//
você está lendo...
Sem categoria

Eu, tu (e eu?)

Sou dois corpos

e muitos;

arreganho meus dentes

e fecho os olhos;

sou duas vidas

e nenhuma;

abraço os braços para abarcar o vento

e esmurro

meus lábios murchos;

tenho duas faces

e múltiplas

máscaras;

aliso o papel macio

e arranho as paredes do intestino;

busco dois nortes

e o vácuo;

penso em ti

e ao mesmo tempo

não penso

em ti

e em nada;

gostaria de me contentar com o que me ofereces,

me contento

e não

consigo;

sou duas paredes

e um pavimento;

(onde meu barco encalhou,

em que pedra meu motor se quebrou

em qual noite

minha bateria descarregou?)

carrego dois sentimentos

e sei;

sustento todos

e não sei;

vou rodar rodopiando por céus, estrelas, eternidades;

eu nunca

vou tirar os pés da terra que me tolera;

o galo canta na madrugada seu canto belo

que eu nunca vou levantar para ouvir;

tudo passa pela minha cabeça

e eu anoto;

eu nada vou saber

da vida que anoto;

cato flores e espinhos

indisponibilidades e compromissos,

pó e amargura;

junto todas as coisas perdidas

que não vou usar;

tenho dois futuros e o nada;

eu nunca vou cortar caminho

com medo de me perder;

não vou dizer o sim

pra não lembrar que morri;

eu estou em ti

e às vezes nem em mim;

atrás das placas de neon

sinto o frio esquentar o meu cérebro;

penso

que algum dia vou estourar

como foguete desabrochando flores sobre

bons e maus;

na praça, as cores amarelas

criarão algo mais intenso que o fogo

e eu sentirei minhas pernas tremerem

a insatisfação que o medo injeta

com as cores amarelas

que diariamente crio

para irmanar os próximos

e

se possível

a mim.

(Em solidão, em Belém do Pará, noite de 1967)

Discussão

6 comentários sobre “Eu, tu (e eu?)

  1. “Pisos”

    Primeiro foram os militares, milicianos, traficantes, CACs e os federais; depois os professores, agora chegou a vez dos enfermeiros, técnicos e auxiliares. A necessidade forçou Jair Bolsonaro vai agradar mais gente e atrair mais eleitores para a sua campanha. Será o suficiente para passar o inimigo?
    Lembro meu professor de OSPB lá na faculdade dizendo “só conquista direitos quem está inserido num grande segmento da sociedade organizada”. Isto explica porque o “privilégio constitucional” de acumular dois empregos públicos ainda não está ao alcance do administrativo e das profissões “sem expressão no congresso”. Estes nunca terão direito a acumulações e pisos. São os “sudras” da nação. Mas o papai Bolsonaro espichou o puxadinho do duplo emprego para quem menos precisava: os policiais militares; ele adora quem mete dedo em gatilho, com direito a uma criatividade-de-pai-para-filho: o teto duplex. Essa estória de direitos iguais, de isonomia, etc, é uma quimera. Odeio tudo isto! Pior é ver os “sudras” festejando as migalhas que o congresso lhes dá…quando dá.
    Bolsonaro perdeu inexoravelmente o meu voto (que nunca o teve) no dia em que endossou o seu plutocrata mor e os seus pistoleiros de aluguel no congresso a ferrarem com a vida de quem vai se aposentar, impondo o maior redutor previdenciário da história da república (40%), negando inclusive o direito a se quitar débitos atrasados (vale lembrar que Lula chegou a dispensar a multa e os juros de quem quis pagar seus débitos). A ferração atingiu também as viúvas, que depois de muito tempo vão ser obrigadas a viver com a metade do café, a metade do pão, a metade do arroz e do feijão. Mas estes são “males invisíveis”, que só se tornam ameaça para os que já estão com vista cançada.
    Justifica-se toda esta austeridade – para os “sudras”, com uma austeridade que sequer tangencia o congresso nacional e suas generosíssimas emendas secretas, para a farra política com o dinheiro público.

    Curtir

    Publicado por J.Jorge | 6 de agosto de 2022, 09:56
    • Aproveitando a deixa, o Manicômio Federativo do Bananil de Bolsonaro é recordista mundial de juros reais; viva o “mito” mitômano!!!.

      MiJair Bozonaro, o verdugo do Planalto, produziu números realmente estupendos no País: mais de 700 mil mortos por covid; mais de 13 milhões de desempregados; mais de 30 milhões de famintos; dólar a quase 6 reais; gasolina a quase 10 reais (preço atual de 1 litro de leite em muitas cidades); botijão de gás a 150 reais…O amigão do Queiroz também é responsável direto pelo menor consumo de proteína animal em 26 anos; pelo maior número de famílias endividadas na história; pelo recorde de pessoas físicas e jurídicas negativadas (nomes sujos) pelas empresas de crédito, SPC e SERASA; por mais de 125 milhões de brasileiros em estado de insegurança alimentar.

      Após a hecatombe econômica produzida por Dilma Rousseff, nossa eterna estoquista de vento e saudadora da mandioca (cujos títulos de pior governante do país desde 1822 e pior presidente desde 1889 foram “usurpados” pelo DESpresidente sociopata), quando o país experimentou três anos seguidos da maior recessão de sua história, é do patriarca do clã das rachadinhas e das mansões milionárias o título de mais novo “destroyer” do País – em nome de Jesus, é claro. O biroliro – auxiliado pela pandemia e pela guerra na Ucrânia, faça-se justiça – conduziu o Brasil ao trinônio do inferno: baixo crescimento + inflação + juros altos. Quer, literalmente, matar um povo (de fome, de doença, de desesperança)? Atire-o nessa condição; e o devoto da cloroquina nos atirou nela, com requintes de crueldade.

      O Brasil é hoje líder mundial em juros reais: 8.52% ao ano. O segundo desonroso lugar é ocupado pelo México (outra república de bananas incorrigível, com a agravante de ser um narcoestado – vide a ordem de libertação dada há quase três anos atrás pelo presidente de lá, uma versão esquerdista e mexicana do Jaguara daqui, em favor de um barão da droga, filho do sanguinário “El Chapo”, preso pelo resto da vida nos EUA) com juros anuais de 4,20% (metade de Banânia). Em juros nominais só perdemos para Argentina e Turquia, com inflações, respectivamente, de 60% e 14% nos últimos 12 meses. Tudo porque o Banco Central elevou a taxa básica de juros do País para 13.75% a.a., na tentativa de frear a inflação. Se o DESgoverno não faz o que deve (reforma tributária, controle de gastos etc) e ainda por cima atira a responsabilidade fiscal para as cucuias (estamos com déficit superior a 100 bilhões de reais), com o apoio dos plutocratas do Centrão, não resta outra alternativa. E para piorar o que já é terrível, temos um golpista lunático sentado na Presidência da República, ameaçando golpe de estado, enxovalhando nossas eleições a embaixadores internacionais, sem falar nas “anti-agendas” que nos afastam de nossos principais parceiros comerciais, depreciando nossa moeda e causando mais inflação.

      A dívida pública brasileira beira astronômicos 6 trilhões de reais. Desenhando: R$ 6.000.000.000.000,00. Como não sou economista, não vou me meter a calcular o tamanho do desembolso com o chamado serviço da dívida, mas sei que nos aproximamos perigosamente de 80% do PIB (Produto Interno Bruto) de endividamento. E o que fez, ou faz, nosso fervoroso patriota (premissa tão verdadeira quanto um Rolex vendido no Paraguai) desde que assumiu? Campanha eleitoral, ataque às instituições democráticas e dissenção social e política às custas de ódio e violência. Nada mais! O maníaco do tratamento precoce e seu posto Ipiranga jamais, em tempo algum, se debruçaram sobre os gravíssimos problemas econômicos do País. Eis aí o resultado. Viva o “mito” mitômano, né?

      Para terminar, segue mais um capítulo da corrupção bolsonarista de Conrado Hubner abaixo: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/conrado-hubner-mendes/2022/08/corrupcao-bolsonarista-capitulo-8.shtml

      E, em memória do gênio Jô Soares, aqui vão as cartas (a meu ver, uma adaptação das “Cartas Chilenas” do inconfidente Tomás Antônio Gonzaga, nas quais chamava o governador corrupto da Capitania de Minas Gerais de “Fanfarrão Minésio”) que ele escreveu ao Guaramputa abaixo: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2022/08/jo-soares-ensinou-a-bolsonaro-o-que-era-nazismo-em-cartas-abertas-releia.shtml

      Curtir

      Publicado por igor | 6 de agosto de 2022, 17:34
  2. Belíssima, Lúcio. Lança um livro de poesia, por favor.

    Curtir

    Publicado por Cristina Gemaque | 6 de agosto de 2022, 10:34
  3. Amigo, solidarizo-me com você. Sei que o momento não está fácil e que a esperança demora. Espero que tenha sua paz restabelecida para breve. Leio, sempre que posso, seu trabalho e sinto que algumas vezes não tem o resultado que você deseja, como uma voz que clama no deserto. Peço que o desespero não tome sua frente, Ano passado e até junho deste ano, tive sérios problemas de saúde que debilitaram-me sensivelmente mas minha fé e com ajuda da medicina moderna(que considero um privilégio perto do que passa nosso povo que tem sido tratado pior que gado) me restabeleceram a olhos vistos. Creia que não está sozinho! Muitos estão solidários com você! Um abraço!
    Encaminho uma pequena ajuda por meio do seu e-mail. Não precisa publicar esse comentário.

    Curtir

    Publicado por Carlos Benedito da Silva Brito | 6 de agosto de 2022, 12:08

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: