//
você está lendo...
Cidades

O lixo do lixo

A Revita foi contratada para operar o aterro sanitário de Marituba por 15 anos. Seu trabalho ainda não completou dois anos e hoje a secretaria de meio ambiente do Estado já admite fechar o lixão, criado justamente para acabar com o despejo a céu aberto, sem qualquer forma de tratamento, que funcionava no Aurá, em Ananindeua. Os moradores de Marituba queriam o fechamento imediato, mas isso é impraticável. A desativação será gradual, graduação essa ainda não definida.

Os moradores aceitaram encerrar o bloqueio do acesso ao aterro, hoje de manhã, em troca de uma série de reuniões, em alguma delas com a presença do governador, para acabar com a agressão do lixão. Ao contrário do que estava previsto, ele exala um odor tão forte quanto o do Aurá, com a grave diferença de estar mais próximo do núcleo urbano. Para os moradores, não há alternativa: será curta a trégua que deram, com a qual foi retomado o recolhimento do lixo acumulado em Belém ao longo de três dias, de 3,5 mil toneladas. orque querem se livrar do problema que atormenta suas vidas o mais rapidamente possível.

Se o contrato for rescindido, quem pagará o prejuízo? Se novo local for encontrado, quem garante ue ele não prosseguirá a novela de Aurá e Marituba?

Já está na hora de algum agente de controle externo, administrativo ou político, cobrar respostas e exigir medidas.

Discussão

6 comentários sobre “O lixo do lixo

  1. Que vergonha. Como a SEMA não viu isso antes de liberar o uso do novo aterro? Não faz sentido algum. Onde estava o MPE e a sociedade nas reuniões obrigatórias do EIA/RIMA? Que foi quem aprovou? Quais foram os técnicos que assinaram os laudos? Precisa ir a fundo descobrir quem fez a lambança que custará alguns milhões para a sociedade paraense.

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 4 de março de 2017, 19:06
  2. Parece que isso foi feito por amadores, sem planejamento, sem consulta pública… Um desastre anunciado. O distrato se ocorrer será nós que pagaremos a conta.

    Curtir

    Publicado por Walter Bastos de Souza Júnior | 5 de março de 2017, 13:39
    • Acho que amadorismo passa longe de ser definição pro esquema Revita-PSDB em vigor pelo menos desde 2014. O esquema é mais que profissional. Pena que que não envolve tratar do lixo, apenas ganhar dinheiro e eleição.

      Curtir

      Publicado por cidadão | 8 de março de 2017, 15:07
  3. A mesma REVITA que doou quase meio milhão de reais à campanha do PSDB (governo do estado) em 2014, não é fiscalizada por recolher o lixo de Belém, onde o prefeito é do PSDB? Não consigo entender a “surpresa” do belenense.
    Os dados são públicos. A ignorância não pode ser uma opção.
    http://meucongressonacional.com/eleicoes2014/candidato/2014140000000828

    Curtir

    Publicado por Marlyson | 6 de março de 2017, 04:08
  4. Lembrete: toda instituição tem seus departamentos de planejamentos e projetos que, na cultura da corrupção…deixa pra lá!

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 7 de março de 2017, 09:59

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: