//
você está lendo...
Polícia, Política

Reprise de 1954?

Era madrugada de 5 de agosto de 1954, quando o jornalista Carlos Lacerda chegou à sua casa, na rua Toneleros, em Copacabana, no Rio de Janeiro. Tiros foram disparados contra ele por alguém que o esperava, numa emboscada. Lacerda escapou (até hoje não foi esclarecido se também foi atingido ou se ele mesmo criou o ferimento na perna), mas o major-aviador Rubens Florentino Vaz, que o acompanhava, como guarda-costas, foi atingido o morreu.

A repercussão foi imediata e foi dramática. Lacerda, um dos principais opositores do presidente Getúlio Vargas, contra quem mantinha uma campanha permanente e agressiva, através do jornal Tribuna da Imprensa. O crime foi logo interpretado como ligado ao presidente, que enfrentava a pior crise no seu mandato, iniciado três anos antes.

A crise atingia sua própria família, parentes, amigos e aliados, que participariam de um mar de lama nos porões do palácio do Catete, residência oficial do presidente. No interior desse poder paralelo teria nascido o plano para matar Lacerda. O atirador, Alcino do Nascimento, teria sido contratado por Climério Euribes de Almeida, um membro da guarda pessoal de Getúlio, comanda pelo seu “anjo negro”, Gregório Fortunato. Todos foram presos e confessaram seu envolvimento.

Sob pressão geral, Vargas se suicidou, sempre negando participação ou conhecimento do atentado, mas admitindo que as pessoas ligadas a ele, querendo defendê-lo dos ataques, acabaram por golpeá-lo mortalmente.

O escândalo que desde ontem relaciona o presidente Jair Bolsonaro ao assassinato de Marielle e do seu motorista não é igual ao que levou Getúlio Vargas à morte, mas apresenta algumas semelhanças em gravidade. Tem que ser apurado com rigor, seriedade e imparcialidade para esclarecer a verdade. A crise política já está instalada e só poderá ser superada de os fatos forem devidamente apurados.

Discussão

4 comentários sobre “Reprise de 1954?

  1. Emboscada conhecida como atentado da rua Toneleros.

    Curtir

    Publicado por Bruno | 30 de outubro de 2019, 16:51
  2. Quem possui a história de ter tido a coragem de tentar explodir o Exército, sendo excluído por isso, não teria, também, a coragem de proceder como o monarca miliciano?

    Curtir

    Publicado por Luiz Mário | 30 de outubro de 2019, 18:33
  3. Não já foi apurado. Parece que a guarda pessoal de Vargas, está agora na Globo e atirar, acertando no porteiro, selou seu fim como Vênus platinada, perdeu e deve sair do podium.
    Quem subirá?

    Curtir

    Publicado por Jab | 31 de outubro de 2019, 12:26

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: