//
você está lendo...
Imprensa

Lendo jornal (ainda)

Em alguns dias da semana, o Diário do Pará só tem anúncios classificados para duas páginas, como hoje. A direção do jornal decidiu fechar a última página dupla (uma delas é a contracapa) do primeiro caderno com esses pequenos anúncios. É feio. Tão feio que não me lembro de ter visto um jornal, dos muitos que já li em todo mundo, com essa prática. Talvez menos feio fosse publicar um encarte de quatro páginas em formato tabloide ou recorrer a um “macarrão”, que é a página standard (de formato maior) solta no meio do caderno.

O Liberal, que sempre foi o líder nesse segmento de publicidade, ainda tem anúncio para um caderno de quatro páginas standard em alguns dias de semana. Mas por quanto tempo? Esse foi o balcão de publicidade da imprensa convencional mais prejudicado pela concorrência das redes sociais. Antes, o jornal (impresso em papel) com mais leitura ou o de maior faturamento tinha que arregimentar muito anúncio popular.

Uma edição dominical de O Estado de S. Paulo, o mais poderoso da imprensa nacional nessa época, chegava a ter 200 ou mais páginas dessa edição robusta ocupada por classificados. Elas rodavam antes da edição propriamente jornalística e eram remetidas antecipadamente de caminhão para o interior de São Paulo. Só depois que iam os cadernos com a parte noticiosa, acompanhada por mais anúncios, os grandes. Descartar os classificados de um jornal como o New York Times de domingo era uma tarefa hercúlea.

Hoje, essa regra deixou de vigorar. A direção das empresas jornalísticas precisa fazer cálculos para verificar se compensa mesmo manter duas páginas de pequenos anúncios, como na edição de hoje do Diário, sabendo-se que o centímetro é mais barato, muitas vezes a peça entra na conta da permuta ou é simplesmente gratuita. Mais jornalismo ajudaria a preencher esse vácuo.

Aliás, ponto para o caderno de cultura e entretenimento do Diário, que destronou O Liberal da sua hegemonia. Já o caderno de esportes do jornal dos Maiorana dá de goleada no popularesco e fraco caderno de esportes do jornal dos Barbalho.

E assim a rotativa roda.

Discussão

3 comentários sobre “Lendo jornal (ainda)

  1. Sua análise é uma verdadeira aula de diagramação e marketing para aspirantes a editores…

    Curtir

    Publicado por Thirson Medina | 29 de fevereiro de 2020, 12:18
  2. Por isso o digital tem que receber investimentos e o papel ser reinventado. E não apenas isso. Busca de credibilidade. Se não, afundam ambos:

    Curtir

    Publicado por jjss555js | 29 de fevereiro de 2020, 16:51

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: