//
você está lendo...
Cidades

Mangueiras, já!

Em menos de dois meses, oito mangueiras já caíram na área central de Belém. O principal causador dessas quedas, a chuva, com seu vento acompanhante, vai atingir agora o seu período crítico. Há três mil árvores centenárias concentradas em trechos de intenso tráfego de pessoas e pedestres. Cada uma pesa, em média, três toneladas, com um raio de abrangência expressivo, em função de suas copas densas. É uma ameaça grave.

No entanto, o tratamento à arborização da cidade não guarda a menor relação com a expressão da questão. Talvez o problema esteja se revelando mais sério por algumas circunstâncias específicas. É visível o esforço de última hora para prevenir novos acidentes. Pela regra das probabilidades, um novo desabamento dificilmente continuará a se restringir a danos materiais.

Talvez só quando houver morte, algum poder maior se alevante pata obrigar a prefeitura e seus auxiliares, principalmente a podadora-mor (e, geralmente, má), a Celpa, a um esforço excepcional e concentrado para agir na medida das exig^ncias para impedir danos materiais e humanos. Chega de tolerância e medidas remediadoras. Belém exige ação melhor da administração pública.

Discussão

4 comentários sobre “Mangueiras, já!

  1. Administração Pública? Isso não existe em Belem. O prefeito prefere hoje enfrentar os seus sonetos do que os problemas da cidade. Passou de Zenada a Zenero.

    Curtir

    Publicado por José Silva | 26 de fevereiro de 2017, 03:39
  2. Eles são incompetentes para resolver a situação, tanto em termos de gestão, como no âmbito técnico.
    Os problemas, além das ervas de passarinho e outras parasitas, remetem-se aos trabalhos dos serviços da Celpa, da Cosanpa e Telefônicas, sem desprezar as más ações dos moradores que violentam as plantas, impermeabilizam o solo e as anelam ou envenenam, para se livrarem das folhas e frutos que sujam as calçadas, esquecendo seus benefícios e beleza que transmitem a quem vê o visual de belos túneis verdes, refrescantes em um cidade que cada vez mais ferve de calores provocados pelo homem.
    Entretanto, temos que falar e gritar, pois as plantas não falam e não podem se defender.

    Curtir

    Publicado por JAB Viana | 26 de fevereiro de 2017, 19:20
  3. Não se trata de incompetência Jab. Trata-se de uma decisão deliberada de extermínio das mangueiras de Belém , pelo abandono e maus-tratos .Você sabe, tudo que não se cuida com regularidade e rotina no espaço público , tende ao perecimento , ao apodrecimento e à rejeição e esculhambação …E qual é a razão da falta de cuidados ? É o prestigio de quem não gosta de mangueiras . O poder .
    Nove entre 10 arquitetos e engenheiros-construtores não gostam de mangueiras e arvores frondrosas em geral que “atrapalham” seus projetos arquitetônicos e construtivos .
    Eles gostam de palmeiras imperiais .Existem até uma tese de um professor se não me engano da Fau-UFPA condenando as mangueiras como arvores improprias à arborização de Belém
    . Então, são é essa classe média e empresarial que tem poder de fazer a cabeça deste e de outros prefeitos . E assim é pq até hoje apesar do blablablabla , não temos um movimento ecológico organizado que atue politicamente em defesa da preservação das mangueiras , nem das centenárias nem de novos e eficientes plantios que com novas tecnologias não criam problema algum ao passeio público .O paraense reclama muito mas na hora da ação é zero . Daí o sucesso das redes sociais entre nós ..

    Curtir

    Publicado por Marly Silva | 26 de fevereiro de 2017, 21:52

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: