. Deve ter aprendido algo, não?

      Curtir

      Publicado por Jose Silva | 25 de outubro de 2016, 14:19
      • José Silva, se aceita um conselho, pare de perder tempo com ele.Como já disseram aqui: ele não passa de um provocador que não quer debater. Seus “argumentos” são apenas deboches.

        Curtir

        Publicado por Jonathan | 25 de outubro de 2016, 15:13
      • “….Que vergonha esse legado petista: para ganhar uma eleição, endividou até quem ainda nem nasceu….”

        A Dilma fez douturado na Unicamp também – apenas não defendeu tese. Taí o que ela deixou.

        Curtir

        Publicado por Sou daqui. | 25 de outubro de 2016, 17:40
      • Foi uma aluna relapsa. Isso explica a situação do Brasil, rsrsrsrsrs. Ela disse que concluiu os créditos, mas nunca defendeu nenhuma tese. Portanto, não obteve título algum. Segundo consta foi aluna do João Manuel Cardoso de Mello.

        O Ed foi mais disciplinado…

        Curtir

        Publicado por Jose Silva | 25 de outubro de 2016, 18:03
      • Esse disciplinamento do Ed é o que mais me dá medo.
        Ele é sistemático, coitado de nós.

        Para encerrar, vou dar uma sugestão.
        Num domingo qualquer, quando aquele caminhãozinho de som do PSOL estiver estacionado na esquina da Pres. Vargas com a Carlos Gomes, experimentem ficar 30 minutos ouvindo o que eles falam.
        Depois me digam das suas conclusões.

        Nota: Onde escrevi PSOL, podem ler PSTU, PT ou qualquer um desses.

        Curtir

        Publicado por Sou daqui. | 25 de outubro de 2016, 18:23
      • Esse sou daqui é tão ridículo que diz que não é zenaldo, mas só ataca o Edmilson.Realmente, deve ser muito vergonhoso mesmo assumir voto em Zenaldo.

        Curtir

        Publicado por Fábio Reis | 25 de outubro de 2016, 20:53
  6. ” Amazônia, jardim de águas sedento ”

    O que lhes parece esse título ?

    A- Uma poesia do Thiago de Mello
    B- Uma pintura daquelas embocaduras de rio na Amazônia.
    C- Uma tese de doutorado
    D- Não parece com nada.
    E- Uma ideia do Edmilson.

    Curtir

    Publicado por Sou daqui. | 25 de outubro de 2016, 15:05
  7. E por falar de dívida, cada um dos 200 milhões de brasileiros precisa desembolsar R$ 15.000 para pagar o débito deixado pela Dilminha. Como vocês estão pensando pagar? Se pagarmos tudo de uma vez, teremos dinheiro para investir muito em educação, saúde, transporte, etc…Que tal fazer uma vaquinha?

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 25 de outubro de 2016, 18:12
  8. que tal essa vaquinha aqui?

    https://www.vakinha.com.br/vaquinha/vida-longa-ao-jornal-pessoal

    abs,

    Paloma

    Curtir

    Publicado por pal0 | 25 de outubro de 2016, 18:32
  9. Mudando de assunto, tem que acabar com esses servidores que nao trabalha e passam o dia todo na internet no horario de trabalho.

    Curtir

    Publicado por Hernani Filho | 25 de outubro de 2016, 19:54
    • Boa ideia. Vamos identificar os tais servidores e enviar os nomes para o MP. Quem se habilita?

      Curtir

      Publicado por José Silva | 25 de outubro de 2016, 20:07
    • Essa é a grande deixa…..

      Vamos identificar em Belém como um todo, quem tem alguma boquinha ou vinculação com as tetas estatais.

      Sejam ou não aposentados, sejam ou não concursados, sejam ou não “produtivos”, desfrutem ou não dos feriados inventados (tipo sexta-feira de julho).

      Ou seja, o peso que os não estatais carregam. Pois como sabemos, o estado não produz um parafuso.

      Mas tem gente insistindo em abrir mais “empresas pública”.

      Curtir

      Publicado por Sou daqui. | 25 de outubro de 2016, 21:30
      • Belém é capital. Por ser capital o peso estatal é grande. Belém vive de serviços, mas muitos desses serviços dependem do estado. Precisa romper essa dependência. Essa deveria ser a primeira agenda de um prefeito decente: como criar uma economia não-estatal para a cidade. Infelizmente nem Ed e nem Zenada fizeram qualquer proposta nessa direção. No final são todos iguais: só querem gastar o que não tem.

        Curtir

        Publicado por José Silva | 25 de outubro de 2016, 22:51
      • Não é disso que estou falando.

        Estou tratando da condição individual de cada um, quem se assume como um recebedor do estado ?? Seja eleitor do Zed ou Zenada.

        Ou seja, de alguma maneira vive a custa de quem produz de verdade.

        E não precisa ser Bolsa Família não?

        Curtir

        Publicado por Sou daqui. | 26 de outubro de 2016, 08:57
      • Pois é…A grande questão é definir quem produz de verdade? É dificil separar quem é quem, pois os nossos governos somente gastam o que arrecadam e muitos dos negócios das cidades (serviços) vivem do governo. Há, portanto, reciclagem de riqueza ao invés de geração de nova riqueza. Dessa forma, nenhuma cidade avança sem generosas fontas de recursos estatais vindas de outros lugares.

        Ouvi o Zenaldo falar de economia criativa e o Edmilson falar de apoio a economia informal, dois “buzzwords”, mas sem qualquer plano bem estruturado por trás. Fica muito dificil saber o que os caras querem fazer sem um programa formal de governo. Por isso, considero os dois desqualificados para a missão.

        Governo que se preza precisa expandir a economia da cidade, incentivando novas formas de negócios que vão pager impostos e gerar empregos. Com impostos e renda, há mais investimentos nas coisas básicas da cidade. Sem impostos, não se pode fazer nada. Esse é o jogo. Simples assim. Infelizmente a população não reconhece isso.

        Por fim, o único novo negócio que aparentemente está expandindo bastante na cidade é aquele de drogas ilícitas. Entretanto, esse mercado é informal, pois não gera impostos. Por outro lado, ele gera bastante trabalho e renda. Basta ver o aumento da bandidagem na cidade.

        Curtir

        Publicado por Jose Silva | 26 de outubro de 2016, 11:49

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: