//
Arquivos

Economia

Esta categoria contém 951 posts

Débito de 50 empresas: R$ 11,3 bilhões

Os 50 maiores devedores de impostos estaduais, cada um deles com mais de 50 milhões de reais, acumulam débito de R$ 11,4 bilhões (R$ 11.387.534.397,31). Segundo os dados da Secretaria de Fazenda do Pará, que se referem à dívida ativa, ainda em cobrança. O valor equivale a um terço do orçamento do Estado para este … Continuar lendo

Líder versus Barbalho?

O grupo Líder decidiu enfrentar, afrontar ou desafiar os Barbalho? É o que muito leitor de jornal deve se ter perguntado ao ver, hoje, a página dupla de publicidade do grupo em O Liberal, dos Maiorana, mas não no Diário do Pará, dos Barbalho. Um anúncio destacado, mas sem uma motivação fática. O título da … Continuar lendo

A fantasia do Pará industrial

“O setor que responde pelo aumento constante do PIB é a indústria”. É ela também “que faz a arrecadação de impostos, taxas e royalties subir cada vez mais”. Dessa forma, “contribui para que haja mais investimentos públicos e privados”. É por isso que o Estado “é mais com a indústria. Cada vez mais”. Com essa … Continuar lendo

Destruição sempre

O Brasil foi um dos 113 países presentes ao primeiro encontro promovido pela ONU, em 1972, na Suécia, para discutir globalmente as relações entre o desenvolvimento humano e o meio ambiente. A ecologia era uma ciência nova, ainda em formação, mas já mostrara a destruição crescente da natureza pelo avanço transformador do seu mais agressivo … Continuar lendo

Por trás das palavras

A manchete da edição de hoje de O Liberal deve ter causado grande impacto nos seus leitores. Diz: “Paradoxo Amazônico” – Mineradoras repassam só 3% do faturamento ao Pará. O texto abaixo complementa: “Somente no 1º trimestre de 2021, empresas faturaram mais de R$ 31 bi, mas compensação ao Estado foi de R$ 1 bi. … Continuar lendo

Memória – Mudança no varejo

A história dos supermercados no Pará começou em 8 de dezembro de 1957, quando foi inaugurado o Supermercado Azebar, de propriedade de Armênio Barbosa e José Maria Azevedo. Os primeiros clientes foram atraídos pelo novo visual e pela variedade de artigos. Começava então a substituição das antigas mercearias, das quais poucas ainda resistem.

O apito e a fumaça

Em 2011, o governo do Pará instituiu a taxa de controle, monitoramento e fiscalização das atividades de pesquisa, lavra e exploração e aproveitamento dos recursos minerários do Estado. Em nove anos, a uma média de 550 milhões de reais ao ano, atualizados, colocou nos seus cofres públicos (e em suas extensões) R$ 5 bilhões. Com … Continuar lendo

Memória – Às operárias

A Usina Tupy, de beneficiamento de castanha, de propriedade de Simão Roffé & Cia., estabelecida à travessa Benjamin Constant 47 (telefone 1168), publicou anúncio avisando “as operárias que os serviços de beneficiamento de castanha começarão no dia 10 do mês corrente [fevereiro de 1945], pedindo, por isso, o comparecimento à sua Usina das que desejarem … Continuar lendo

O futuro da maior mineradora de bauxita

A primeira viagem de José Sarney, o primeiro presidente da república após a redemocratização do Brasil, em 1985, foi a uma mina de bauxita distante mil quilômetros do litoral do Pará. Ele foi ver a primeira exploração empresarial dos recursos minerais da Amazônia no novo ciclo de ocupação da região, que transformou o Pará no … Continuar lendo

Memória – Rainha dos operários

Havia operários e operárias (e, naturalmente, indústrias) em número suficiente em Belém, em 1947, para motivar a escolha da Rainha dos Operários. Inscreveram candidatas para o certame, encerrado durante uma festa no Bosque Rodrigues Alves, as seguintes empresas: Fábrica de Calçados Morgado, Fábrica de Calçados Boa Fama, Fábrica de Calçados Rex, Fábrica de Calçados Luzeiro, … Continuar lendo