//
Arquivos

Multinacionais

Esta categoria contém 57 posts

O grande projeto e os pequenos

A mina de bauxita de Paragominas, localizada a 250 quilômetros de Belém, no Pará, é a terceira maior do mundo. Produz 10 milhões de toneladas anuais. Ao adquiri-la da Vale, em 2013, a norueguesa Norsk Hydro, a terceira maior fornecedora mundial de alumínio do mundo, garantiu para si um século de minério, a matéria prima … Continuar lendo

Bases de lançamento

A Cargill fecha vai mais do que dobrar a capacidade da estação de transbordo de cargas que construiu em Miritituba, distrito paraense de Itaituba, com investimento de 180 milhões de reais. Dos 2 milhões de toneladas atuais, a estação passará para 5 milhões. Por ela, neste ano, deverão passar 1,5 milhão de toneladas de soja … Continuar lendo

A história na chapa quente (339)

Alumina na frente   (Este texto, publicado no Jornal Pessoal 327, de agosto de 2004, registra a penetração da Noruega no polo de alumina e alumínio de Barcarena, que culminaria na absorção pela empresa norueguesa, de todo o setor, até então controlado pela Vale.)   A Alunorte uniu, no final do mês passado, todas as … Continuar lendo

Belo Sun perde de novo

A mineradora canadense Belo Sun publicou no portal de notícias do G1 Pará, do grupo Liberal, uma inédita matéria publicitária sobre o seu projeto para a exploração de ouro em Senador José Porfírio, no sudoeste do Pará. Além da manutenção da suspensão da licença. Saiu ao mesmo tempo em que o Tribunal Regional Federal da … Continuar lendo

A perigosa intolerância

O que aconteceu ontem, durante o encontro científico Veias Abertas do Xingu, vai servir de alerta e demarcador sobre a participação da academia nas conturbadas questões amazônicas, em relação aos quais ela não pode se omitir. A tutela institucional foi violada por um grupo de 30 pessoas, lideradas pelo prefeito de Senador José Porfírio Dirceu … Continuar lendo

A história na chapa quente (338)

Grandezas e misérias da mineração no Pará (Publicado no Jornal Pessoal 327, de agosto de 2004) O Pará começou a primeira década do novo milênio produzindo pouco mais de dois bilhões de dólares em minérios, destinados quase integralmente à exportação. Chegará ao final desta primeira década do século XXI com o produto mineral próximo da … Continuar lendo

O secretário e os portos

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki, que também é secretário do Programa de Parcerias de Investimento, foi a Brasília reclamar recursos para a construção da Fepasa, a ferrovia projetada pelo governo do Estado como novo eixo central de desenvolvimento do Pará. O Repórter 70 de ontem, de O Liberal, registrou o … Continuar lendo

A história na chapa quente (335)

Cristalino: o fim (Publicado no Jornal Pessoal 325, de junho de 2004) Numa mesma semana, a antiga Fazenda Cristalino foi referência – por motivação distinta – no Brasil e na China. Na China, integrantes da comitiva do presidente Lula tentavam acertar um programa de cooperação sino-brasileiro em matéria nuclear. O Brasil entraria com o urânio, … Continuar lendo

Recorde mineral: para quê

O Pará deverá bater em 2017 seu recorde histórico de produção mineral. Só no primeiro semestre deste ano, o valor da produção de minérios atingiu mais de 18 bilhões de reais, 41% superior ao de igual período de 2016. Em todo ano passado, que foi de crescimento em relação ao exercício anterior, o total alcançou … Continuar lendo

Pará também é norueguês

Quatro das cinco maiores empresas com sede no Pará são controladas pela norueguesa Norsk Hydro. A maior delas, segundo o ranking divulgado pelo jornal Valor, de São Paulo, é a Hydro Alunorte, que produz alumina em Barcarena. Em 2015 ela foi a 92ª maior do Brasil, caindo para 96ª no ano passado, com receita líquida … Continuar lendo