//
você está lendo...
Imprensa

Jornalistas mais premiados

Prêmios como o Esso podem enobrecer um currículo de jornalista. Por seu prestígio, seriedade e independência, certas premiações recompensam o trabalho do profissional e dignificam o exercício do seu ofício, que é sacrificante quando se trata de jornalismo desempenhado como missão.

A maioria das premiações, sobretudo quando criada e mantida por governos ou empresas de destaque na vida coletiva (e polêmicas), não tem valor de verdadeira seleção dos melhores. Não os mais famosos ou brilhantes, mas os que cumprem a tarefa mais nobre da imprensa: fiscalizadora do exercício do poder, investigadora da verdade, divulgadora dos fatos mais relevantes da vida em sociedade.

Só uma vez me inscrevi para disputar um prêmio. Foi em 1984, quando recebi o prêmio Esso regional Norte com uma longa reportagem sobre o projeto Jari, do milionário americano Daniel Ludwig, publicada em O Liberal (e que depois virou livro). As outras premiações resultaram de iniciativa de outras pessoas, funcionários das publicações nas quais trabalhei ou os próprios responsáveis pela premiação. Há vários anos, em função do que escrevo, fiquei à margem dessas iniciativas e, definitivamente, elas saíram do meu horizonte.

Ainda assim, apareço como o 45º jornalista mais premiado do Brasil (e o mais premiado do Norte) na listagem da revista eletrônica especializada Jornalistas&Cia, de São Paulo, editada por Eduardo Ribeiro. A seleção é histórica, pelo conjunto das premiações. Grandes jornalistas já mortos, como Clóvis Rossi e Ricardo Boechat, continuam a integrar a relação dos 50 mais premiados pelo que conquistaram em vida (alguns dos melhores jornalistas do país estão de fora). Minha menção serve para dividi-la com meus persistentes leitores. Sua fidelidade é meu maior prêmio.

Segue-se o texto da revista.

___________________

Pela sexta vez na história do Ranking dos +Premiados da Imprensa Brasileira, pesquisa promovida desde 2011 por este Jornalistas&Cia e pelo Portal dos Jornalistas, Eliane Brum termina o ano como a +Premiada Jornalista da História. Além da edição de estreia, e do primeiro lugar em 2016 (empatada com Miriam Leitão), ela também já havia terminado na liderança em 2017, 2018 e 2020.

Com a conquista em 2021 do Maria Moors Cabot, ela se tornou ainda a terceira jornalista brasileira mais premiada no exterior, ficando atrás apenas de Mauri König e de João Antonio Barros, respectivamente na primeira e segunda posições. Eliane também acumula internacionalmente as conquistas dos prêmios SIP, em duas oportunidades, e Ibero-americano Rei da Espanha. Dentre as iniciativas nacionais, conquistou o Esso (duas vezes), o Vladimir Herzog (cinco), Mulher Imprensa (seis), Comunique-se (cinco) e duas vezes o Jabuti de Melhor Livro Reportagem, entre outros.

Miriam, que somou mais 15 pontos em 2021 pela conquista dos +Admirados da Imprensa de Economia, Negócios e Finanças – Região Sudeste, chegou aos 1.342,5 pontos. Ela tem entre seus principais reconhecimentos os prêmios internacionais Maria Moors Cabot e Econômico Ibero-Americano, e os nacionais Esso, Vladimir Herzog e Ayrton Senna. No campo da literatura, conquistou o Jabuti de Livro do Ano Não Ficção, por Saga brasileira: A longa luta de um povo por sua moeda. É ainda uma das recordistas dos prêmio Comunique-se (13, no total) e Mulher Imprensa (nove), além de ser tetracampeã na eleição dos +Admirados Jornalistas de Economia, Negócios e Finanças. Também pelo conjunto da obra, recebeu os prêmios Abraji, ACIE e Personalidade da Comunicação.

Na terceira colocação, segue o repórter da Rádio Gaúcha Cid Martins, que é o jornalista brasileiro com o maior número de premiações na carreira. Segundo ele próprio calcula, entre primeiros, segundos e terceiros lugares, ou menções honrosas, são mais de 100 reconhecimentos; mas, para efeito de contabilização do Ranking, que calcula apenas os prêmios de primeiro lugar, já são 66 conquistas.

Completando os Top 10 dos +Premiados Jornalistas da História, a única mudança em relação ao Ranking 2020 foi a troca de posições entre André Trigueiro, que assumiu a oitava colocação, e Giovani Grizotti, que ficou em nono lugar. u Confira a relação com os 200 +Premiados Jornalistas Brasileiros da História (*).

A relação completa, com mais de dez mil profissionais premiados, está disponível no Portal dos Jornalistas. Eliane Brum, Miriam Leitão e Cid Martins repetem pódio de 2020

POSIÇÃO NOME PONTOS

1 º ELIANE BRUM 1515 2 º MIRIAM LEITÃO 1342,5 3 º CID MARTINS 1267,5 4 º MAURI KONIG 1160 5 º CACO BARCELLOS 1125 6 º MARCELO CANELLAS 890 7 º CARLOS WAGNER 880 8 º ANDRE TRIGUEIRO 857,5 9 º GIOVANI GRIZOTTI 842,5 10 º JOÃO ANTÔNIO BARROS 790 11 º DOMINGOS RODRIGUES PEIXOTO 750 12 º DIMMI BARBOSA AMORA 720 12 º HUMBERTO TREZZI 720 14 º RICARDO BOECHAT 697,5 15 º CLOVIS ROSSI 690 16 º DOMINGOS MEIRELLES 685 17 º EDUARDO MATOS 662,5 18 º DEMITRI TÚLIO SILVA ARAÚJO 660 19 º LUIZ RIBEIRO DOS SANTOS 655 20 º FABIO ALMEIDA 642,5 21 º WENDELL RODRIGUES DA SILVA 640 22 º FERNANDO RODRIGUES 630 23 º NILSON CEZAR MARIANO 627,5 24 º GILBERTO DIMENSTEIN 615 25 º LEONÊNCIO NOSSA JUNIOR 607,5 26 º JULIANA DE MELO CORREIA E SA 592,5 27 º DORRIT HARAZIM 582,5 28 º ANTONIO MELQUIADES JÚNIOR 572,5 28 º CLAUDIO RIBEIRO 572,5 30 º MONICA BERGAMO 560 31 º CIARA NUBIA DE CARVALHO ALVES 557,5 32 º GUSTAVO COSTA 552,5 33 º PATRICIA CAMPOS MELLO 545 34 º TERESA CRISTINA MAIA DANTAS 532,5 35 º MARILU CABAÑAS 530 36 º SÍLVIA BESSA (HOMÔNIMA/PE) 515 37 º MARIO MARCOS DE SOUZA 495 38 º LUCIO DE CASTRO 490 39 º LALO DE ALMEIDA 470 40 º THIAGO CORREIA 467,5 41 º LETICIA DUARTE 455 42 º ED WANDERLEY 450 42 º LUCIO FLAVIO PINTO 450 44 º PILKER (ROGERIO ANDREOTTI LUIZ) 442,5 44 º SERGIO RAMALHO ARAUJO 442,5 44 º VINICIUS JORGE CARNEIRO SASSINE 442,5 47 º JUCA KFOURI 440 47 º LAURENTINO GOMES 440 49 º AMAURI RIBEIRO JR 435 50 º CARLOS ETCHICHURY 432,5.

Discussão

6 comentários sobre “Jornalistas mais premiados

  1. Parabéns, Lúcio! Você merece todas as premiações que já recebeu. Só não tem mais reconhecimento porque decidiu se afastar do meio jornalístico e por ter um pudor que te impede de se inscrever em qualquer concurso. Ainda assim, está muito bem colocado no ranking de jornalistas premiados.

    Curtir

    Publicado por Marilene Pantoja | 6 de janeiro de 2022, 09:03
  2. Parabéns, Lúcio! Você merece!!

    Curtir

    Publicado por SABINO JUNIOR | 6 de janeiro de 2022, 11:26
  3. Parabéns, Lúcio, isso só reforça o que já escrevi para você em outras oportunidades, que você representa a autoridade carismática, descrita por Weber. A grosso modo, é o exemplo que arrasta!

    Curtir

    Publicado por MARIA CRISTINA DA PAZ GEMAQUE | 6 de janeiro de 2022, 11:53

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: