//
você está lendo...
Imprensa

Tem sangue na edição

A expectativa de que o Diário do Pará pudesse dar um tratamento editorial mais respeitoso ao seu noticiário policial era uma vã ilusão. Hoje, o tabloide de sangue do jornal da família Barbalho voltou a publicar fotografias de pessoas assassinadas com o destaque mórbido e sensacionalista de sempre. Além do cadáver da primeira página, uma foto de “presunto” em página dupla no interior do tabloide.

Se depender do estímulo do jornal dos Barbalho que são governador, senador, deputada federal e presidente do MDB estadual, a matança no Pará terá sempre o devidoe stímulo. O que interessa é vender jornal, não a vida humana.

Discussão

Um comentário sobre “Tem sangue na edição

  1. Há muito tempo eu pergunto: cadê o Ministério Público? Cadê a OAB? Cadê o pessoal dos Direitos Humanos? E cadê a Defensoria Pública, que se diz advogada dos pobres e hipossuficientes? Por que esse silêncio por parte desses órgãos? Digo mais uma vez que, se aparecesse no tabloide de sangue um cadáver de um playboy rico, branco e que mora em bairro nobre, logo viria um exército de advogados (coisa quase que inalcançável para os negros, pobres, prostitutas e periféricos) em cima de jornal dos Barbalhos.

    Curtir

    Publicado por Igor | 30 de janeiro de 2021, 17:26

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: