//
Arquivos

Esporte

Esta categoria contém 34 posts

Memória – Quando o Remo era Leão

Em 1972, quando o Remo começou a participar do campeonato nacional de futebol, a agência de publicidade BBA (de Bevilácqua, Bulcão e Almeida), preparou uma peça publicitária vistosa para atrair os torcedores ao estádio, que ainda se chamava Evandro Almeida. Alertava que se o torcedor ficasse em casa (na época, apenas ouvindo o jogo pelo … Continuar lendo

A volta da geladeira?

O que aconteceu ontem com a Tuna Luso Brasileira? Jogadores usando salto alto? Síndrome do já ganhou? Imaturidade e despreparo? Peso da mística sobre o time que frita bolinho na geladeira, congelando nas decisões? Ou algo que circulou pelo ar sem ser avião de carreira? Qualquer que seja a hipótese verdadeira, é uma pena que … Continuar lendo

Memória – Nadadoras paraenses

O Pará venceu com folga e fibra o torneio feminino Norte-Nordeste de natação, realizado em Fortaleza, no Ceará. Mas não foi fácil. Por pressão dos donos da casa, Alice Cristina Pinheiro da Costa (a Kikica) ficou em primeiro lugar no nado de peito clássico de 200 metros, mas não levou: foi surpreendentemente desclassificada. Mas quando … Continuar lendo

Sparring

A seleção da Mongólia levou de 14 a 0 da representação do Japão pelas eliminatórias asiáticas da Copa do Mundo de 2022. Três dos gols foram marcados pelos japoneses nos três minutos dos acréscimos. Está na hora de convidar os mongóis para amistosos em Belém.

Memória – Primeiros judocas

A Academia Paraense de Jiu-Jitsu formou, em 1955, a sua primeira turma de judocas, com 43 integrantes, em solenidade realizada no Palace Teatro (onde foi construído o Hilton, hoje Princesa Louçã). Havia civis e militares, membros da alta sociedade e quatro mulheres: Maria de Nazaré e Ana Nazaré Dias, Waldomira Valino e Maria Juraci Barros

Memória – Tênis cosmopolita

Em dezembro de 1952, o Tênis Clube do Pará, “uma agremiação diferente”, conforme o registro jornalístico, numa época monopolizada pelo futebol, inaugurou sua quadra em Belém com um movimentado torneio. Na categoria simples masculino, Jaet Klapish venceu Robert Dean por 6 a 5 e José Moutinho por 6 a 1. Em duplas masculinas, Fulton de … Continuar lendo

Pra quê?

A última lotação no Mangueirão acima de 40 mil pessoas foi alcançada em 2013, no jogo em que o Remo venceu o Paissandu por 2 a 1. Com os problemas decorrentes da falta de manutenção adequada (a última é de 2002), a capacidade máxima foi reduzida para 35 mil espectadores. Agora, no meio da modernização … Continuar lendo

A glória e a vergonha

Quantas pessoas se aglomeraram sem máscaras na festa de rua de comemoração pela classificação do Remo para a série B do campeonato brasileiro de futebol? Quantas delas foram contaminadas pelo coronavírus por sua imprevidência e irresponsabilidade? Cinco jogadores do time se incluem entre os que adoeceram e estão sendo tratados em confinamento. Não estarão em … Continuar lendo

Pela Tuna

Será um fato extremamente positivo para o futebol paraense a ascensão de Remo e Paissandu à série B do campeonato brasileiro, que, agora, só depende dos dois times. Tão – ou até mais – positivo será se a Tuna vencer a competição estadual deste ano, tonificando a disputa e quebrando o oligopólio dos dois maiores … Continuar lendo

Somos Pelé

Como pessoa, Edson Arantes do Nascimento merece muitas e severas críticas, da paternidade deficiente ao preconceito contra suas origens e gênero, além de oportunismo político e excesso de comercialismo. Como atleta em geral foi dos melhores que já houve. Especificamente como jogador de futebol, não tem igual e é pouco provável que venha a ter. … Continuar lendo