//
você está lendo...
Imprensa, Política, Sem categoria

A fraude da imprensa

Ao longo de 10 anos, entre 2006 e fevereiro do ano passado, o jornal O Rio Branco e a TV Rio Branco, instaladas na capital do Acre, de propriedade de Narciso Mendes de Assis, receberam 12 milhões de reais de publicidade oficial do governo do Estado (controlado pelo PT) e da prefeitura de Rio Branco, com R$ 9 milhões e R$ 3 milhões, respectivamente.

Só que os pagamentos eram efetuados a empresas laranjas de Assis, que nada tinham a ver com os dois veículos de comunicação. Tratava-se de uma loja, ao mesmo tempo livraria, papelaria e café. A manobra era feita pela agência oficial dos dois entes públicos, a Companhia de Selva.

Seu objetivo era burlar os credores das empresas jornalísticas, inclusive o governo federal, que contra elas conseguira obter na justiça execuções fiscais. Se o dinheiro fosse creditado na forma devida, os recursos seriam confiscados para o pagamento das dívidas do jornal e da emissora.

O Ministério Público Federal do Acre denunciou Assis e seus cúmplices à justiça e pediu a condenação de todos os envolvidos nos crimes de associação criminosa e fraude à execução, cujas penas combinadas podem chegar a dez anos de prisão e pagamento de multa.

Pode servir de exemplo para iniciativas semelhantes nos casos cabíveis em outros Estados. Talvez também no Pará?

Discussão

8 comentários sobre “A fraude da imprensa

  1. Mas quando, sumano?!?! Rombinho e Jardi não são dilsso, nem os últimos dez governadô(ra), e o mistério púbrico vive ali na moita, só investigano pra pegá os caboco…

    Curtir

    Publicado por Paul Nan Bond | 9 de janeiro de 2017, 20:07
  2. Esse Assis é da família daquele Assis que era parceiro do Ed? Se não, é muita coincidência.

    Curtir

    Publicado por José Silva | 9 de janeiro de 2017, 20:26
  3. O esforço de marketing das “ações” do governo acreano, rendem críticas dos opositores, justamente por direcionar rubricas do orçamento à manutenção da “maquiagem estatal”.

    Curtir

    Publicado por Thirson Rodrigues de Medina | 9 de janeiro de 2017, 20:40
  4. São jornais que vendem de tudo, e cada vez menos a si com jornalismo competente. E é possível viver sem nenhuma publicidade de produto, tão só pela competência da pena. Ou não?

    Curtir

    Publicado por Paul Nan Bond | 9 de janeiro de 2017, 22:57

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: