//
você está lendo...
contrabando, Memória

Memória – Mágica no ar

O inspetor da alfândega, Arnaldo Bittencourt Cantanhede, intimou por edital um comissário e um rádio-operador da Aerovias Brasil. Eles teriam que se explicar como, dentro de uma suposta mala postal, trazida de Miami por um avião da empresa que pousou em Belém, surgiram volumes contendo mercadorias contrabandeadas. Transformação muito em voga nessa época na capital paraense.

O contrabando não acabou. Já os voos internacionais de Belém…

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: