//
você está lendo...
Polícia, Política, Segurança pública, Violência

A segurança pública acabou

Mais de uma semana depois da maior chacina já praticada em Belém, com 39 vítimas, das quais 28 morreram e 12 ainda estão hospitalizadas, a Secretaria de Segurança Pública não identificou um único dos assassinos. Por consequência, ninguém foi preso. No entanto, os autores das execuções, impunes, passaram a matar as poucas testemunhas oculares dos fatos, apagando provas do que todos já sabem o que aconteceu: uma vingança de integrantes da Polícia Militar pela morte de um colega da corporação, o soldado Rafael Costa, baleado durante um tiroteio com uma quadrilha que perseguia.

A última execução foi em plena tarde de quinta-feira, 26, no bairro da Pedreira. Victor Miguel Damasceno dos Santos, de 22 anos, percebeu a aproximação de um carro suspeito. Ao perceber que era o mesmo que ele vira no dia da chacina, tentou fugir, entrando na sua casa. Dois homens encapuzados desceram do carro e invadiram a casa, já atirando. Feriram Victor e um primo dele, de 12 anos, que estudava na sala, e fugiram. Nenhum dos dois morreu. Victor ainda está hospitalizado.

Ele testemunhou quando, uma semana antes, desse mesmo carro, de cor prata (identificado na periferia como o que o grupo de extermínio utiliza), com a cobertura de uma motocicleta, dois homens encapuzados desceram (o motorista permaneceu no automóvel) e atiraram para matar um homem, ali mesmo, na Pedreira. Vitor tentou avisar o homem, mas ele não conseguiu escapar. Vitor correu atrás dos assassinos atirando uma pedra no carro. Pagou caro pela ousadia.

Os assassinos agem com desenvoltura, indiferentes à propalada ação concentrada determinada pelo governador Simão Jatene e o general Jeannot Jansen. Ele foi o alvo do deputado federal Éder Mauro. O delegado licenciado da polícia civil defendeu a Rotam (a Ronda Tática Metropolitana) da PM de qualquer suspeição sobre a sua participação na matança, feita pelo secretário de Segurança Pública.

Disse que o secretário fez um discurso “irresponsável” ao admitir que as execuções possam ter sido retaliação de integrantes da Rotam, e que sua gestão é caracterizada pela “covardia e despreparo”, já que a Rotam é respeitada “profundamente” pela população, a quem defende. Por ser enérgica, “nunca deixou bandido virar nome em Belém”.

Se a situação persistir como está, o governo do Pará não terá mais nem condições de pedir a colaboração da Força Nacional, como fez, ao que parece, ao menos até agora, inutilmente. Terá mesmo que aceitar a intervenção federal. Sua incapacidade de garantir a segurança pública está demonstrada.

Discussão

6 comentários sobre “A segurança pública acabou

  1. E no ano que vem, o povo continuará digitando 45 e confirmando, já que tem memória curta mesmo.

    Curtido por 1 pessoa

    Publicado por Jonathan | 28 de janeiro de 2017, 15:29
  2. Algo que sempre cresceu a olhos vistos foi a violência em Belém. E é impossível, diante da atual e mais pavorosa chacina, que não seja de caso pensado, por quem deveria evitá-la.

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 28 de janeiro de 2017, 16:38
  3. A situação está orquestrada. Com os veículos de comunicação portando a postura da isenção, à massa crítica da sociedade não contesta, e como segundo ato sublima devido à luta pela sobrevivência.

    Curtir

    Publicado por Thirson Rodrigues de Medina | 28 de janeiro de 2017, 17:55
  4. O governador está caminhando e cantando pra segurança pública. se houver policial militar envolvido não vá mover uma palha pra resolver a questão. Se não houver pm envolvido ele também não vai fazer nada porque solução de crimes não dá voto. Que cada um de nós fuja da guerra.

    Curtir

    Publicado por Alexandre | 29 de janeiro de 2017, 22:29
  5. Lucio,

    Então o Éder Mauro se manifestou? Ele explicou a razão de ter ficado calado por algum tempo?

    Curtir

    Publicado por José Silva | 29 de janeiro de 2017, 23:41

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: