//
você está lendo...
Justiça, Política

O menino birrento

O engenheiro Marcelo Bahia Odebrecht assumiu o comando da Odebrecht, a maior empreiteira do continente, em 2008, quando tinha 40 anos. Parecia o dono do Brasil até ser preso pela Operação Lava-Jato, sete anos depois. Foi para a cadeia com o nariz empinado e uma voz arrogante. Jamais faria delação premiada. Certamente seria solto logo.

Em junho completará dois anos de prisão, se o Supremo Tribunal Federal não mandar soltá-lo antes, como parece que agora fará por atacado em favor das vítimas da justiça, a patir do abre-alas Gilmar Mendes.

Um ano antes da prisão, Marcelo ainda se permitia chantagear a própria presidente da república. Ele teria usado o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, do PT (também alvo da Lava-Jato), como menino de recado de documentos destinados a Dilma Rousseff que demonstravam o uso de caixa 2 na campanha de reeleição da petista.

Também advertiu-a, por várias vezes, que precisava impedir a celebração de um acordo internacional entre os ministérios públicos do Brasil e da Suíça. Trocando informações, os procuradores dos dois países chegariam às contas secretas para as quais era drenado dinheiro ilícito. Parte dele, em milhões de dólares, para pagar os serviços do marqueteiro João Santana.

Santana sabia do que estava falando. Ele realizou as campanhas presidenciais do PT em 2006, que reelegeu Lula, e 2010 e 2014, que deu a vitória a Dilma. E dele saíram essas e muitas outras informações que ele prestou em depoimento dado no dia 24 ao juiz eleitoral da Bahia, na ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer, por crime eleitoral. Parte do que declarou foi revelado hoje por O Estado de S. Paulo.

A ex-presidente reagiu através de nota distribuída pela sua assessoria. Além de, mais uma vez, reclamar dos “vazamentos seletivos”, ela afirmou que “sempre determinou expressamente a seus coordenadores de campanha que a legislação eleitoral fosse rigorosamente cumprida e respeitada”.

Um dos dois, portanto, está mentindo. Quem? Uma acareação poderá dar a resposta. No confronto direto, sem hierarquias. O marqueteiro,q ue já foi preso, não tem nenhuma. A ex-presidente perdeu a que tinha. Assim, é provável que se saiba a verdade sobre o homem que mandava em todos, inclusive na mais alta autoridade da república, mesmo sendo desdenhado por ela. Dilma o chamava de “aquele menino”. Mas não o contrariava. Até ser preso e mantido na cadeia, Marcelo Odebrecht era um menino birrento. Hoje, o que é?

Discussão

4 comentários sobre “O menino birrento

  1. Marcelo é a visão do inferno para o PT. Tudo o que ele falou faz sentido, pois foi depois apoiado por outros depoimentos tal como o do marqueteiro. Seria difícil imaginar que eles estivessem combinando depoimentos. Nesta hora, cada um está por si. Se fosse em outro país, tal como a Coréia do Sul, tanto Lula como Dilma já estariam fazendo companhia ao Marcelo. No Brasil, onde lei é potoca, ambos estão serelepes por aí tramando contra as investigações.

    Curtir

    Publicado por José Silva | 3 de maio de 2017, 08:21
  2. Sociologia da reeleição é isso. São as coincidências entre o desejo de Palocci em fazer delações premiadas e o STF mandar soltar Zé Dirceu.

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 3 de maio de 2017, 10:13
  3. Penso que Lula já está preso, mesmo que em liberdade. Já se sabe quase tudo o que fez. Falta apenas oficializar

    Curtir

    Publicado por Edyr Augusto | 3 de maio de 2017, 14:10
  4. Tomara. Seria mais que salutar ouvi-lo em delação premiada. Há interesse?

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 3 de maio de 2017, 18:14

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: