//
Arquivos

Garimpo

Esta categoria contém 110 posts

Memória – Quando Serra Pelada ia pagar a dívida

Participei de várias publicações alternativas coletivas. Minha trajetória solo começou em 1968, com uma coluna diária. Prosseguiu com uma página dominical, a partir de 1972, já chamada Jornal Pessoal. Prosseguiu em 1975, com o Bandeira 3, obra coletiva, que durou apenas sete números. Veio então o Encarte, que saía – conforme o próprio nome – … Continuar lendo

O antropólogo que divulga o pensamento ianomâmi

“São essas as palavras que eu quero transmitir. Você pode desenhá-las e dá-las aos outros brancos.”  O antropólogo francês Bruce Albert ouviu este desejo do xamã ianomâmi Davi Kopenawa — e tem se esforçado para cumpri-lo. Em 2010, publicou, com Kopenawa, “A queda do céu”, relato cujo objetivo é alertar “o povo da mercadoria” a parar a … Continuar lendo

Meus cadernos – Ouro e cassiterita

Em uma folha solta, sem data, os telefones de José Altino, “líder dos garimpeiros em Roraima”, seus telefones em Manaus. O residencial: 2381341. Do escritório: 2328112, ramal 2570. Embaixo: Belfort, Mineração Taboca Nada mais sobre o que liga os dois: ouro e cassiterita.

Musk trouxe a internet para a Amazônia brasileira. Os criminosos adoram.

Por Fabiano Maisonnave | PA / Washington Post e ATALAIA DO NORTE, Brasil – Agentes federais brasileiros a bordo de três helicópteros desceram em um local de mineração ilegal na terça-feira na floresta amazônica. Eles foram recebidos com tiros e os atiradores escaparam, deixando para trás um achado cada vez mais familiar para as autoridades: unidades de internet … Continuar lendo

Perigos e desafios para repórteres na Amazônia

por Carolina Conti / Mongabay “Meninos, eu vi!”, expressão do poeta Gonçalves Dias que já integrou até bordão de novela, é uma máxima conhecida e usada no meio jornalístico. Quem vai a campo fazer reportagens, entrevista e testemunha fatos para depois reportar aos demais o que viu. E ouviu. Nesta matéria aqui, emprestamos o verso do maranhense … Continuar lendo

Jacareacanga: sem mais garimpo

A promotora de justiça de Jacareacanga, Lílian Regina Furtado Braga, recomendou à prefeitura e à secretaria municipal do Meio Ambiente “que não seja licenciado nenhum projeto novo de garimpo, enquanto não estiverem regularizados os licenciamentos que estão PENDENTES, ou que não tenham sido realizadas vistoria, estudos de impactos ambientais e ou não tenha sido apresentado … Continuar lendo

Serra Pelada não é patrimônio cultural

O governador Helder Barbalho vetou integralmente o projeto de lei, originado da Assembleia Legislativa e aprovado no final do ano passado, que declarava como de especial interesse social para o Estado “as comunidades tradicionais remanescentes e descendentes de garimpeiros do ‘Garimpo Serra Pelada’, localizadas no Distrito de Serra Pelada, Município de Curionópolis/PA, reconhecendo como patrimônio … Continuar lendo

Em busca da Amazônia verdadeira

Jorge Coli / Folha de S. Paulo Livro de João M. Salles sobre Amazônia é inclassificável como ‘Os Sertões’Em ‘Arrabalde’, autor usa inteligência e talento literário para expor ódio de colonos pela naturezaAs notícias e imagens estarrecedoras trazidas pela imprensa sobre a situação dos yanomamis mostram a que degradação chegou a garantia dos direitos indígenas no Brasil. … Continuar lendo

As vítimas do garimpo

Partilho com meus leitores o excelente texto que o geólogo Breno Augusto dos Santos enviou aos amigos pelas redes sociais. Com o conhecimento de um dos principais geólogos brasileiros, testado em campo ao longo de mais de meio século de atividade intensa, e a sensibilidade de um bom observador de tudo que é humano. ___________ … Continuar lendo

Os garimpos da destruição

Em 1985, o garimpo ilegal (todo ele praticamente de ouro) ocupava 7,2 quilômetros quadrados (720 hectares) dentro da Terra Indígena Kayapó, no sal do Pará, que tem 33 mil quilômetros quadrados (3,3 milhões de hectares. Passados 35 anos, a estimativa era 1.000% maior, chegando a 77,1 km2 (quase 8 mil hectares). O crescimento na TI … Continuar lendo