//
Arquivos

Multinacionais

Esta categoria contém 364 posts

MRN expande extração de bauxita

A Mineração Rio do Norte vai desenvolver novas minas de produção de bauxita em cinco platôs (Escalante, Rebolado, Jamari, Barone e Cruz Alta Leste), localizados no interior da Floresta Nacional Saracá-Taquera, nos municípios de Faro, Oriximiná e Terra Santa. A empresa requereu ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis a licença … Continuar lendo

Alcoa investigada pelo MP

O promotor de justiça de Juruti em exercício, Nadilson Portilho Gomes, instaurou procedimento administrativo para apurar a responsabilidade criminal e cível referente aos autos de infração lavrados de janeiro a junho de 2022 pela Secretara de Estado de Meio Ambiente contra a Alcoa, que explora a jazida de bauxita no município.

O Círio da Vale

A mineradora Vale sacou mais uma página paga do seu volumoso carnê de numerosos anúncios, com os quais brinda a imprensa paraense, para saudar o Círio de Nazaré em O Liberal (o Diário do Pará deverá vir logo em seguida). O trecho de abertura da peça é primoroso. Imagina incorporar o falar paraense na frase: … Continuar lendo

Amazônia: roteiro da destruição

Este é o terceiro artigo da série que toma como tema para pensar a Amazônia de ontem, que se desconectou historicamente da Amazônia de hoje por um profundo golpe colonial partido de cima e de fora do país. Reproduzo o roteiro seguido por 30 participantes do XVIII Congresso Internacional de Geografia, realizado no Brasil, em … Continuar lendo

MRN recorre

No próximo dia 29, o Tribunal Administrativo de Recursos Fazendários da secretaria da Fazenda do Estado vai julgar seis recursos da Mineração Rio do Norte contra autuações da Sefa. A MRN, uma das maiores mineradoras do setor no mundo, explora as jazidas de bauxita do Trombetas. Na pauta não é informado o motivo da autuação.

A Amazônia que era para ser e não foi

Este é o terceiro artigo da série em que volto à Amazônia do final dos anos 1950, quando houve uma interrupção da sua continuidade histórica e a região ingressou em uma nova etapa, definitiva e irremediável, a partir de uma intervenção externa que mudou completamente a sua configuração. _________________________________ Os 30 participantes do XVIII Congresso … Continuar lendo

A história interrompida

Prossigo a série de artigos, iniciada na semana passada (A paixão amazônica), com os quais espero fazer uma reflexão crítica de um passado ainda recente, mas já considerado irremediável pelos que se apossaram da Amazônia, nacionais ou estrangeiros. ________________________ Em 1956, o Brasil sediou o 18º Congresso Internacional de Geografia. Uma das excursões de campo … Continuar lendo

Hydro: abaixo só da Vale

A multinacional norueguesa Hydro teve receita líquida no ano passado de 19,5 bilhões de reais no Pará e obteve lucro líquido de R$ 2,4 bilhões através da Albras, Alunorte, Hydro Paragominas e parte da Mineração Rio do Norte, com faturamento líquido de R$ 849 milhões e lucro líquido de R$ 247 milhões. É, de longe, … Continuar lendo

Alunorte é a maior

O ranking das maiores empresas elaborado pelo jornal econômico Valor, no qual me baseei para escrever a matéria anterior, tem uma falha: não inclui a Alunorte, a maior produtora de alumina do mundo fora da China, controlada pela norueguesa Hydro. Na verdade, é a maior empresa instalada no Pará. Ela deveria estar na 96ª posição … Continuar lendo

Hemorragia invisível de dinheiro

(Este artigo foi escrito em 1988 e incluído no meu livro Contra o poder, de 2007) Imaginei que provocaria um grande impacto quando saísse – no JP nº 15, de 1988– a matéria mais grave que escrevera até então. Depois de analisar durante três dias o principal balanço empresarial da Amazônia, anunciava: fora de 47,4 … Continuar lendo