//
você está lendo...
Cidades, Política, Transporte

A passagem é mesmo barata?

Quase sempre a história termina assim: o prefeito aprova um valor menor ou igual à menor opção de reajuste que lhe oferece o Conselho Municipal de Transporte, entre o valor definido pelo Dieese, o representante técnico dos trabalhadores, e os donos de ônibus. Depois de sancionar o reajuste, o prefeito proclama: a tarifa do transporte público urbano na capital paraense ainda é o menor do Brasil, como fez ontem Zenaldo Coutinho.

Não é verdade. No ano passado, por exemplo, em seis cidades a tarifa era inferior aos 2,7o reais da passagem em Belém, de uma base em R$ 2,40: Porto Velho, São Luís do Maranhão, Natal, Recife, Teresina e Vitória. Com passagens entre R$ 2,45 e R$ 2,65.

Ainda que a declaração fosse verdadeira, porém, a tarifa menor não compensa o péssimo serviço prestado pelas empresas aos seus clientes: ônibus velhos, que entram em pane durante o percurso; falta de regularidade na frequência; péssima instalações nas paradas; queima constante de paradas pelos motoristas, e por aí em frente.

Mas não é só a má qualidade do serviço que anula a vantagem de um valor da passagem mais baixo. O usuário não tem bilhete único nem conexões. É uma viagem e só. Em itinerários defasados da geografia da cidade.

Por isso e por muito mais, simplesmente reajustar as tarifas é minimizar o papel do poder público no controle e regulamentação de um serviço vital para a população. É continuar a desagradar a população e ser alvo de suspeitas quando se trata de decidir sobre ônibus em Belém.

Discussão

10 comentários sobre “A passagem é mesmo barata?

  1. Não ter bilhete único em uma cidade da dimensão populacional de Belém é um problema considerável. Moro em Foz do Iguaçu, Paraná. Aqui a tarifa é R$ 3,40, todavia os ônibus são limpos ( ônibus em belém são muito sujo) e existe bilhete único. Também existe um aplicativo de celular (buzão Foz), onde se pode ver a localização do ônibus pretendido (evitando tempo desnecessários nos pontos de ônibus). Enfim, cada cidade e região sabe quais são suas prioridades.

    Curtir

    Publicado por Raphael Batista | 18 de janeiro de 2017, 12:54
  2. Usuário do transporte público sofre. Sofre muito. E a insegurança é total. Dentro do ônibus, ando sempre tenso. Muito tenso. O serviço é precário. Insatisfatório. Os ônibus são sujos. Além disso, iraram uma feira livre ambulante.

    Curtir

    Publicado por NELIO PALHETA | 18 de janeiro de 2017, 13:17
  3. Sai mais barato ter carro próprio. É um absurdo o preço da passagem de ônibus em Belém, vergonhoso. Só compensa com meia-passagem. Fica caríssimo a partir do momento em que você pega mais de um ônibus. O tempo desperdiçado na espera, ônibus velhos, qualidade sofrível.

    Curtir

    Publicado por Everaldo | 18 de janeiro de 2017, 15:12
  4. Zenaldo deveria pedir demissão porque não consegue resolver um dos problemas mais básicos da cidade. Que ele é cínico e incompetente, nós já sabíamos. O mais interessante é que entra e sai prefeito e a porcaria continua igual. Tenho certeza que qualquer pessoa com um pouquinho de sensibilidade social e empreendedorismo já teria resolvido o problema de transporte público da cidade.

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 18 de janeiro de 2017, 18:56
    • O que me deixa revoltado é que até mesmo cidades como Teresina, que possui mais ou menos o mesmo porte de Belém, possui linha de metrô e aqui nada. Nos contemamos com o tal BRT que não fica pronto nunca; gasta uma quantidade colossal de dinheiro; provoca transtornos atrás de transtornos; e, no fim, quando ficar pronto (se é que vai ficar), que ganho isso trará para a população? Praticamente nenhum. Continuaremos com os problemas de trânsito provocados pela cornubação com Ananindeua e Marituba.

      Curtir

      Publicado por Jonathan | 19 de janeiro de 2017, 13:51
      • corrigindo: contentamos.

        Curtir

        Publicado por Jonathan | 19 de janeiro de 2017, 13:52
      • E mais: como a pessoa que pegar esse BRT irá diminuir o tempo de viagem se estão fazendo uma parada em cada esquina da Almirante Barroso? Não tinha que ser expresso até São Brás?

        Curtir

        Publicado por Jonathan | 19 de janeiro de 2017, 13:55
      • Falta de visão dos nossos prefeitos. Como sempre falo, Belém é a única cidade grande brasileira que teve o azar de ter uma sequência de prefeitos muitos, mas muito ruins, incapazes sequer de desenvolver um plano ousado de desenvolvimento integrado para a cidade.

        Uma hipótese é que as empresas que operam o transporte urbano na cidade — as únicas beneficiárias do estado caótico que nos encontraos — são grandes doadores, de forma lícita ou ilícita, para os vários candidatos dos vários partidos. Alguém quer investigar?

        Curtir

        Publicado por Jose Silva | 19 de janeiro de 2017, 18:49
      • José,

        Não foram só prefeitos ruins, mas também governadores muito ruins. Um governador pode muito bem solicitar um metrô para a capital de seu estado. Nenhum deles (Almir, Jatene ou Ana Júlia) moveram uma palha em relação à mobilidade urbana de Belém. Desses, cabe destacar a Ana Júlia que dizia ter boa relação com o Lula. Mas os outros também têm culpa por serem ineptos, especialmente Jatene, o mais inepto governador que o Pará já teve.

        PS: O prolongamento da João Paulo continua parado. Vão encerrar os 8 anos de Jatene e não será concluída nem metade da obra.

        Curtir

        Publicado por Jonathan | 20 de janeiro de 2017, 10:15

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: