//
você está lendo...
Economia

Oito ricos = 3,6 bilhões de pobres

As riquezas somadas do planeta alcançam 255 trilhões de reais. Desde 2015, mais da metade deste valor está nas mãos do 1% mais rico da população mundial. As fortunas dos oito homens mais ricos do mundo equivalem a todas as riquezas das 3,6 bilhões de pessoas mais pobres do planeta, denuncia a organização civil britânica Oxfam.

Seu relatório, Uma economia para os 99 por cento, foi publicado hoje, véspera do Fórum Econômico Mundial, que começará amanhã em Davos, na Suíça, reunindo os países mais ricos do globo.

“No topo da distribuição, os dados para este ano indicam que, coletivamente, os oito indivíduos mais ricos do mundo detêm uma riqueza líquida de US$ 426 bilhões, valor equivalente à riqueza líquida da metade mais pobre da humanidade”, constata o estudo. Ele classifica essa desigualdade como “indecente”.

O relatório alerta que o abismo entre ricos e pobres está aumentando em velocidade acima da prevista. A Oxfam revisou informações do último relatório após análise de novos dados, principalmente sobre a Índia e China.

“Se esses novos dados tivessem sido disponibilizados no ano passado, teria mostrado que nove bilionários possuíam a mesma riqueza que a metade mais pobre do planeta, e não 62, como a Oxfam calculou na época”, observou a entidade.

Na lista da revista de negócios Forbes, são estes os oito homens mais ricos do mundo:

homens-mais-ricos-fortune

Discussão

11 comentários sobre “Oito ricos = 3,6 bilhões de pobres

  1. Lucio,

    Faltou a lista..

    Tudo indica que a globalização tirou muita gente da miséria absoluta – grande parte na China – mas também criou uma casta de superbilionarios que concentra grande parte da riqueza do planeta. Com o avanço dos governos populistas e conservadores em vários países, a tendência da desigualdade social mundial é piorar.

    Curtir

    Publicado por José Silva | 16 de janeiro de 2017, 14:01
  2. O cerne dos flagelos sociais atuais perpetua-se e se robustece pelo intricado sistema de segregação financeira disseminado em rede pelo planeta.

    Curtir

    Publicado por Thirson Rodrigues de Medina | 16 de janeiro de 2017, 14:07
  3. Lucio, quem quem são os mais ricos do Pará?

    Curtir

    Publicado por NELIO PALHETA | 16 de janeiro de 2017, 17:51
  4. Ah, dessa eu acho que muita gente ia querer ler tua opinião, Lúcio, que leitura fazes da lista?

    Curtir

    Publicado por Paul Nan Bond | 16 de janeiro de 2017, 17:55
  5. O Estado libera recursos direto ao público, porque os impostos (dinheiro público) tem que retornar a quem de direito, garantido pela Constituição Federal. É um mecanismo nefando que apenas alimenta a corrupção, quando uma parte do público também se aproveita do Estado para enriquecer. Isso em escala nacional. Como seria a dinâmica em escala mundial?

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 17 de janeiro de 2017, 09:06
    • Mesma coisa em todos os lugares. Na maioria dos paises os governos existem somente para beneficiar alguns poucos. Eles afrouxam um pouco quando a pressão popular é crescente, mas logo depois voltam tudo ao normal para continuar a bandalheira…

      Curtir

      Publicado por Jose Silva | 17 de janeiro de 2017, 19:11

Trackbacks/Pingbacks

  1. Pingback: ‘PEC desvinculou tudo’, diz Alckmin sobre recursos de estados para educação | Direto da Ciência - 17 de janeiro de 2017

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: