//
você está lendo...
Polícia, Política, Segurança pública, Violência

Vá pescar, governador

A decisão tomada ontem pelo já ex-presidente do Paissandu é personalíssima e inquestionável. Ele a adotou imediatamente depois de ser abordado por um homem semi-encapuzado, que se apresentou como torcedor do clube e o ameaçou de morte – e à sua família – em pleno ambiente público, diante de numerosas testemunhas.

O agressor prometeu matar o dirigente e atingir sua família caso o Paissandu seja rebaixado para a série C do campeonato brasileiro de futebol, onde faria companhia ao rival, se o Remo conseguir se manter onde já está. Sérgio Serra caminhava ao lado da esposa e de um filho autista, de 14 anos quando sofreu o ataque.

Não há dúvida da condição do homem, que estava acompanhado por um motoqueiro: ele é realmente torcedor do clube. Conhece tão bem o ex-presidente que se referiu ao filho dele como maluco. Sabe da condição mental do jovem e o tratou com a mesma selvageria diante da família.

Não se trata de caso isolado no medíocre futebol paraense, nem mesmo na cidade. É uma face nova de uma violência que já não guarda limites para seu alcance nem para o grau cada vez maior de desprezo pela condição humana.

A decisão de Serra tem que ser respeitada. Mas uma resposta teria que ser dada imediatamente pelas autoridades da segurança pública para estancar essa hemorragia de barbárie, que transformou a vida humana em Belém e no Pará num lance de loteria biruta. Não há mais tática ou ardil para se proteger da exposição soa azares da morte.

Os dois homens podem ser identificados rapidamente, se houver um empenho reforçado na investigação, como precisa haver. Não é só para dizer a todos que esse tipo de atitude vai ser combatido com o máximo – mas com o máximo mesmo – de rigor que a tolerância da lei permitir.

Rigor e energia contra criminosos, ainda mais os que integram quadrilhas numerosas, fanáticas e bárbaras, como as que pululam nos estádios de futebol da capital paraense.

Mas como esperar essa providência se a chacina do bairro da Condor completou um mês, ontem mesmo. Foram mortas cinco pessoas e pelo menos 14 ficaram feridas. Os assassinos integravam um grupo de oito homens em dois carros. Agiram como grupo coeso, bem treinado, com armas potentes. Pareciam policiais. Devem ter sido.

Foi a quarta execução em massa em Belém. Sem que os bandidos estejam atrás das grades. Quem está nessa situação é a população.

O governador Simão Jatene é o maior responsável por esses crimes. Simplesmente porque seu imobilismo é incompatível com o agravamento dessas matanças impunes. Sabemos que só mudar pessoas não resolve.

Mas manter quem já revelou toda sua incompetência na abordagem do problema, como os atuais responsáveis pela segurança pública no Pará, é conivência com o abuso. É também comportamento criminoso.

O governo Jatene perdeu toda legitimidade e credibilidade em matéria de segurança pública. Porque nada faz, a não ser responder com evasivas e palavras vazias.

Não há mais paciência: ou faz alguma coisa concreta e efetiva ou pede para sair.

Vá pescar, governador, se já não quer mais governar.

Discussão

45 comentários sobre “Vá pescar, governador

  1. Atém pra pescar ele dá prejuízo por incompetência, pois consegue fisgar seu olho com o anzol. Imagine como é na gestão da cousa pública.

    Curtir

    Publicado por JAB Viana | 7 de julho de 2017, 13:17
  2. Lamentavel.

    Uma aplicada delegada da policia civil, falou em uma reunião pra debater segurança, no qual participei na igreja da Sé, que a policia hoje é outra, bastante eficiente e acolhedora.
    Falei que não veja a polícia com essa presteza.
    Alguem vê?
    Será que essa é a mesma visão da delegada, que tem o governador e demais autoridades de segurança do estado?
    É uma questão entre sonho e realidade ou jogaram a toalha?

    Curtir

    Publicado por Alonso Lins | 7 de julho de 2017, 13:28
  3. Lucio, ele já está só pescando há muito tempo…há muito tempo mesmo..

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 7 de julho de 2017, 13:55
  4. Viramos notícia Internacional agora:
    http://www.bbc.com/news/world-latin-america-40527733

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 7 de julho de 2017, 16:35
  5. Pior que a queda é o coice.
    Depois de sofremos violência e procuramos a polícia atrás de alento, saimos ainda mais violentados pelo pouco caso, mal atendimento, sentimento de impotência e o pior de tudo, das investidas na tentativa de tirar mais um dinheirinho das vítimas.
    Mas o que acho o pior mesmo, é nossa incapacidade de esboçar qualquer reação organizada e eficiente que perdure o tempo necessário para imprimir a mínima melhora.
    Estamos entregues ao descaso do governo e de nós mesmos.
    Que o acaso nos proteja individualmente, porque coletivamente somos uma lástima.

    Curtir

    Publicado por Alonso Lins | 7 de julho de 2017, 17:09
  6. Arena Romana, sob as bênçãos da social-democracia ao tucupi. Ou não?

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 7 de julho de 2017, 17:42
  7. Ao governo peixe e o povo fica com a vara da incompetência nas mãos da criminalidade.

    Curtir

    Publicado por SERGIO GUSTAVO FIGUEIRA FIALHO | 7 de julho de 2017, 18:07
  8. Infelizmente Luiz…

    Curtir

    Publicado por Alonso Lins | 7 de julho de 2017, 18:14
  9. Qualquer pessoa com o mínimo de responsabilidade sobre o tema, sabe que problema da violência, não pode ser abordado com visão simplista, de comentarista esportivo (basta uma substituição que o problema tá resolvido). Vamos deixar de ser mambembe, de fazer análise de mesa de bar.
    Amigos existe sim na briosa polícia militar pessoas dedicadas, que combatem a violência 24 horas,
    Agora vamos começar analisando as responsabilidades das esferas de poder:
    1- Responsabilidade do Governo Federal: será que vocês sabem que existe o Fundo Penitenciário Nacional, criado 1994, administrado pelo Ministério da Justiça, cujo valor arrecadado vinha sendo contingenciado desde 2006 é que em set de 2015, o STF mandou o governo liberar o saldo de 3 bilhões, para atender as demandas dos Governadores. Agora vejam, se estes valores tivesses sidos liberados ao longo destes mais de 20 anos quantas ações os Estados poderiam ter desenvolvidos para combater a violência? Vocês já pensaram?
    2-Responsabilidade do Governo Federal: A força nacional ao invés de ser uma polícia criado e mantida pelo governo federal, ele simplesmente convoca militares da polícia dos Estados, pode?
    3-Responsabilidade do Governo Federal: Vocês conseguem imaginar quantas toneladas de drogas entram pelas fronteiras: Bolívia, Paraguai, Perú, Colômbia – são milhares de toneladas – agora a pergunta quem deveria fiscalizar nossas fronteiras?
    4-Responsabilidade do Governo Federal: Alteração na legislação, vejam a quantos anos a questão da maioridade penal transita pelo CCJ da câmara e nunca é votada. Nada passa. A ideologia do gramscismo e Michel Foucault não deixou.
    Agora vamos falar do Governo do Estado:
    1-Vocês sabiam que se você considera o período de 1994 até 2013, o período que detém as maiores taxa de assassinato por 100 mil hab foi de 2007 a 2010, sendo que em 2010, chegamos no pior índice 47,5 um recorde. Vocês lembram que era a Governadora do Pará e vejam o Brasil tava crescendo nesta época com índices chineses(apesar de que depois…….)
    2-A Lei dos Praças, que prevê salário escalonado, respeitando a hierarquia, e que não foi cumprida entre 2007 e 2010, o que provocou perdas salariais a todos, foi em 2011 respeitada.
    3-O Governo do Pará homologou hoje dia 07.07.2017, resultado do concurso para adaptação de oficiais 34 vagas
    4-O Governo do Pará, tem previsão de homologação para jul/agos/2017 do resultado final do concurso da PM. Sendo 2.000 vagas para praça; Oficiais 160 vagas.
    5-Governo do Pará está também aumentado o efetivo da segurança com os concursos do Corpo de Bombeiros, que já foi concluído, e o da Polícia Civil, que está em fase final. Com esse aumento de efetivo o impacto de cerca de 10 milhões de reais na folha de pagamento.
    6-Governo do Pará – Com nove mil metros quadrados, considerado o maior projeto em execução no sistema penitenciário do Estado, o Complexo Penitenciário de Vitória do Xingu, distante oito quilômetros da cidade de Altamira, no sudoeste do Pará, chega à fase de conclusão. Com três unidades prisionais, o novo complexo vai gerar 612 novas vagas no sistema carcerário paraense.
    7-Governo do Pará – Está construindo a maior unidade prisional do Estado -A cadeia, que está sendo construída dentro do Complexo Penitenciário de Santa Izabel terá 5.753,10 m² de área física e está prevista para ser entregue em dezembro deste ano/2017. A capacidade do novo complexo prisional é para 603 internos, com idades entre 18 e 29 anos. A proposta de se construir uma unidade penitenciária exclusiva para atender essa faixa etária baseia-se na preocupação de não misturar presos que já possuem mais de uma passagem pela sistema prisional.
    Agora em julho/2017, a PM, junto com DETRAN e SEMOB então promovendo várias blitz, com isso houve uma diminuição da violência neste primeiro fim de semana das férias.
    Agora vejam o Governo do Pará está contratando mais 2.000 PM, 160 Oficiais, enquanto outros Estados estão QUEBRADOS. No Rio está havendo diminuição do quantitativo, sem falar nos salários atrasados.
    Eu sei que vocês vão dizer cara você ainda defende o Governo, tens DAS. Não, não tenho. Nem conheço o Governador. Por favor, não me ofendam, vamos debater.
    Mas eu faço meu o slogan da folha “quem não tem informação, não tem direito a opinião”
    Para você omitir uma opinião é necessário que você tenha informação, porque como nós sabemos, existe um princípio filosófico/lógico que diz: Só existe duas maneiras de você errar: Primeiro: Você raciocina verdadeiro sobre dados falsos ou segundo: Você raciocina falso sobre dados verdadeiros.

    Curtir

    Publicado por Valdenor Brito | 7 de julho de 2017, 18:51
    • Você não quer ser ofendido. Está certo. Mas começa me ofendendo. O último artigo não foi o primeiro que escrevi sobre segurança pública. Há dezenas neste blog, sem falar do Jornal Pessoal. Este último é apenas a gota d’água.
      O governo está fazendo tudo isso que você arrolou. Vamos esperar pelos resultados. Pois até aqui é pífio. Promete o futuro e aponta para a antecessora, que eu considerei a pior dentre todos os governadores. Um governo que chega a um mês da matança profissional feita na Condor sem apontar uma única pista dos assassinos, que podem estar dentro da corporação policial, merece crédito?
      Um governador que não se pronuncia depois de sucessivas tragédias em plena capital, marcadas pela violência e a impunidade. Não para tuitar ou fazer vídeos frios, sem se expor à controvérsia. mas falando publicamente com a população medrosa, assustada, violentada e indignada pelo excesso de violência diária, entre duas blitzes eventuais.
      Só mudança de nomes, é claro, não resolve o problema. Mas o imobilismo diante da mais do que provada incompetência (e até inapetência) do secretário de segurança pública é difícil de entender, muito menos de aceitar. O governador some nessas horas. E se omite. E perde a voz de comando.
      No meu caso, perdeu definitivamente a crença, embora eu ainda me esforce para descobrir tudo que ele está fazendo para nos garantir um bom futuro, se não formos mortos qualquer dia desses na rua por qualquer banalidade.

      Curtir

      Publicado por Lúcio Flávio Pinto | 7 de julho de 2017, 19:05
    • Valdenor,

      Durante a maior parte desse período que você cita (1994-2013), o PSDB que você tanto adora e defende foi quem esteve à frente do poder.

      Outro ponto a se observar: não adianta apenas citar o número de homicídios, mas sim a forma como eles são cometidos. Temos inúmeros casos de homicídios motivados por questões pessoais como os de homens que matam ex-esposas ou ex-namoradas. O que está sendo debatido é a forma como acontecem os homicidios.

      Antes de Jatene, nunca tinha visto ocorrerem tantas chacinas assim no Pará. E o que é pior: ninguém sabe os motivos. Muitos cidadãos comuns foram mortos simplesmente porque cruzaram o caminhos dos assassinos. Me diga se antes de Jatene isso acontecia com tanta frequência. Eu, pelo menos,não lembro.

      Pior: o governador nem sequer se pronuncia ao menos para prestar solidariedade às vítimas. Você cita várias ações que, me desculpe, até agora têm se mostrado inúteis. Todo dia o tal carro-prata mata um e não se obtém respostas.

      Por fim, reconheça os erros do seu partido. Pare de defendê-lo cegamente. Você parece ser uma pessoa inteligente demais para se prestar a isso.

      Curtir

      Publicado por Jonathan | 7 de julho de 2017, 20:56
  10. Acho que as desculpas listadas e as medidas tomadas já se mostraram ineficientes para enfretar o grave problema.
    Servem apenas para dar algum alento e dizer que algo está sendo feito.
    É preciso fazer muito mais.
    É preciso ter objetividade e bom senso para reconhecer que as medidas tomadas quase nada vão mudar e ver quais setores da sociedade devem ser escutados e envolvisdos em busca de dias menis violentos.
    Agressões baratas não vao levar a nada.
    Socorro!

    Curtir

    Publicado por Alonso Lins | 7 de julho de 2017, 19:48
  11. Os governos geralmente respondem às críticas listando uma penca de realizações. Isso é tradicional no Brasil. Nas eleições é a mesma coisa, ao invés de mostrar os indicadores sociais e dizer que durante o mandato estes indicadores melhorarão x porcento, todos os candidatos e partidos preferem listar os puxadinhos que vão fazer para ter os seus nomes nas placas.

    No caso da violência em Belém e no Pará, o Jatene tem sido muito incompetente. Todos os indicadores pioraram durante o seu governo. Isso é fato. Não adianta culpar o governo federal ou o Francisco. O resultado nas ruas mostra uma população insegura e com medo, coisa que nunca aconteceu desde que o Chupa-Chupa atacou Belem.

    Governo eficiente é o que resolve o problema com os recursos que tem em mãos. Se não tem todos os recursos, faz parcerias para mobilizar os recursos latentes na sociedade. Entretanto, este governo não faz isso. Prefere trabalhar de forma tecnocrática para resolver um problema cuja experiência internacional demonstra que só pode ser resolvido com ampla mobilização social. O que o governo está escondendo? Há gente defendendo interesses de traficantes de drogas dentro do governo? Há gente ligada ao governo que usa a influência para cercear a ação contra o bandidtismo? Estas e outras perguntas podem ser feitas para explicar a falta de um plano de segurança efetivo que proteja a população contra a violência. Não dá mais. Lucio está certo quanto manda o governador pescar e passar o governo para quem quer fazer um bom trabalho.

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 7 de julho de 2017, 20:57
    • Mas quem? Os favoritos são: algum candidato de Jatene X Hélder Barbalho.

      Curtir

      Publicado por Jonathan | 7 de julho de 2017, 21:12
      • Terceira via. Se não tem..cria-se. Melhor momento para enviar as oligarquias é está. Se não for desta vez, então é melhor mudar de país.

        Curtir

        Publicado por Jose Silva | 8 de julho de 2017, 01:19
      • Como vai se criar a terceira via se ainda aparece gente aqui para defender o indefensável ?

        Curtir

        Publicado por Jonathan | 8 de julho de 2017, 11:24
      • Como vai se criar a terceira via se ainda aparece gente aqui para defender o indefensável ?

        Curtir

        Publicado por Jonathan | 8 de julho de 2017, 11:24
      • É preciso tentar. Para quem não sabe, via significa caminho. Qualquer mecanismo ou atitude que vise romper com a falsa dicotomia que o Pará se encontra significa uma terceira via.

        Jonathan, agora eu concordo com você. As chances de mudança são muito remotas em nosso Pará, dada a falta de gente qualificada, honesta e comprometida. Para onde você olhar, somente encontrará gente com rabo preso. Quem sabe a próxima geração, se a gente tratá-la com um pouco de carinho.

        Curtir

        Publicado por Jose Silva | 8 de julho de 2017, 15:41
  12. Pelo visto, os tucanos paraenses não entendem que o fato de o Jatene ser menos pior que o Hélder não significa que ele seja algo bom.

    Curtir

    Publicado por Jonathan | 7 de julho de 2017, 21:47
  13. Nós todos sabemos que, o motivo dessa criminalidade em nosso país, é proveniente das drogas, pois quem não paga o que deve ao traficante é executado, não importando o valor da dívida. O governo federal é o principal responsável por essa barbárie, pois nossas fronteiras não tem a fiscalização necessária, para evitar a entrada de drogas e armas de grosso calibre, e que são usadas pelos traficantes, enquanto as policias estaduais usam revólver 38, e,as vezes o fuzil automático leve. Quando a polícia no estrito cumprimento do dever legal, ou seja, revida os ataques dos bandidos, e, mata, o pessoal dos Direitos Humanos, vem logo protestar. Sinceramente, toda vez que um bandido é morto, acho que não deveria abrir um inquérito para saber como se deu, e sim, enterrá-lo imediatamente.

    Curtir

    Publicado por Valerio Alves. | 7 de julho de 2017, 22:46
    • Valério,

      Só a tráfico de droga se há consumo. Quem está consumindo? Quem está se beneficiando? Quem sustenta politicamente toda esta indústria? Não é só uma questão das fronteiras. A questão é mais complexa.

      Curtir

      Publicado por Jose Silva | 8 de julho de 2017, 01:18
  14. Caro Alonso,

    É mais que deprimente observar a ciência a serviço do crime. Afinal, outra coisa não é o que a social-democracia, ao tucupi, tem demonstrado (ou praticado?).

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 8 de julho de 2017, 09:19
  15. Caro Jonathan,

    Um lembrete: Eldorado do Carajás e Pau D’Arco. Do Pará para o mundo.

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 8 de julho de 2017, 09:27
  16. Caro Luiz Mario.

    Penso que nosso erro conceitual, é achar que vamos conseguir uma via, que há de fazer aquilo que precisamos.

    Não sei se conseguiremos tal via, a direita, a esquerda ou centro.

    Poderiamos ter dias melhores, se enxergassemos a necessidade de buscarmos mecanismos organizados, para criar um ambiente que atraia outro tipo de gente, para ocupar os cargos eletivos da republica.

    Esses mecanismos, teriam ainda que estar preparados para pressionar governos, que hoje estão totalmente a vontade, para fazer (ou não fazer) o que bem entendem.

    Sem isso, continuaremos fracos, vulneráveis e chorando pelo leite derramado.
    E haja leite.

    Quem se dispõe a tal tarefa?
    Temos visão ou condição emocional para leva-la a diante?

    Curtir

    Publicado por Alonso Lins | 8 de julho de 2017, 14:05
  17. Não acredito nas tuas palavras de indignação meu ex-mestre Lúcio. Tu só agora que descobriu a incompetência do governador.Foram tantos anos sem nenhuma obra, salários defasados, funcionalismo maltratado. Ele que é um governador encrencado na justiça. De um partido que apoiou abertamente o golpe. E agora descobriu-se os verdadeiros corruptos. Ei, quem sabe vc também não vá pescar junto com ele.

    Curtir

    Publicado por Junior. | 8 de julho de 2017, 14:42
    • Bom, se este é o discípulo que se me apresenta, então aceito a destituição da condição de mestre. Pois uma pessoa com o mínimo de respeito a mim teria ido buscar meus textos mais antigos neste blog e no JP. São muitos contra o Jatene. Inclusive o que acabo de reproduzir na série A História na Chapa Quente. Quando você se dispuser novamente a ler, combateremos – como os 300 heroicos de Esparta, à sombra de uma nuvem de flechas inimigas no ar.

      Curtir

      Publicado por Lúcio Flávio Pinto | 8 de julho de 2017, 15:28
  18. Caro Alonso,

    Temos a felicidade de estarmos num país, ainda que sob a ditadura da corrupção, num momento histórico em que as ciências, sobretudo as humanas, estão consolidadas sem a necessidade de passarmos pelos conflitos que outros povos enfrentaram, quando da definição das ciências. Isto posto, não seria demais observar que a ciência, agora, infelizmente, parecem estar a serviço do crime, pois, como é possível que, em pena vigência científico/tecnológica, as instituições públicas com seus departamentos de planejamentos e projetos e toda estrutura de Estado pareça impotente diante do ambiente de barbárie que nos assola? A POLÍTICA, como ciência humana tem o condão de servir à sociedade e não apenas àqueles que se apoderam das estruturas do Estado para garantir a manutenção do status quo.

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 8 de julho de 2017, 18:52
    • Nem todas ciências estão avançadas, caro Luiz, nem todas. Algumas estão ainda amarradas a paradigmas estabelecidos séculos atras. Não há ciência a servico da corrupção. Pode haver tecnologias que facilitam a corrupção, mas não ciências.

      Curtir

      Publicado por Jose Silva | 8 de julho de 2017, 20:03
  19. A que tal a Sociologia da Reeleição?

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 8 de julho de 2017, 21:26
  20. Em tese, seria como relembrar Galileu Galilei….Infelizmente!

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 9 de julho de 2017, 07:11
  21. Viva as redes sociais, que inauguraram outro jornalismo. Ainda que haja ranger de dentes…..

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 9 de julho de 2017, 08:43
  22. Caro Luiz

    Se temos a felicidade de já termos a ciência ao nosso lado, temos a contradição de nem sempre, ciência e resultado prático – principalmente as ciências humanas – andarem obrigatoriamente juntos.

    Pode ocorrer a situação de se acumular conhecimento, sem que obrigatoriamente esse conhecimento possa apresentar resultado prático.

    Como leigo em ciências humanas – por isso não descarto a possibilidade de ser uma visão errada – me parece que esse seja o caso do Brasil faz tempo: A ciência não interfere no social porque não existe vontade política e a política não valoriza a ciência, por que esta atrapalharia a forma de fazer política como é feito..

    Ora, se existisse vontade política, não precisaríamos da ciência.

    Então como quebrar tal ciclo vicioso?

    Parece complicado e não sei se existe algum exemplo na história recente de país com história parecida a nossa.

    A mim parece faltar-nos coletivamente, visão, vontade, lucidez e objetividade.

    Nessa falta, resta-nos as lamúrias, as histórias repetidas, a caça às bruxas, as birras e a espera pelo surgimento de um improvável messias, honesto (e competente) para nos salvar.

    Gostaria de escutar os humanistas.

    Curtir

    Publicado por Alonso Lins | 9 de julho de 2017, 11:27
  23. Caro Alonso,

    E que tal pensar, ao contrário, a ciência agindo na sociedade, construído a arena romana que nos degrada? Ou seria melhor acreditar que tudo é engendrado pelo céu e pelo inferno, havendo a possibilidade de remissão no círio de nazaré?

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 9 de julho de 2017, 11:59
  24. Valdenor, o Jatene te ama!

    Curtir

    Publicado por Armando Saulo | 10 de julho de 2017, 08:35
  25. Amor de Procusto.

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 10 de julho de 2017, 18:19
  26. Se arrependimento matasse…
    Pior é que matou de ressentimentos, decepção e profunda tristeza o criador de poste, que pensava que ele era competente e leal. Não era mesmo, só uma escama ocultando sua real personalidade.

    Curtir

    Publicado por JAB Viana | 11 de julho de 2017, 13:35
  27. Surpresa?! O Financiador Habitual da Corrupção, sabia muitíssimo bem o que fazia quando implantou a social democracia, pela compra de votos para a reeleição.

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário. | 11 de julho de 2017, 17:51

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: