//
você está lendo...
Governo, Justiça, Polícia, Política

A super-operação

Impressionou a quantidade de integrantes da Operação QI: 112 agentes da Polícia Federal e membros do Ministério Público Federal (sabe-se só a totalidade). As buscas e apreensões, executadas nos dias 4 e 5, tinham inicialmente 4 e posteriormente mais 6 desembargadores, dois dos quais aposentados, e 11 servidores públicos como alvos. Não havia prisão a realizar. E nenhum dos alcançados pela apuração tinha antecedentes criminais.

Os crimes que motivaram as investigações – peculato, prevaricação, concussão, exploração de prestígio e corrupção – eram admitidos apenas em tese e no verbo condicional. A princípio, com base em um único elemento de prova material, o celular do ex-chefe da Casa Civil do governador Helder Barbalho, Depois, com um número não revelado de documentos físicos encontrados na residência do desembargador Rômulo Nunes.

Considerando esses dados, a operação pode ter sido a maior já organizada pela Polícia Federal num só local (exclusivamente Belém) em todos os tempos. Na medida dos seus objetivos?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: