//
você está lendo...
Cultura

Fanatismo gravoso

A rivalidade entre os clubes é universal, agravando-se no caso dos que disputam o mais popular dos esportes, o futebol. Mas há um grau característico de irracionalidade, selvageria e fanatismo entre os torcedores de Remo e Paissandu.

Talvez essa forma de manifestação seja a explicação mais profunda e imperceptível para que o Re-Pa seja o clássico mais disputado do mundo. Os cartolas se aproveitam do impulso de manada que se sobrepõe a todos os demais que ativa as paixões para realizar mais partidas do que recomendaria o bom senso e o respeito pelas torcidas, faturando ao máximo a renda – e, em regra, dilapidando-a com o bingo de contratação de jogadores e técnicos, que dissipa os recursos.

É patético e triste ver o fervor dos torcedores quando “secam” o adversário, como aconteceu, mais uma vez, com os remistas ao final – e nos dias que se seguiram – do jogo do Paissandu com o Náutico, em Recife. É a lógica do afogado que não quer ir sozinho para o fundo, arrastando justamente aquele que está mais perto dele. Não pode vicejar nesse solo hostil a razão, que deveria induzir o contrário. A ascensão de um dos dois times, além de marcar a presenta de um representante da terra comum, significará um desafio para o rival segui-lo.

Pessoalmente, acho que não houve pênalti no lance que permitiu o empate do Náutico. Mas o lance é duvidoso e controverso. Permite interpretações opostas, sem caracterizar um escândalo, uma garfada ostensiva do juiz. É pouco provável que a partida venha a ser anulada. Os cartolas do Paissandu fazem a sua parte, mas podiam agir com menos espalhafato diante do estado da coisa. É claro que, como quase sempre, a campanha tem muito m ais de paixão e oportunismo do que senso de realidade.

A fantasia grassa nos gramados paraenses, como na floresta, posta abaixo ou queimada para em seu lugar surgir pastos, plantation ou gado. Em paralelo, é por isso que o Pará não se alevanta, como no épico camoniano – nem nos estádios nem na condição social.

Discussão

6 comentários sobre “Fanatismo gravoso

  1. Correto!

    Curtir

    Publicado por Miguel Ayan Gaia | 11 de setembro de 2019, 14:14
  2. Perfeito!

    Curtir

    Publicado por Ricardo Conduru | 11 de setembro de 2019, 17:36
  3. A gênese dos times (um Esaú e Jacó) pode ser o ponto de partida dessa rivalidade e zombaria. Há mais algum derby onde um time deu origem ao outro? Não creio que tal rivalidade (e dependência) aconteceria com outros selecionados, que não tivessem uma origem comum.

    Curtir

    Publicado por Igor SIlva | 11 de setembro de 2019, 22:51
  4. É mais que deprimente constatar que o torcedor se comporta como gado, como bem observa a matéria. Todos têm conhecimento que juiz possui autonomia para marcar ou não um pênalti naquela condição. Como também há a plena certeza que juiz não bate – e, portanto, não perde – pênalti.

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 12 de setembro de 2019, 08:19
  5. Lúcio Flávio,
    Entendo perfeitamente suas palavras, porém, como Inês já tava morta antes, o fato não foi nem explorado e tampouco discutido da forma com que o psc agora chora suas lágrimas.
    O que aconteceu é que do mesmo modo que eu acredito que o psc tenha sido garfado ali, houve um pênalti contra o São José que foi bem próximo e a favor do rival da Curuzu.
    Além do mais, por duas vezes, o Remo foi prejudicado em dois pênaltis muito questionáveis em partidas do Ypiranga, sendo contra o mesmo Remo e também na última rodada, o pênalti acontecendo aos 40 do segundo tempo e depois os presidentes de juventude e ypiranga se abraçando em redes sociais. Foi bem mais indigesto para nós, azulinos, porém aceitamos por entender que a incompetência do nosso time foi maior.
    O que aconteceu no jogo contra o Náutico é algo que tem acontecido durante o campeonato, sendo o psc favorecido também e em outros casos, o Remo desfavorecido, e não vimos o fervor das análises dos ditos paraenses em favor dessa união pelo norte.
    É um retrato do Brasil e da elite paraense: os tais “rycos” só pedem união em prol do país quando a água bate na bunda deles. Enquanto são apenas os outros os prejudicados, ficam gritando a todo pulmão em um estádio lotado: E-LI-MI-NA-DO.

    Curtir

    Publicado por Cabano Remista ⚓⚔🦁 (@remocabano) | 12 de setembro de 2019, 10:35

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: