//
você está lendo...
Governo, Terras

Mais terras vendidas

O Iterpa está vendendo mais cinco áreas de terras requeridas por particulares, num total de 7,3 mil hectares, localizados em Altamira, Prainha, Paragominas e Marabá/Parauapebas. Os processos de compra são de 2008, 2010, 2015 e 2020. E assim o instituto vai se desfazendo do patrimônio público fundiário estadual.

Discussão

3 comentários sobre “Mais terras vendidas

  1. sou a favor dessas vendas e do desenvolvimento do agro no estado!! qual intuito do estado ter tantas terras e deixa-las “paradas”? assi mgera renda e desnvolvimento
    abs

    Curtir

    Publicado por fabio | 1 de setembro de 2021, 11:40
  2. A ideologia do desenvolvimento e do progresso da nação brasileira através da incorporação da Amazônia no mercado de terras, da transformação da renda da terra em renda capitalista/capitalizada, foi tão competente na sua eficácia de convencimento que ainda hoje, passados quase meio século de sua contestação e desmontagem pública pelo pensamento critico, pelas denúncias públicas acerca da falácia do modelo de desenvolvimento imposto de Brasília, da demonstração empírica e argumentação teórica incontestável de toda a vasta acumulação de destruição da natureza, de produção de conflitos fundiários sangrentos que também provocaram a acumulação violenta de milhares de assassinatos cruéis, chacinas em série de camponeses, ribeirinhos, extrativistas, pescadores, povos indígenas, quilombolas, e mortes seletivas sistemáticas de suas lideranças políticas, ainda tem indivíduos que acreditam neste projeto de dominação/destruição…

    Fico me perguntando se as pessoas que leem notícias e postagens neste blog (como esta da venda escancarada e escandalosa de terras públicas pelo próprio órgão fundiário do Estado do Pará) já leram pelo menos algum dos livros do autor do blog, Lúcio Flávio de Faria Pinto, a saber: Amazônia no rastro do saque (1980), Amazônia: o anteato da destruição (1977), Jari: toda a verdade sobre o projeto de Ludwig – as relações entre Estado e multinacional na Amazônia (1986)…, para ficar nos primeiros e somente na literatura produzida pelo autor do blog… Porque há outros excelentes livros publicados por sociólogos, antropólogos, geógrafos, economistas etc.
    Leiam também o livro da Marcionila Fernandes: Donos de terra – trajetórias da UDR (UFPA/NAEA, 1999), para saber quem é Ronaldo Caiado, atual governador do estado Goiás, um dos estados campeões do agro-morte-negócio …e um dos mentores intelectuais da União Democrática Ruralista , instituição criada para contém à bala , o movimento camponeses de luta pela reforma agrária no auge potencia nos anos 1980. Comecei a dsconbfiar que havia alguma coisa muito errada e muito grave com a democracia no Brasil , a partir desta ” União “….

    Vamos ler, gente!!! Ler literatura de qualidade, porque na ignorância e no analfabetismo funcional ,limitados ao “manual de autoajuda”, aos informes publicitários das corporações e aos discursos do ódio…, não há nem solução real e nem milagre…, só aprofundamento da violência bruta, da carnificina em larga escala e sofrimento social

    Curtir

    Publicado por Marly Silva | 3 de setembro de 2021, 12:43

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: