//
você está lendo...
Economia, Grandes Projetos

O grande (e pequeno) crescimento

O PIB brasileiro deverá crescer 1,5% no próximo ano. A expansão do PIB da Amazônia poderá chegar a 3,9%. Será a região de melhor desempenho do país, graças ao incremento ainda maior da indústria. O setor deverá ficar 7,2% maior em 2017, desempenho três vezes acima da média nacional, impulsionado pela Zona Franca de Manaus e pela entrada em operação, em janeiro, da nova mina de minério de ferro da Vale em Carajás, no S11D, na qual foram investidos quase 15 bilhões de dólares (mais de 50 bilhões de reais, ou duas vezes o orçamento do Pará).

Em Manaus, a Zona Franca irá apenas recuperar (e, provavelmente, apenas em parte)  o que perdeu em virtude da recessão do país nos últimos anos, que pesou mais sobre a indústria. No Pará, porém, é atividade nova que surge, a partir da extração de minério do mais alto teor do mercado de ferro no mundo, com uma produção que quase se equipara à da primeira mina de Carajás, na Serra Norte. O S11D chegou a empregar 30 mil pessoas na sua fase de implantação.

Apesar dessa projeção positiva feita pela consultora Tendências, o potencial de consumo da região Norte, calculada por outra consultora, a IPC Marketing, é de apenas 233 bilhões de reais, que representa 6% do atual potencial brasileiro. Antes dos ventos favoráveis que os técnicos preveem que vai soprar sobre a Amazônia em 2017, a economia nortista já corresponde a 5,5% do potencial do país.

Por que tão pouca expressão para notícias apregoadas como magníficas pela grande imprensa local? Porque S11D exporta matéria prima, não paga ICMS porque exporta, é concentrador no ponto de origem da mercadoria, seu efeito multiplicador age além-mar e o Para, como a Amazônia, e (quase) o Brasil, é colonizado.

Tantas alvíssaras, portanto, para tão pouco.

Discussão

2 comentários sobre “O grande (e pequeno) crescimento

  1. Desenvolvimento constante somente vem com uma economia complexa, baseada na agregação do conhecimento as riquezas naturais da região. Como o nosso conhecimento acumulado é muito escasso e as nossas universidades não são lugares de empreendedorismo e inovação, mas de politicagem de baixo nível, só nos resta o papel de ser almoxarifado para o mundo. Triste sina.,.

    Curtir

    Publicado por José Silva | 12 de novembro de 2016, 10:38
  2. Chega a ser angustiante ver toda nossa riqueza escapando…

    Fazer o que se a Amazônia tem o DNA do Brasil descrito por Pedro Vaz de Caminha….

    “Eu sou o que sobrou da Amazônia a Colônia despedaçada
    Sou aquilo que resta da floresta desmatada
    O ouro e o troco, o tudo e o nada
    O cafuzo e o caboclo eu sou um pouco de cada
    Eu sou as mãos na enxada e os pés na lavoura
    A herança deixada pela exploração devastadora
    Terra abençoada pelo plantio
    Banhada de rios, matas no cio, negros nagôs em navios
    Eu sou caravelas em caravanas com caras maus
    Caras-pálidas com carabinas trazendo caos
    A senzala o quilombo e o palácio
    Cabral, Dom Pedro e José Bonifácio
    Sou o senhor de engenho e a não reforma agrária
    Aquilo que eu tenho na minha conta bancaria…”
    (Fabio Brazza)

    Curtir

    Publicado por Fabiano | 12 de novembro de 2016, 11:58

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: