//
Arquivos

Educação

Esta categoria contém 66 posts

Pará também é norueguês

Quatro das cinco maiores empresas com sede no Pará são controladas pela norueguesa Norsk Hydro. A maior delas, segundo o ranking divulgado pelo jornal Valor, de São Paulo, é a Hydro Alunorte, que produz alumina em Barcarena. Em 2015 ela foi a 92ª maior do Brasil, caindo para 96ª no ano passado, com receita líquida … Continuar lendo

A (quase) melhor

O Diário do Pará de hoje dá grande destaque – na capa e em página interna – à Escola Tenente Rego Barros, mantida há 76 anos pelo I Comando Aéreo Regional. Diz que a escola “está sempre entre os primeiros no Exame Nacional do Ensino Médio, entre as escolas públicas”. Acrescenta que o segredo desse … Continuar lendo

A Ufopa e a região do Tapajós

Fiquei feliz por meu artigo A Juruti da Alcoa e o silêncio da Ufopa ter proocado um bom debate entre dois leitores – Paulo Lima e Alailson Muniz – sobre o tema no blog OEstadonet, do jornalista Miguel Oliveira. Reproduzo-o como convite a mais participantes. Paulo Lima – Caro Miguel, você, de nossos papos, sabe … Continuar lendo

A Juruti da Alcoa e o silêncio da Ufopa

A Universidade Federal do Oeste do Pará foi criada em 2009. No mesmo ano, a mina de bauxita da Alcoa começou a produzir em Juruti, o último município, a leste de Santarém, antes da divisa com o Estado do Amazonas. Ontem, a multinacional americana, a maior no mundo no seu setor de atuação, comemorou nove … Continuar lendo

A história na chapa quente (323)

Ciência: para valer ou só para decorar? (Publicado no Jornal Pessoal 326, de junho de 2004) Durante vários anos Rondônia foi o único Estado da Amazônia a dispor de um zoneamento econômico-ecológico. Esse tipo de planejamento foi adotado por pressão do Banco Mundial. Principal financiador do Polonoroeste, um programa de colonização das margens da BR-364 … Continuar lendo

Drama do nosso tempo

Há as crises maiores que atormentam o Brasil dos nossos dias. Há também as crises menores, que assolam pessoas e famílias, que não podem ser consideradas subprodutos de questões coletivas nem transferidas para encontrar solução no futuro. É o drama que se abateu, em Curitiba, sobre Maria de Fátima Chaves do Couto. Ela saiu de … Continuar lendo

A história na chapa quente (106)

CEPC: o registro de uma destruição (Artigo publicado no Jornal Pessoal 294, de novembro de 2002) Sob uma luz mortiça, num salão com um nobre ar de decadência, o professor Clóvis Silva de Moraes Rego lia o texto da introdução que escreveu para seu livro, Subsídios para a história do Colégio “Paes de Carvalho”, que … Continuar lendo

Denúncia na universidade do Maranhão

Estudantes da Universidade federal do Maranhão divulgaram uma nota de repúdio à diferença no tratamento de candidatos aprovados por editais, que, para eles, “gera dúvidas e incertezas quanto à moralidade no processo seletivo de vagas ociosas da universidade”. A nota foi subscrita por 79 estudantes prejudicados. O caso maranhense surge quando a Polícia Federal investiga … Continuar lendo

A saída para a educação

A maioria dos estudantes que chegam às instituições particulares de ensino superior tem um perfil triste: é “um aluno malformado em escolas públicas, com graves deficiências de aprendizado e falta de domínio da Língua Portuguesa e de Matemática. Também não pode pagar as mensalidades e depende de programas sociais do Governo”. O diagnóstico, com base … Continuar lendo

A bolsa pesquisa: um roubo

Pessoas que nem pertenciam à Universidade Federal do Paraná recebiam milionárias bolsas de pesquisa da instituição, no Brasil e no exterior, “com base em singelos expedientes que levavam os nomes dos beneficiários e os valores a serem pagos. Esse estado de coisas conduziu a pagamentos mensais a quem sequer vínculo com a Universidade possuía ocasionando … Continuar lendo