//
Arquivos

Grandes Projetos

Esta categoria contém 297 posts

Quem manda na Amazônia?

Por que um Estado tão rico, como o Pará, é também tão pobre? Esta deveria ser a questão mais importante na agenda dos candidatos à eleição de outubro. O Pará abriga a maior frente econômica do país, que se expande pelo seu vasto interior (com 1,2 milhão de quilômetros quadrados) à cata de recursos naturais. O … Continuar lendo

Arquivo JP (43)

No Xingu, a energia do subdesenvolvimento (JP 243, setembro de 2000) Se tudo transcorrer conforme seus planos, a Eletronorte espera concluir o projeto da hidrelétrica de Belo Monte, no Xingu, no final de junho do próximo ano. Será a maior usina brasileira (e uma das maiores do mundo), com capacidade de geração superior à atual … Continuar lendo

Arquivo JP (42)

Tucuruí: milhões de dólares ocultos pela névoa do tempo   (Jornal Pessoal 243, setembro de 2000) A Eletronorte gastou quase 60 milhões de reais para recuperar e complementar o canteiro de obras de duplicação da hidrelétrica de Tucuruí. Esse investimento equivale a 10% do orçamento previsto – de R$ 580 milhões – para a elevação … Continuar lendo

Do Amapá a Carajás: a mesma história

Em janeiro de 1957 o primeiro navio desatracou do porto de Santana, no Amapá, próximo à foz do rio Amazonas, carregando 20 mil toneladas de manganês destinado aos Estados Unidos. Quatro décadas depois da decadência da borracha, da qual foi a maior produtora mundial até 1912, a Amazônia voltava ao mercado internacional com uma nova … Continuar lendo

Arquivo JP (35)

O bom combate pelas eclusas   (Jornal Pessoal 241, agosto de 2000)   O então senador e presidente (por quase meio século) da Federação das Indústrias do Pará, Gabriel Hermes, Filho chegou a ameaçar que se a hidrelétrica de Tucuruí fosse inaugurada sem o restabelecimento da navegação no rio Tocantins, ele se colocaria debaixo da … Continuar lendo

Arquivo JP (27)

Vale e governo: contencioso aberto (Jornal Pessoal 239, julho de 2000)   O Pará é o sétimo maior exportador brasileiro e o segundo pelo critério do saldo de divisas (a diferença entre o que exporta e o que importa). A exportação é a melhor opção à disposição do Estado, ou a que lhe foi imposta … Continuar lendo

Eliezer, o futurista

O engenheiro Eliezer Batista, que morreu ontem, no Rio de Janeiro, aos 94 anos, foi o não residente que por mais vezes esteve no Japão. Fez 178 viagens de avião para Tóquio. Em algumas dessas viagens, fez o longo trajeto de volta, com mais de 20 horas de duração antes da era dos jatos, dois … Continuar lendo

A utopia amazônida

O Dicionário Houaiss, o mais erudito da língua portuguesa, abriga 15 verbetes relativos à Amazônia, de Amazon (o primeiro) a amazonólogo (o último). Nenhum outro dicionário se lhe equipara nesse quesito. É dos raros que registra o vocábulo amazônida, mas relacionando-o à sua origem etimológica e à lenda das amazonas, as imaginárias mulheres guerreiras que … Continuar lendo

A história na chapa quente (2)

Amazônia, já: nosso desafio (Publicado no Jornal Pessoal 350, de agosto de 2005) Qualquer São Tomé escolado recomenda ceticismo diante dos números que as empresas “barrageiras” costumam apresentar quando iniciam – ou sugerem – a construção de uma nova grande hidrelétrica no Brasil. Na Amazônia, a Eletronorte tem merecido essa desconfiança, agravada pelo chamado “fator … Continuar lendo

A corrupção na jungle

O Tribunal de Contas da União, o Ministério Público Federal e, mais recentemente, a Operação Lava-Jato estão apurando as contas da hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu. Definem o preço exato da obra, que já ultrapassou 30 bilhões de reais, eventuais superfaturamentos e desvios para o pagamento de propina a intermediários dos contratos, o … Continuar lendo