//
você está lendo...
Cidades

Belém: um matagal só

Com o inverno, talvez Belém consiga se tornar numa cidade – digamos assim – heterodoxamente ecológica. É que as chuvas estão ajudando a disseminar pela cidade um matagal que já se tornou viçoso e alto em vários locais, mesmo no perímetro mais urbano e valorizado, como Umarizal, Nazaré, Batista Campos, Reduto ou Campina.

Mesmo o trabalho de roçar e capinar o mato, uma das marcas da capital dos paraenses, também foi abandonado, para infelicidade de dezenas e dezenas de trabalhadores braçais, que faturavam um pouquinho com a demanda municipal por esse serviço. Aliás, a mais igualitária e necessária das atividades locais.

Quando o alcaide retornar à sua afanosa lide, talvez tenha o impulso, por influência do périplo europeu, de xingar o prefeito de Belém, prática generalizada na urbe entregue à própria sorte, entre lixos, matos ou assaltantes.

Discussão

9 comentários sobre “Belém: um matagal só

  1. Complemento:
    “Quando o alcaide retornar à sua afanosa lide, talvez tenha o impulso, por influência do périplo europeu, de xingar o prefeito de Belém, prática generalizada na urbe entregue à própria sorte, entre lixos, matos ou assaltantes, sem falar da imobilidade do trânsito urbano, das passarelas caindo, alagamentos, batalha de mosquitos e falta d’água conforontando um inverno pluvial esplendoroso. Um inferno no paraíso.”

    Curtir

    Publicado por JAB VIANA | 9 de janeiro de 2018, 16:09
  2. Belém está um lixo só! Acho que a população poderia pegar o lixo e atirá-lo exatamente na frente da casa do prefeito! Faria um grande favor!
    Do que adianta fazer campanhas do tipo “Mantenha Belém limpa. Jogue o lixo na lixeira”?
    Mas… onde se encontram as lixeiras?
    Em parte alguma!
    Logo, façamos a frente da casa do prefeito a nossa maior lixeira!

    Curtir

    Publicado por Augusto R. J. | 9 de janeiro de 2018, 16:24
  3. O delicado é a proliferação de focos de mosquitos transmissores de doenças, bem como, répteis e aracnídeos.

    Curtir

    Publicado por Thirson Rodrigues de Medina | 9 de janeiro de 2018, 16:31
  4. Onde é a casa do Prefeito? Em Lisboa?

    Curtir

    Publicado por JAB VIANA | 9 de janeiro de 2018, 16:45
  5. Isso parece não ter mais jeito. A solução tem de ser obrigatoriamente de longo prazo, tal qual a que nos legou esse desastre a conta-gotas. Com a mentalidade dominante, qualquer prefeito que o populacho colocar lá dará na mesma. O povo involuiu, o governo faliu e todos se “incivilizaram”. Mudar a consciência do cidadão brasileiro levará mais tempo que a sobrevivência da “ideologia macabra”, que pede mais governo (pela TV corrupta todo santo dia), quando o governo é a maior parte do problema, e o cidadão-telespectador, com sua noção de ignorante feliz, a tal “vítima”, brada sua irresponsabilidade civil com o cenário de pocilga que ajudou ele mesmo a criar em Belém (e Brasil como um todo), para pior, muito pior. Taí o país e a cidade que a geração descolada dos anos 60 e 70 deixaram para nós. Qual “ópera do malandro” deixaremos para os que virão?
    Temos de começar assumindo já a parte que nos cabe, seja com os partidos apresentando candidatos menos ruins, seja tomando consciência política na hora de votar, ou pelo menos fazendo a parte que cabe a nós mesmos, cidadãos, nem que com uma simples vassourada na porta da própria casa. Eu já varri a minha. E você cidadão belenense? Vai ficar só esperando pelo prefeito, qualquer prefeito?

    Curtir

    Publicado por Rosa Carla | 9 de janeiro de 2018, 20:31

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: