//
você está lendo...
Imprensa, Política

A política de A Província

Se havia dúvidas, não há mais motivos para que continuem a existir: é político o principal objetivo da volta de A Província do Pará, relançada pelo empresário Carlos Santos. Os primeiros indícios apareceram na primeira edição do jornal, o mais antigo do norte do país, que estava sem circular havia 16 anos. Era visível o tom crítico na abordagem do MDB dos Barbalho.

Hoje, a versão do jornal na internet saiu na frente dos dois grandes grupos de comunicação de Belém, ao divulgar a primeira pesquisa eleitoral realizada após o registro das candidaturas, Helder Barbalho, candidato do MDB ao governo do Estado aparece em primeiro lugar, com 38,7% das intenções de voto. enquanto Márcio Miranda, do DEM, mas candidato do governador Simão Jatene, do PSDB, ainda está distante, mas registra o seu maior índice, de 20,4%, deixando para trás Paulo Rocha, do PT, com 12,1%. Cleber Rabelo, do PSTU, e Fernando Carneiro, do PSOL, ficaram abaixo de 4%.

Para o Senado, a pesquisa mostra um surpreendente equilíbrio entre os candidatos, quando era esperado um índice maior para Jader Barbalho, que ficou com 14,2% dos votos. Mesmo não tendo sido registrado pela coligação liderada pelo MDB, o nome de Mário Couto foi apresentado e ele ficou com 13,4%. Flexa Ribeiro, do PSDB, teve 10,1%. Como a margem de erro da pesquisa é de 2,25% para cima ou para baixo, há um empate técnico entre eles. Sem Couto, a posição é ocupada por Úrsula Vidal, do PSOL, com 7%, empatada com Sidney Rosa, do PSB, com 6,4%.

A iniciativa de Carlos Santos não significa que, tendo colocado A Província novamente em circulação em véspera de eleição, seu objetivo político seja explícito, de apoio a Márcio Miranda. Mas como O Liberal se aproximou dos Barbalho e faz dupla com o Diário do Pará em favor (ainda que sutil) das candidaturas dos donos do jornal, a resposta as essa questão erá dada pela resposta a esta pergunta: com que jornal contará incondicionalmente a coligação que apoia Márcio Miranda para o governo?

Discussão

30 comentários sobre “A política de A Província

  1. Panfleto sob disfarce de jornal?

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 18 de agosto de 2018, 22:22
  2. A idéia de uma nova Província para liderar o mercado local dos jornais diários foi só uma ilusão. Agora sabemos qual a razão principal por trás do “velho” jornal. A poítica paraense não consegue se reinventar. Pelos resultados das pesquisas eleitorais, parece os paraenses também não conseguem se reinventar.

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 19 de agosto de 2018, 01:43
  3. Márcio Miranda e Mário Couto bem na pesquisa? Que empresa fez essa pesquisa?

    Curtir

    Publicado por Gleydson | 19 de agosto de 2018, 09:09
  4. E o Wlad ficou com quantos %? rs

    Curtir

    Publicado por Gleydson | 20 de agosto de 2018, 12:17
  5. Até entendo o esforço que certos profissionais fazem, para demonstrar sua fidelidade ao patrão. Numa época como a atual, de demissões generalizadas em boa parte das empresas, mais compreensível se torna a gratidão pela manutenção de seus salários, em especial quando esses salários são bem mais altos que a média do país.

    O problema é quando essa gente força a mão, e começa a se declarar mais monarquista que o rei. A demonstração de fidelidade e gratidão ao patrão deles de cada dia vira puxação de saco, pura e simples. Em se tratando de jornalistas, se e quando o leitorado percebe o lance, isso ferra com a credibilidade deles.

    Li o que esse Sardenberg escreveu sobre Comitê vs Conselho de Direitos Humanos. Putz! Ignorância em estado bruto, travestida de sapiência arrogante e pernóstica. Pra funcionar, o leitorado teria que ser formado inteiramente por indivíduos tão ou mais ignorantes que o jornalista. Precisaria, sobretudo, que não existissem a internet, as redes sociais, etc.

    Como não é o caso, o desgraçado rapidamente se tornou personagem de uma peça de humor involuntário. Menos que um bobo da corte, até porque este, quando se fazia ridículo, assim se fazia porque queria.

    Me faz lembrar a Miriam Leitão, “ensinando” ao Mantega (e aos telespectadores), que, em pleno 2014, a crise econômica já havia acabado em todo o mundo. Persistia no Brasil, pura e simplesmente por causa da incompetência do Mantega & caterva. Mais recentemente, ela saiu com um artigo dizendo que o Temer conseguira reduzir um pouco o desemprego… Pura doidice!

    Tinha que acabar como boneco de ventríloquo em horário nobre.

    Greta Garbo, quem diria…

    Curtir

    Publicado por Elias Granhen Tavares | 20 de agosto de 2018, 15:44
  6. Segue:

    “FATO: O STF, em decisão apertada e ainda sujeita a nova apreciação, autorizou a prisão em segunda instância mas não a tornou obrigatória. E o Comitê não está discutindo a Lei da Ficha Limpa, está dizendo que o Brasil deve respeitar os direitos políticos do cidadão Lula, que não se esgotam na segunda instância. Aprende, Sardenberg!”

    (https://www.viomundo.com.br/politica/site-do-lula-diz-que-sardenberg-bateu-recorde-de-fake-news.html)

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 20 de agosto de 2018, 18:26
    • Não sou advogado, mas uma coisa é a prisão em segunda instância ainda está sendo discutida no STF e outra é a lei da ficha limpa. Não se pode misturar as duas coisas.

      No caso específico do Lula, a lei brasileira não diz que um cidadão condenado na segunda instância não pode concorrer a um cargo público? Não é isto? Se sim, então o comitê da ONU não pode questionar a legislação do país, que, por sinal, é elogiada no mundo todo.

      Curtir

      Publicado por Jose Silva | 20 de agosto de 2018, 19:43
      • O “emblemático pescador” recebe o que plantou e enterrou. Os Tucanos de Almir estão na roça, sem nada para comer. É capaz do ex-prefeito de Ananindeua ganhar no primeiro turno. Que sina!

        Curtir

        Publicado por Jab Viana | 20 de agosto de 2018, 22:59
    • A ONU manda alguma coisa? Diga a ela para mandar o Maduro respeitar os direitos humanos de seu povo oprimido, o respeito aos povos indígenas expulsos de suas terras, e renunciar, convocando eleições limpas e democráticas.
      Há candidato dizendo que quando eleito, irá retirar o Brasil desse Conselho que só errou em toda sua história.

      Curtir

      Publicado por Jab Viana | 20 de agosto de 2018, 23:06
  7. Saiu a pesquisa Ibope e os números parecem mais verossímeis:Helder 43%; Paulo Rocha 13%; Márcio 11%
    Para o senado : Barbalho 29% Mário Couto 20%
    Doxa pelo jeito inflou os números dos seis aliados

    Curtir

    Publicado por Gleydson | 20 de agosto de 2018, 22:14
  8. Seus *

    Curtir

    Publicado por Gleydson | 20 de agosto de 2018, 22:15
  9. E falando de eleição, a G1, se eles ainda não mudaram, colocou a Clarice Lispector como governadora do Pará e ainda do MDB.

    https://g1.globo.com/pa/para/noticia/2018/08/21/pesquisa-ibope-governo-simao-jatene-e-aprovado-por-18-e-reprovado-por-38.ghtml

    Curtir

    Publicado por Jose Silva | 21 de agosto de 2018, 07:46
  10. O candidato que disse que ia “tirar o Brasil da ONU”, já se desdisse. “Foi ato falho…” — redisse ele — “… eu jamais pensei em tirar o Brasil da ONU”, demonstrando que, além do mais, ele não sabe o que é ato falho.

    Espera-se que, em outro ato falho, ele não prometa mandar ao Congresso Nacional um projeto de lei, especificando as características físicas das mulheres que merecem ser estupradas e estabelecendo severas penalidades para o sociopata que estuprar mulher imerecedora desse tratamento…

    Curtir

    Publicado por Elias Granhen Tavares | 21 de agosto de 2018, 10:21
  11. O mesmo candidato que passou apenas cerca de 10 anos como militar da ativa, e agora com cerca de 30 anos como político profissional tenta fazer uso de uma patente que não tem serventia se o mesmo fosse ao quartel e gritasse uma ordem unida. Coisa de embusteiro.

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário. | 21 de agosto de 2018, 11:01
  12. Aliás, uma bolsonarista, Elisa Robson, convocou um ato público de protesto em frente à sede da ONU, em Brasília.

    Compareceram ao ato público aproximadamente uma pessoa: ela própria.

    Mas Elisa Robson não perdeu o pique: ela disse que a sede da ONU é o “quartel general do socialismo”, e disse que o Brasil tem que “demitir” a Organização das Nações Unidas.

    Tal como o Bolsonaro, a Elisa Robson parece ter fumado ou cheirado alguma coisa estragada…

    Curtir

    Publicado por Elias Granhen Tavares | 22 de agosto de 2018, 08:11
    • Mais do que Bolsonarista, esta deve ser trumpista também. Faz parte de uma doença que assola o mundo. A melhor vacina para este caso é educação e cultura. Se não funcionar, somente o hospício salva.

      Curtir

      Publicado por Jose Silva | 22 de agosto de 2018, 08:33
  13. O pior é imaginar que há uma classe média forjada no mesmo molde do “capit” embusteiro. Destilando a mesma cultura.

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 23 de agosto de 2018, 10:28
  14. Boa, José!

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 24 de agosto de 2018, 10:19
  15. Falando em classe média, tão atacada por ricos e embusteiros e almejada como espaço de ascenção social em qualquer País democrático:
    A classe média tenta sobreviver entre os esmagados e os esmagadores.
    No primeiro bloco estão as massas populacionais sobreviventes, exploradas em canteiros de trabalhos de baixo valor e produtividade, e em currais eleitorais formados e mantidos por caudilhos, “coronés”e políticos em sintonia com seus partidos ditos de esquerda e de direita. Como aquele presidente colorido diria: “os descamisados”, na verdade os sobreviventes da insegurança social pública e da falta de oportunidades e melhor distribuição da renda através de políticas educacionais e formação dos jovens, da precária gestão dos recursos públicos nos investimentos necessários para melhorar a competitividade do País na economia .
    No segundo bloco estão os corruptos e corruptores, os milionários às custas dos cofres públicos, os apaniguados e adeptos das maracutaias, os beneficiários de “boquinhas” ou benesses imerecidas e os canalhas de um modo geral, especialmente os que prometeram a esperança e entregaram a terra arrasada depois de serem expulsos da aliança que fizeram.
    No meio, a classe média trabalhadora, odiada pelo stalinistas, que impedem a tomada do poder pelos que querem fascismo, de esquerda ou de direita. É a classe média repudiada pela Chauí e seu deslumbrados, conforme se vê em discurseira de tresloucados:


    Publicado em 24 de set de 2016

    Curtir

    Publicado por Jab Viana | 24 de agosto de 2018, 18:13
    • Registre-se que no topo das melhores democracias estão, também, os empreendedores, além dos que usufruem dessa posição por meios heterodoxos, digamos assim, para não generalizar iniquidades.

      Curtir

      Publicado por Jab Viana | 24 de agosto de 2018, 18:24

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: