//
Arquivos

Grandes Projetos

Esta categoria contém 334 posts

A Vale nos engole

Escrevo por compromisso com a minha consciência e com as comunidades de que faço parte, desde a minha rua até o meu mundo, como homem preso aos meus vínculos imediatos e ao cosmos. Escrever, portanto, é um princípio categórico. Em alguns momentos, no entanto, escrevo com a expectativa de ter um retorno à altura da … Continuar lendo

Carajás não é nosso

Em 35 anos de atividade, a Vale extraiu dois bilhões de toneladas de minério de ferro de Carajás. Ao preço atual, de 30 dólares a tonelada, gerou receita de R$ 250 bilhões. Corresponde a 10 vezes o orçamento do Estado do Pará deste ano. Dá a média de receita anual de R$ 7 bilhões. Uma … Continuar lendo

Censura no Diário

Edyr Augusto ficou perplexo ao ler o seu artigo semanal no Diário do Pará de 20 de setembro. Um parágrafo sumira do texto que ele mandou para a redação. “Cortaram a crônica, assinada, sem ao menos avisar, até, sei lá, ligar e argumentar”, explicou ele, quando o procurei para me explicar o sumiço da sua … Continuar lendo

JP (5) O humor do governador

(Publicado no Jornal Pessoal 235, de maio de 2000) É extremamente instável o humor do governador Almir Gabriel em relação à Companhia Vale do Rio Doce. No início de abril [de 1999], só faltou convidar os representantes da empresa para em coro uníssono entoarem o Tamba-tajá, de Waldemar Henrique, tão coincidentes considerou os pontos de … Continuar lendo

Ameaças em Carajás

A atuação da Vale, que se revelou desastrosa em Minas Gerais, depois das tragédias de Mariana e Brumadinho, no intervalo de apenas três anos, tem sido considerada modelar em Carajás, a maior província mineral do planeta, no Pará. Numa área de 70 mil quilômetros quadrados (duas vezes o tamanho da Bélgica), a mineradora se orgulha … Continuar lendo

“Redescobrindo” o Pará

A Vale é dona da província mineral de Carajás, no Pará, a maior do planeta, que explora desde 1985 e com a qual se tornou a maior exportadora de minério de ferro, sobretudo para a Ásia. Há meses a mineradora faz uma campanha institucional através da mídia, talvez a maior em curso no Brasil, se … Continuar lendo

O rei nu

Em 1972, o mundo se reuniu pela primeira vez em conjunto para discutir sobre a relação entre o desenvolvimento e o meio ambiente. O local da conferência não poderia ser mais indicado do que Estocolmo, a capital da Suécia, padrão da qualidade de vida no planeta. Um dos temas centrais era a Amazônia, de volta … Continuar lendo

O invisível

O novo – e maior – ciclo econômico da Amazônia, o dos minérios, completou 40 anos no mês passado. Começou no dia 13 de agosto de 1979, quando o navio Cape Race desatracou do porto privativo da mineradora, no extremo oeste do Pará, a mil quilômetros de distância do mar, na região central da Amazônia … Continuar lendo

Quem sabe da Amazônia?

O ciclo da borracha, chamado de “belle époque”, porque a Amazônia era a única fornecedora mundial do produto e foi a segunda maior exportadora do Brasil, durou menos de 50 anos, entre 1870 e 1912. Até hoje, esse período é considerado o mais importante da história da região, a ponto de merecer citações nos compêndios … Continuar lendo

Não dói?

O mundo financeiro, dentro e fora do Brasil, acompanhou durante alguns meses a queda de braço entre a PricewaterhouseCoopers e a Petrobras. A famosa empresa americana de auditoria se recusou a assinar o balanço da estatal do petróleo do terceiro trimestre de 2014, ao constatar “indicações de fraude” nas demonstrações financeiras da empresa, com seus ativos … Continuar lendo