//
você está lendo...
Sem categoria

Ainda o adeus

Escrevo esta nota para prestar contas ao leitor.

Decidi excluir do blog o artigo “Adeus, Agostinho”. Antes de fazer a eliminação, escrevi uma resposta ao comentário de uma filha do personagem do texto. Infelizmente, inábil em matéria de informática, acabei excluindo também o comentário dela, no qual manifestava a insatisfação da família, e o meu próprio. Não consegui mais recuperá-los. Mantive a supressão do post.

Nunca foi minha intenção causar contrariedades à família do meu colega de natação. Queria dar-lhe adeus na forma alegre e descontraída que o caracterizava entre nós. Eu o respeitava e admirava. E tinha por ele uma amizade sincera. Saber de sua morte, dias depois, me causou impacto. Mas achei que seria fiel ao seu espírito, ao menos o que conheci e dele desfrutei por alguns anos, se escrevesse como escrevi seu epitáfio.

Por ser um texto intimista, o escrevi na noite de ontem, fim de um domingo trabalhoso. Imaginava atrair as pessoas que tiveram o privilégio de conviver com o engenheiro, professor, empresário e chefe de família na sua condição de companheiro de academia. Nunca esteve nas minhas previsões desrespeito à memória de quem homenageava.

Em respeito à família, portanto, o post deixou de existir. Mas ficou meu adeus doído ao alegre, cordial, gentil e invejável amigo.

Discussão

10 comentários sobre “Ainda o adeus

  1. qual o nome completo do Agostinho?
    seria o Agostinho Linhares, que presidiu a CODEM
    a filha é Barros

    Curtir

    Publicado por paulo | 13 de fevereiro de 2017, 15:31
  2. o post anterior ainda está disponivel

    Curtir

    Publicado por paulo | 13 de fevereiro de 2017, 15:32
  3. Independente do respeito em memória do amigo (extremamente louvável) e neste momento ao luto familiar (eloquência de empatia).
    O que é extremamente raro em nossos dias, é lermos ou visualizarmos, agradecimentos sinceros aos amigos queridos, que deixam lembranças.

    Apenas neste blog, aquecemos o coração com expressões de gratidão e agradecimento, virtudes vitais ao gênero humano.

    Curtir

    Publicado por Thirson Rodrigues de Medina | 13 de fevereiro de 2017, 18:06
  4. Lúcio, infelizmente tua refinada sensibilidade para observar a alma das pessoas, que vai muito além do externo e que te leva a uma sincera preocupação com o outro, nem sempre é compreendida. Porém, é isso que te torna um jornalista diferenciado; a tua capacidade de ver o que nos é invisível. Espero que tua generosidade te mantenha escrevendo belos textos em homenagem aos teus amigos com toda a lealdade que guardas em ti.

    Curtir

    Publicado por Marilene Pantoja | 13 de fevereiro de 2017, 19:36
  5. Lúcio,

    Sem estresse.

    Você descreveu o lado que você conhecia do Agostinho e quis homenageá-lo do seu modo, descrevendo ele como ele era no ambiente que compartilhava com você.

    Por causa do seu post, eu gostaria de tê-lo conhecido, pois parecia ser um cara legal, bem humorado e de bem com a vida. Melhor homenagem informal que essa impossível. Muito melhor do que uma lista formal de títulos, realizações, etc. Se você ler alguns dos obituários do “The Economist”, você verá que eles seguem mais ou menos o estilo que você usou.

    Como você sabe, cada vez que você escreve muita gente vai gostar e muita gente não vai gostar. O que se pode fazer? A vida de jornalista é assim mesmo. O importante é continuar a escrever..

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 14 de fevereiro de 2017, 10:47
    • Muito obrigado, José. Minha intenção foi essa mesma: dialogar com a pessoa maravilhosa que conheci Pessoa que jamais vi de mau humor. Sempre disposta a rir e fazer rir, um dos mais preciosos bens nas relações humanas. Agostinho era o maior animador da academia. Como todos que tiveram o privilégio de conviver com ele, já o esperávamos chegar para propor uma piada. Ele imediatamente respondia com a dele, invariavelmente melhor do que a nossa. E assim o dia começava mais animado. Sentimos muito a sua falta, sem exagero nem demagogia. Simples e profundamente, como tentei dizer no meu adeus a ele.

      Curtir

      Publicado por Lúcio Flávio Pinto | 14 de fevereiro de 2017, 14:23

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: