//
você está lendo...
Cidades, Transporte

Corrupção no BRT

O BRT da avenida Almirante Barroso, em construção há mais de 10 anos, para tormento da população que entra e sai de Belém por esse que é a principal via da capital paraense, não está funcionando como foi concebido “por incompetência, corrupção, desvio de milhões e milhões de verbas públicas”. Por isso, se tornou o BRT “com maior tempo de construção no Brasil”.

Quem disse isso foi o senador Jader Barbalho, no artigo da edição dominical passada do seu jornal, o Diário do Pará. O senador do PMDB podia prestar um serviço de utilidade pública ao apresentar a comprovação factual da sua afirmativa. Deveria dizer a quanto chegou o desvio de verba pública, como ele foi praticado, quem praticou a fraude, em quanto a obra foi onerada e outras informações necessárias para dar credibilidade à sua denúncia. Do contrário, ela se perderá no vazio, como a esmagadora maioria das denúncias.

A propósito: hoje a nova etapa do BRT vai ter um grande teste. Como entrarão e sairão do Mangueirão os milhares de torcedores que irão ver o primeiro Remo e Paissandu deste ano, no qual um empate será ruim para os dois times?

No pique rotineiro do tráfego por essa área o inferno anda sobre rodas. Um informante que mora na Mário Covas me disse ter levado quase uma hora para percorrer os quatro quilômetros que separam a sua casa do shopping, seu destino. O canteiro central foi expandido pelo tapume de proteção às obras e as duas pistas de tráfego não podem dar vazão regular ao fluxo de veículos.

Há lentidão enervante e sucessivas paradas demoradas. É milagre que um explosão, como a do filme Um dia de cão, já não tenha provocado agressões, tiro e morte no engarrafamento diário e contínuo. Tanto na August Montenegro quanto nas vias alimentadoras. E com o Re x Pa, como o trânsito ficará, com o risco de ser agravado pela chuva, que ameaça retomar seu moto contínuo de ontem para hoje?

Não sei se o Ministério Público já se apresentou para apurar o ritmo das obras, verificar a disponibilidade de recursos e tomar alguma providência para resguardar os cidadãos de uma prefeitura que trabalha mal e porcamente, sobretudo nos projetos que mais problemas coletivos provocam. Espero que a presença do MP não acabe sendo necessária pela eclosão de um conflito maior no trajeto de um BRT que, na sua execução, já compromete, por sua lentidão sem paradeiro nem explicações, sua própria finalidade.

Discussão

19 comentários sobre “Corrupção no BRT

  1. Alguém vai se arriscar a ir ao RE x PA com o trânsito caótico e segurança limitada?

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 12 de fevereiro de 2017, 12:42
  2. Lúcio, é preciso ser justo quanto ao calendário relativo à etapa do projeto. Se for desde o governo do Duciomar, é isso mesmo, cerca de 10 anos. Mas o povo está focado, hoje, na Augusto Montenegro. Moro na Região da Augusto Montenegro e, salvo melhor juízo e informação, a obra parece estar no seu ritmo normal; o prazo para conclusão do trecho entre Entrocamento e Icoaraci, segundo as placas, é agosto deste ano. Não acredito que em 10 meses concluam a obra. A rigor, a construção está chegando ao cruzamento da Rodovia A. Montenegro com a Rodovia Mário Covas e há movimentação de máquinas em pontos diferentes até Icoaraci. Torço, sinceramente, para que essa obra não sofra atrasos consideráveis, pois é mesmo suplício, atualmente, para quem mora ou trabalha no percurso, andar pela rodovia; e se se chove, a situação fica infernal.
    É desejável que, no grande primeiro teste da Estação Mangueirão, os torcedores não para para o vandalismo.

    Curtir

    Publicado por NELIO PALHETA | 12 de fevereiro de 2017, 17:47
  3. Meu caro Lucio ,

    Imagino a notícia cujo tema é o senador Jader Barbalho cobrar probidade, com denúncia de corrupção, de desvio do dinheiro público . Realmente é o fim da picada . Se como senador ele tem o direito de fazer esse tipo de cobrança , que responda pelas muitas acusações e comprovações que todos sabemos de desvios de ética que ele cometeu no exercício de cargos públicos , com o meu , o seu , o nosso suado dinheiro . Você, melhor do que ninguém, sabe muito bem do que estou falando, embora dessa vez isso tenha passado despercebido nessa postagem .
    É o típico caso …de falar de corda em casa de enforcado…

    Curtir

    Publicado por Pedro Paulo | 12 de fevereiro de 2017, 18:28
  4. Só DAS puxa saco defende o indefensável.

    Curtir

    Publicado por Marcos Lopes | 12 de fevereiro de 2017, 19:08
  5. Infelizmente , obras atrasadas e quanto mais atrasadas é vantagem para políticos . Pois é aí que a fartura da propina e corrupção amadurecem. Minha humilde opinião : Essa obra não acaba neste mandato do Zenaldo.

    Curtir

    Publicado por Michelle González | 12 de fevereiro de 2017, 19:57
  6. A licitação inaugural das obras do BRT já continha graves irregulares. O MP foi acionado, o TJ foi acionado, mas ao final todos disseram amém e até hoje o Duciomar anda livre, leve e solto de mãos dadas com a atual gestão. O PSDB assumiu e disse logo: a obra está fora dos padrões, vou refazer tudo! Pois bem, até hoje não se teve uma resposta concreta sobre as medidas administrativas e judiciais tomadas por conta desta irregularidade no concreto. Mas segue o enterro, do nosso dinheiro e da paciência de todos os moradores diretamente atingidos. Mas a realidade é só uma, trata-se de obra eleitoreira desde o início. Duciomar inaugurou, Zenaldo inaugurou e em 2018 veremos a inauguração da reinauguração. Em 2020, aposto um cacho de pupunha, teremos a inauguração da re-reinauguração e o mesmo discurso: olha, se não votar no PSDB toda essa obra de mmilhões será paralisada e você eleitor vai continuar na mesma!!! Para terminar, fica a pergunta: O BRT vai resolver a precariedade do transporte público em Belém?

    Curtir

    Publicado por Alexandre | 12 de fevereiro de 2017, 20:34
  7. O BRT funciona desde julho entre Baenão e Mangueirão, das 8 da manhã até 5 da tarde. Nunca vi mais do que 10 passageiros dentro do ônibus. Entre os extremos só duas ou três paradas. Uma fase experimental já bem longa.

    Curtir

    Publicado por Pedro Pinto | 13 de fevereiro de 2017, 04:16
  8. E imaginar que a referência em questão da postagem é nada mais , nada menos do que o impoluto senador Jader Barbalho que, com moral de quem construiu sua vida pública sem “nunca ter contra si nenhuma acusação, ou mesmo confirmação de corrupção”, que escapa a cada processo pelas idas e vindas da justiça e de foros privilegiados, se arvora em apontar seu dedo mais do que sujo para denunciar possíveis irregularidades no BRT.
    Aí eu fico aqui me lembrando de um ditado do meu velho pai: o mundo realmente está de cabeça pra baixo.
    Fazer o quê???

    Curtir

    Publicado por Edir | 13 de fevereiro de 2017, 08:50
    • Apesar da origem mais do que suspeita do denunciante, a denúncia tem que ser considerada. O senador prestaria um serviço público se provasse a denúncia de corrupção no BRT. Aliás, a população, que sofre com essa obra de santa Engrácia, podia cobrar dos seus representantes na câmara municipal o deviodo esclarecimento sobre essa obra, a partir do seu custo.

      Curtir

      Publicado por Lúcio Flávio Pinto | 13 de fevereiro de 2017, 09:02
  9. Nada é mais e melhor planejado que a corrupção neste país. Aliás, cultura da corrupção é isto.

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 13 de fevereiro de 2017, 11:15
  10. Trabalhei em uma empreiteira que prestou serviço ao BRT e pude constatar que tal fato é verídico (como se todos já não soubessem), o superfaturamento foi grande.

    Curtir

    Publicado por Marcelo Santiago | 13 de fevereiro de 2017, 16:46
  11. Lúcio, a obra do BRT, trecho Entroncamento- Icoaraci, está bem feita e bastante adiantada, porém, como bom jornalista que és, sabes que para fazer uma obra desse porte em nossa cidade, não é coisa fácil. Nesse momento, por exemplo, a DONA CHUVA atrapalha muito, pois o serviço inclui a parte de saneamento, e se você faz uma escavação, automaticamente vai perder tempo para retirar a água. Como para chegar de Icoaraci ao centro da cidade, a principal via de acesso é a Augusto Montenegro, é óbvio que acontece engarrafamento. Acontece que os motoristas de ônibus e vans, ao parar para deixar passageiro, nunca parar corretamente, ou seja, no acostamento, dificultando a passagem dos carros. Também acho que a obra não termina em dez meses.

    Curtir

    Publicado por Valério | 13 de fevereiro de 2017, 17:20
    • Os problemas se tornariam menos infernais se houvesse um planejamento sério para minimizar ao máximo o sofrimento de motoristas e pedestres, o que não houve. E se, ao invés de pegar um projeto que nasceu torto, o sucessor do Duciomar não o tivesse mantido torto. Mesmo se sair, em não sabemos quanto tempo, por não sabemos que custo, não vai ser a solução adequada para um problema que, em Belém, é grave: as poucas alternativas viárias para entrar e sair da cidade.

      Curtir

      Publicado por Lúcio Flávio Pinto | 13 de fevereiro de 2017, 17:53
  12. A corrupção é tanta que, quando esse duto de sugar dinheiro público estiver concluído (ui!), será preciso descobrir outro.

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 13 de fevereiro de 2017, 18:24
  13. Uma coisa é certa se esta havendo corrupção por parte dos administradores e empreiteiros isso todo mundo sabe afinal de contas pra que serveria o tal ” ADITIVO DE VALORES E PRAZOS ” o nosso Senador ou seja quem esta levantando essa bandeira sabe muito bem o que significa isso, ou será que ele acha que o povo paraense ja esqueceu da macro-drenagem que começou no governo dele e terminou no governo do falecido Almir Gabriel.

    Curtir

    Publicado por henry rodrigues | 13 de fevereiro de 2017, 23:34
    • O termo aditivo pode ser normal se enquadrado nos limites legais e justificado. Só configura crime quando viola as normas, como no excesso de valor e de prazo. É preciso examinar cada termo de aditamento para verificar se está legal ou não. O que tenho feito permanentemente.
      Quando à macrodrenagem. O contrato com o BID foi assinado no final do segundo governo do Jader. Começou a ser executado no governo do Almir. As irregularidades conhecidas foram outras, de execução. Não há provas de corrupção. O que houve foi descumprimento de cláusulas contratais, desvio de finalidade dos equipamentos doados pelo Estado à prefeitura, erros na construção, etc.

      Curtir

      Publicado por Lúcio Flávio Pinto | 14 de fevereiro de 2017, 07:54
  14. Qualquer coisa que se fale sobre o BRT e as mazelas que ele vem provocando no dia a dia da população que precisa trafegar pela Augusto “Mete Medo” (o apelido se justifica!) não tem a mínima importância quando se compara com o volume absurdo de recursos que ele já consumiu até agora, causando uma sangria para os cofres já tão debilitados da Prefeitura de Belém. O mais absurdo de tudo isso é que ele já passou de um gestor incompetente para o outro e não se vê nenhuma perspectiva de finalização das obras que já se arrastam por uma década. E, como se não bastasse tanta incompetência, corrupção e descaso com a coisa pública, o nosso “grande” alcaide, Zenaldo “O Desaparecido”, resolve iniciar a obra de construção de um viaduto no cruzamento da Av. Independência com a Augusto “Mete Medo”. Parece até uma brincadeira de mau gosto com a, já sofrida, população de Belém, que torce para que isso seja mais uma das pirotecnias do marketing milionário da Prefeitura de Belém e do seu nefasto Prefeito. Que Deus nos proteja!!!

    Curtir

    Publicado por Marcus Santos | 14 de fevereiro de 2017, 13:01
  15. Calculadamente, calculada!

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 14 de fevereiro de 2017, 18:17

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: