//
você está lendo...
Economia, Polícia, Terras

Estranha batalha

Entre 25 e 30 pistoleiros receberam a bala, na manhã de ontem, uma expedição de 26 homens das polícias civil e militar que iriam prender quatro acusados de homicídios e realizar atos de busca e apreensão autorizados pela justiça estadual. Os pistoleiros dispunham de pelo menos 11 armas de grosso calibre, sendo um fuzil 763 e uma pistola Glock.

Atiraram muito, mas sequer conseguiram ferir um único integrante da tropa, constituída por dois delegados e 24 PMs. Os policiais mataram 10 dos supostos pistoleiros, sendo nove homens e uma mulher. Entre os mortos estavam quatro dos homens que deviam ser presos em cumprimento do mandado judicial.

A Secretaria de Segurança Pública tratou de esclarecer que a ação não visava a reintegração de posse da fazenda Santa Lúcia, em Pau d’Arco, no sul do Pará, ao contrário das duas ordens judiciais anteriores. Era para agir contra possíveis assassinos, que haviam matado um segurança da fazenda, seguidamente invadida por posseiros.

A ressalva devia proteger a operação da eventual acusação de fazer o jogo do fazendeiro. Mas tornou inconvincente a versão oficial sobre um morticínio tão grande: como é que pistoleiros, usando a vantagem da surpresa e de uma base preparada para o ataque, não atingiram qualquer dos policiais, mesmo que por simples ferimento?

Outros órgãos oficiais estão tentando reconstituir os fatos para explicar tanta violência. Este episódio se insere numa escalada de conflitos que atesta a volta do interesse sobre a propriedade de terras na Amazônia. Numa época de incerteza econômica e política, uma fazenda não é só uma unidade produtiva: é também reserva de valor. Protege contra os riscos de perdas.

O problema fundiário deverá voltar a se agravar.

Discussão

3 comentários sobre “Estranha batalha

  1. E o governador…?

    Curtir

    Publicado por Marlyson | 25 de maio de 2017, 12:43
  2. Muito triste. Batalha de cartas marcadas?

    A situação fundiária está explodindo na região. Os setores de sempre, que estavam calados, voltaram com intensidade total. Estão aproveitando o caos social para se apoderar das florestas e das terras da região, com o apoio parlamentar de todos os partidos (do PSDB ao PT, ver abaixo). Tudo indica que a violência no estado aumentará.

    http://www.oeco.org.br/reportagens/parlamentares-podem-ate-extinguir-a-floresta-nacional-de-jamanxim/

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 25 de maio de 2017, 17:40
  3. “— Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho — respondeu Aécio.”. Matança é praxe do PSDB?

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 25 de maio de 2017, 18:24

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: