//
você está lendo...
Justiça, Polícia

Gueiros processado

A juíza Adriana Grigolin Leite, que responde pela 1ª vara de violência doméstica e familiar contra a mulher, aceitou a denúncia feita pelo promotor Edson Augusto Cardoso de Souza. Assim, será iniciada a ação contra o advogado Hélio Gueiros Neto, pelo crime de feminicídio. Ele é acusado de matar a esposa, Renata Cardim, em 2015.

Seu pai, o também Hélio Gueiros Júnior, postou nas redes sociais o texto que reproduzo a seguir, defendendo a inocência do filho.

Em uma longa, detalhada e justificada decisão a nobre Juíza Adriana Grigolin Leite, Juíza substituta da 1ª Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, aceitou a denúncia feita pelo nobre promotor doutor Edson Augusto Cardoso de Souza, fundamentado no laudo do médico legista do caso Habib’s e contrária às conclusões de dois laudos dos médicos legistas do Instituto Médico Legal Renato Chaves.

Infelizmente não posso mais publicar o teor da decisão da nobre Juíza, em virtude dela ter decretado que o processo tramitará em segredo de justiça para a preservação da intimidade do acusado e da família da vítima, sem que nenhum dos promotores que passaram pelo processo tenha pedido, muito menos a defesa do meu filho. É interessante essa nova posição da nobre Juíza.

Acredito que, no regime democrático em que vivemos, eu ainda possa comentar sobre o assunto, ou será que também colocaram uma mordaça sobre a minha boca? A liberdade de expressão, no que tange a mim, existe? Ou estou condenado ao mutismo? Eu creio que não, por isso vou continuar – sem desobedecer à ordem da nobre Juíza – a informar vocês.

Durante os últimos dois anos, meu filho teve sua vida devassada, com autorização judicial, por escutas telefônicas, quebra de sigilo telefônico e bancário, tudo feito sem lhe dar qualquer conhecimento ou possibilidade de defesa.

Não encontraram nada. Não houve qualquer providência da nobre Juíza para garantir os seus direitos individuais subtraídos pelo delegado. Depois vieram as reportagens fabricadas comandadas pela televisão Liberal. Ali, na telinha, as surucucus apresentadoras berravam e destilavam veneno puro contra o meu filho, ouviram os familiares da Renata e os empregados ligados à família, encenaram a situação do quarto do casal na noite do fatídico aneurisma, mas não ouviram nenhum médico legista do IML, nem o primeiro, nem os dois da exumação. Expuseram e condenaram publicamente meu filho. Nenhuma providência foi tomada pela nobre Juíza.

Bastou, entretanto, eu publicar os dois laudos dos médicos legistas do IML e provar que a denúncia apresentada pelo nobre promotor Edson Souza era fundamentada na mentira de que os laudos oficiais eram inconclusivos, para ser decretado o segredo de justiça no processo.

Quer dizer, não posso mais publicar os documentos que inocentam meu filho, mas a imprensa, em nome da liberdade de expressão, poderá continuar a difamá-lo e caluniá-lo. Seria risível, não fosse essa triste coincidência a mais dura realidade.

Vocês querem saber quais serão os próximos passos. Quando chegar perto da fase da pronúncia, o meu filho sofrerá uma nova série de reportagens fabricadas comandadas pelo O Liberal, para que, em nome do clamor popular, ele seja preso. Foi assim quando o delegado o indiciou, foi assim quando o promotor o denunciou e será assim quando a juíza o pronunciar. É tudo muito claro, só não vê quem não quer. Eles jamais mudaram o modus operandi, por isso é muito fácil prever o que vão fazer

Discussão

5 comentários sobre “Gueiros processado

  1. Lucio,

    Há alguma razão escondida da Liberal estar interessada no assunto?

    Curtir

    Publicado por José Silva | 10 de maio de 2017, 09:25
  2. A família da moça tem provas de que ela sofria violência doméstica. Se sim o acusado já é um abusador, independente de ter cometido o crime de assassinato ou não e isso já legitima a manifestação da sociedade civil contra seu histórico de agressões.
    Acho terrível a manipulação midiática e muito pior a influência que exerce sobre a justiça, mas eu gostaria sim de ouvir mais versões sobre a família da vítima. Afinal, é nesses termos que opera o Estado de Direito, correto?

    Curtir

    Publicado por Paloma Franca Amorim | 10 de maio de 2017, 12:51

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: