//
você está lendo...
Polícia, Violência

O povo da periferia

Andreza Ariani Castro de Souza, de 22 anos, solteira, estudante bolsista (com ensino fundamental incompleto), foi presa em janeiro deste ano. Na casa em que ela vivia com Huanderson Ferreira Ramos, da mesma idade, a polícia encontrou 34 papelotes de maconha, quatro munições intactas, cinco celulares, joias, bolsas e carteiras. Um acervo a denunciar a condição do casal: assaltantes.

Andreza se tornou conhecida pouco antes, como senhorita Andreza, ao se apresentar num vídeo convidando amigos para uma festa na qual sugeria que haveria drogas à disposição. Ela foi detida por apologia ao tráfico e teve a prisão preventiva decretada. Na condenação, a pena foi substituída por medidas cautelares e fiança de 880 reais.

Senhorita Andreza saiu do Centro de Recuperação Feminino três semanas depois de ter sido detida tão popular nas redes sociais que se tornou candidata a vereadora pelo Partido Comunista do Brasil, o PC do B. Usou na campanha (sem qualquer doação ou receita na prestação de contas à justiça eleitoral) o nome de guerra. Com 789 votos, não se elegeu, mas se tornou suplente de vereador.

Ontem, dois meses depois de passada a aventura política, ela recebeu um golpe anunciado: em plena tarde, às proximidades da sua casa, numa passagem pobre do bairro da Cabanagem, na periferia de Belém, Huanderson foi assassinado,

Um homem encapuzado desceu de um carro e começou a disparar. Deu 10 tiros, atingindo seu alvo pelas costas, principalmente na cabeça. Huanderson já caiu morto na lama formada pela chuva sobre o chão de terra. Dois outros encapuzados desceram então do carro de cor prata (já identificado como um dos carros de milícias que agem na cidade), entraram numa casa e interromperam ali uma festa de aniversário. Pareciam procurar alguém, que podia ser a própria Andreza. Não a encontrando, foram embora.

Da família e da ação com Huanderson, ficou para Andreza o evidente recado de morte e um elo com a vida, quem, sabe, com outra forma de vida: a filha de dois anos.

Discussão

5 comentários sobre “O povo da periferia

  1. É o vasto e crescente mercado de drogas ilícitas deixando mais uma vítima. Triste destino para o nossa juventude! Poderia ser muito diferente se tivessemos políticos honestos e decentes.

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 24 de dezembro de 2016, 17:14
  2. Mais outra história triste, mas desta vez vinda do centro do sudeste maravilha:

    Em São Paulo, no final da noite de natal, Luis Carlos Ruas, 54 anos, conhecido como Índio, foi assasinado por dois primos, lutadores e frequentadores de academia, porque tentou defender dois travestis, um deles conhecido como Brasil. O Luis Carlos era um vendedor ambulante e um personagem muito querido de todos que passavam pela estação Dom Pedro II, localizada no centro antigo de São Paulo.

    Esta história conta bem o que é o nosso país: Índio morre defendendo Brasil, que estava sendo agredido por uma dupla de idiotas cujos propósitos de vida foram acumular músculos e distribuir ódio. Basta substituir “músculos” por “poder e dinheiro” e “ódio” por “desmatamento e desigualdade social” que teremos o que ocorre geralmente na Amazônia de hoje.

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 27 de dezembro de 2016, 11:02
  3. Lúcio, assassinaram ela agora à noite

    Curtir

    Publicado por Paloma Franca Amorim | 13 de abril de 2017, 21:29
    • É verdade, Paloma. Ela foi baleada por dois homens e morreu, no bairro da Cabanagem. A polícia está fazendo o levantamento do local. Ainda não se tem maiores informações. Andreza Ariani Castro, senhorita Andreza, tinha 21 anos. Foi candidata a vereadora de Belém, no ano passado, pelo PC do B. Tornou-se popular quando um vídeo em que chamava amigos para uma festa, na qua haveria o uso de drogas, foi divulgado pelas redes sociais, com milhares de acessos. ilícitas. Ela foi presa nove meses antes da eleição, acusada de tráfico de drogas e apologia ao crime.
      Carreira brevíssima encerrada dessa forma, violenta. Seguiu o marido, também assassinado.

      Curtir

      Publicado por Lúcio Flávio Pinto | 13 de abril de 2017, 22:25

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: