//
você está lendo...
Estradas, Justiça, Militares

Coronel do exército condenado

O tenente-coronel Carlos Alberto Baccini Barbosa, ,chefe da seção técnica do 8º Batalhão de Engenharia de Construção do Exército, sediado em Santarém, está entre as sete pessoas condenadas pelo Superior Tribunal Militar por envolvimento em um esquema de desvio de dinheiro público em obras da BR-163 (Santarém-Cuiabá), no Pará,  sob a responsabilidade do 8º BEC, em convênio com o extinto Departamento Nacional de Estradas e Rodagem (DNER).

Os condenados foram enquadradas no crime de peculato, com penas variando de três a cinco anos de reclusão. As fraudes resultaram em um desvio de mais de 4 milhões de reais, com a participação de coronéis e outros oficiais do Exército, além de civis, dentre eles, empresários.

Para realizar o serviço, o batalhão empresas privadas. O Ministério Público Militar constatou que diversos serviços foram executados pelo próprio exército diretamente e não pelas empresas contratadas. Mesmo assim, elas receberam o pagamento integral das obras.

O MP concluiu que essa irregularidade só foi possível graças a uma conduta criminosa do coronel, que era o chefe seção técnica do 8º BEC.

Ele foi acusado de ter consignado a realização de serviços que não teriam sido concluídos pelas empresas, de propriedade dos corréus civis, com a anuência de um tenente do batalhão, que teria liquidado os valores fraudulentamente, e de um ex-tenente, também processado na ação penal.

Denunciados à justiça militar federal, os réus foram condenados na auditoria de Belém (1ª instância), mas decidiram recorrer da decisão ao STM.

Baseado no voto do relator, os ministros do STM decidiram, por unanimidade, descartar os argumentos apresentados pela defesa do coronel, do ex-tenente e das outras cinco pessoas ligadas às empresas contratadas, confirmando integralmente a sentença de primeiro grau.

Os civis foram condenados por obterem vantagem patrimonial ilícita em prejuízo da administração militar e foram condenadas a penas que variam de 3 a 5 anos.

Discussão

5 comentários sobre “Coronel do exército condenado

  1. O histórico ilibado do BEC (ao menos na Organização Militar sediada no Pará) fica manchado com essa denúncia e condenação.

    Os projetos executados concluídos e em andamento por esta unidade operacional do excército nesta porção da transamazônica, objetivou o “crescimento” do interior do Estado do Pará, considerada, uma região de acesso complexo devido as suas características fisiográficas.

    Curtir

    Publicado por Thirson Rodrigues de Medina | 21 de setembro de 2017, 18:19
  2. Essa é uma boa notícia é um bom exemplo. Civis, sigam este procedimento: condenem os corruptos.

    Curtir

    Publicado por José Silva | 21 de setembro de 2017, 22:28
  3. Pra você ver meu caro Lúcio Flávio, MAÇÃS PODRES EXISTEM EM TODOS OS BALAIOS. Senti falta dos nomes dos meliantes em seu post. A informação ficou incompleta, mas imagino o por quê da não divulgação. Abraço

    Curtir

    Publicado por VALTER AVELAR | 22 de setembro de 2017, 05:53

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: