//
você está lendo...
Ciência, Memória, Pecuária

Memória – Nosso zebu indiano

Felisberto Camargo ainda era diretor do Agronômico, em 1952, quando conseguiu convencer o presidente Getúlio Vargas a autorizar a importação de zebus indianos para serem instalados na Amazônia. Os 31 animais chegaram ao Brasil no final desse ano e foram mantidos isolados durante um ano na ilha de Fernando de Noronha, quando Camargo já deixara o IAN.

Mas provocaram intensa celeuma nacional e continental: os fazendeiros temiam que os zebus, transmissores notórios da peste bovina, contaminassem os rebanhos locais. Os animais acabaram, para o bem e o mal, sendo incorporados à criação amazônica e brasileira.

Discussão

2 comentários sobre “Memória – Nosso zebu indiano

  1. O zebu Gir, cruzado com o bovino Holandês — na proporção de 5/8H + 3/8G — deu no Girolanda, que torna economicamente viável a criação de gado leiteiro na Amazônia. O Girolanda combina a rusticidade do zebuíno Gir, com a produtividade leiteira do bovino Holandês.

    Curtir

    Publicado por Elias | 26 de dezembro de 2021, 09:25
  2. 5/8H + 3/8G

    Curtir

    Publicado por Elias | 26 de dezembro de 2021, 10:33

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: