//
Arquivos

Grandes Projetos

Esta categoria contém 365 posts

O sumidouro de minério

Quando a Companhia Vale do Rio Doce foi privatizada, em 1997, a ferrovia de Carajás transportava 35 milhões de toneladas de minério de ferro desde a mina, na região central do Pará, 500 quilômetros a sudoeste de Belém, até o porto da Ponta da Madeira, na ilha de São Luís, no Maranhão, por 897 quilômetros. … Continuar lendo

Carajás segundo Vanderlei (3)

Mais ou menos em meados de 1971, quando já estávamos entrando na reta final da pesquisa, começamos a viajar com maior frequência [do Rio de Janeiro] para Belém para começar a preparar o relatório final de pesquisa. No começo de 1972 fui de uma vez para Belém para trabalhar nesse famoso relatório, que levou muito … Continuar lendo

Quem é o bandido?

A quem o ministro do meio ambiente, Ricardo Salles, queria favorecer quando sugeriu ao presidente Jair Bolsonaro aproveitar que as atenções gerais do país, em especial da imprensa, estavam concentradas na epidemia do coronavírus para simplificar a legislação ambiental. Salles adotou uma linguagem tão crua e direta que causou espanto ao ministro da Saúde, Nelson … Continuar lendo

Carajás segundo Vanderlei (2)

Esta é a segunda parte do depoimento de Vanderlei Beisiegel, recentemente falecido, sobre o dia a dia da pesquisa na Serra dos Carajás, onde surgiria a maior província mineral do planeta. Um documento de excepcional valor para uma história mais íntima e personalizada desse período tão importante da história da Amazônia. _______________ A pesquisa em … Continuar lendo

Carajás segundo Vanderlei (1)

Em 2015, Vanderlei Beisiegel prestou um longo depoimento ao Museu da Pessoa, um projeto de memória da Companhia Vale do Rio Doce, sobre a sua atividade de geólogo. Decidi editar a parte mais relacionada a Carajás e reproduzi-la. Não só em homenagem a Vanderlei. Também para que os paraenses saibam melhor sobre a história do … Continuar lendo

A grilagem que dá certo

A Amazônia foi um dos temas de maior importância ao longo dos 21 anos da ditadura militar. O regime induziu a aceleração e a ampliação da ocupação econômica da região, que ainda mantinha poucas ligações com o restante do país, recém-integrada ao país pelas estradas Brasília- Belém e Brasília-Acre, embora ocupasse dois terços do seu … Continuar lendo

O que restou da hidrelétrica para Tucuruí?

A hidrelétrica de Tucuruí, a quarta maior do mundo, já tem 35 anos de funcionamento. Sua origem parece ter-se evaporado pelo caminho. Mas o passar dos anos não ajudou os paraenses a compreendê-la e assumir o seu comando. José Adão Costa, mineiro do vale do Jequitinhonha, 70 anos, acompanha essa história desde o seu início. … Continuar lendo

Propaganda

O Ministério Público do Estado deveria recomendar ao governo suspender toda peça publicitária que não seja de informação ao público, evitando gastar o precioso dinheiro do povo em propaganda política ou promocional. Mais anúncios saíram hoje na imprensa para apregoar as realizações do governo na campanha contra o coronavírus, sem objetivo de orientação às pessoas. … Continuar lendo

A mineradora brasileira das multinacionais

Em 1972, em plena ditadura, a Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia) aprovou o maior projeto da sua história até então. A multinacional canadense Alcan, uma das “seis irmãs” do cartel internacional do alumínio, se dispunha a iniciar a lavra de uma das maiores jazidas de bauxita do mundo, no interior da região, a mil … Continuar lendo

O paraíso virou pesadelo

O rendimento médio mensal real domiciliar per capita (com o qual uma família inteira se mantém) na Amazônia, de 872 reais, foi o menor do Brasil no ano passado, segundo dados da PNAD contínua apresentados hoje pelo IBGE. Foi superado pelo mesmo tipo de rendimento no Nordeste (que era o último), de R$ 884. Ambos … Continuar lendo