//
você está lendo...
Economia, Minério

Vai – e não volta

A quota parte dos municípios do Pará no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) de exportação do mês passado não chegou a cinco milhões de reais; R$ 4.8 milhões para ser mais exato. Como o Pará foi o quinto maior exportador em 2019 e o Estado com maior saldo de divisas do país, o valor só é irrisório porque o Pará exporta matérias primas e insumos básicos, que não pagam imposto. É uma hemorragia de riquezas naturais e seus derivados imediatos e uma secura de retorno.

Por isso, Belém ficou com a maior quota (R$ 699 mil), só um pouco superior à de Parauapebas (R$ 681 mil). Os dois municípios mais de um terço da receita total. Acrescidos os seguintes (Marabá, com 290 mil; Canaã dos Carajás, com 230 mil; Barcarena, com 162 mil, e Tucuruí, com 120 mil), a soma dos seis municípios dá R$ 2,2 milhões num universo de 144.

É muita migalha para poucos.

Discussão

2 comentários sobre “Vai – e não volta

  1. A Reforma Tributária parece que entrará na grande roda de discussões do Congresso Nacional. Será que os nossos representantes em Brasília terão o denodo para pelo menos mitigar nossa triste condição de colonizados pelo nosso próprio País? Espero sem muitas esperanças.
    Lúcio, a propósito, mudando de assunto, peguei na Biblioteca Arthur Vianna o livro de Carlos Cartaxo “A Família Canuto e a Luta Camponesa na Amazônia”. Conheces essa obra, Lúcio?
    Abraços.

    Curtir

    Publicado por Rafael Araújo | 13 de fevereiro de 2020, 18:40

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: