//
Arquivos

Multinacionais

Esta categoria contém 122 posts

Pará com matéria prima

A Alcoa, maior produtora mundial de alumínio do mundo, decidiu reduzir em 250 milhões de reais o seu capital social, que era de R$ 6,3 bilhões para pouco mais de R$ 6 bilhões. A empresa adotou a medida por constatar que a conclusão dos seus investimentos recentes no Brasil proporcionou a geração de excesso de … Continuar lendo

Mão única

A multinacional norueguesa Hydro, que possui, em Barcarena, a maior fábrica de alumina do mundo, publicou apenas no Diário do Pará, ontem, duas páginas de “informe publicitário” (matéria jornalística paga), sustentando a segurança da barragem de rejeitos da Alunorte, que teria dado causa a um acidente em fevereiro do ano passado. Nada em O Liberal. … Continuar lendo

Quem deve ser preso?

Desde meados do ano passado, os responsáveis pela gestão da barragem de Brumadinho sabiam que ela não oferecia a segurança atestada pelos laudos técnicos. Não só foram informados do risco iminente de rompimento como da inexistência de um plano de emergência viável para evacuar a área que poderia ser inundada. Na véspera do acidente, os … Continuar lendo

Hydro se excede

A Hydro Alunorte, maior produtora de alumina do mundo, de propriedade de uma multinacional norueguesa, instalada em Barcarena, propôs perante a justiça federal, em Belém, uma queixa-crime contra Marcelo de Oliveira Lima, pesquisador do Instituto Evandro Chagas, órgão vinculado ao Ministério da Saúde, com sede no Pará. A empresa acusa o pesquisador pela prática dos … Continuar lendo

Albrás sem dividendos

A Albrás, a maior indústria de alumínio, instalada em Barcarena, teve um lucro líquido de quase 250 milhões de reais no exercício de 2017. Na época, os acionistas decidiram distribuir entre si metade desse valor (R$ 122 milhões) como dividendos. Em abril do ano passado, porém, eles reconsideraram a decisão, prorrogando o prazo para o … Continuar lendo

A água e a mineração de bauxita

A Mineração Rio do Norte, uma das maiores produtoras de bauxita do mundo, é a 4ª mineradora em número de barragens no Brasil. Já implantou 25 delas, à margem do rio Trombetas, em Oriximiná, no Pará. E deverá construir mais algumas. A mineradora garante que a qualidade da água dos igarapés se mantém adequada. No … Continuar lendo

A questão chinesa

“A China não está comprando no Brasil, ela está comprando o Brasil”, alertou Jair Bolsonaro na semana passada. “Você vai deixar o Brasil na mão do chinês?”, provocou ele, mexendo num vespeiro mantido até então sob aparente harmonia. Enfrentou um tema que a esquerda e sues aliados populistas evitaram tratar, apostando, talvez, numa acomodação natural. … Continuar lendo

Uma usina de dólares

Num único dia de outubro de 1973, os países árabes produtores de petróleo, envolvidos em mais uma guerra com Israel, elevaram o preço do barril de petróleo de três dólares para US$ 5,12. O reajuste, de 70%, provocou o primeiro choque do petróleo. Em março do ano seguinte, o barril já estava em US$ 12 … Continuar lendo

Alunorte: o vácuo

Trago para a capa do blog o comentário, reproduzido a seguir, feito pelo leitor José Miranda, sobre a crise da Alunorte, que suspendeu sem funcionamento alegando que não pode continuar sob o embargo às suas atividades determinada pela justiça, a partir de pedido dos ministérios públicos estadual e federal. As informações fornecidas ajudam a contextualizar … Continuar lendo

Alunorte: o impasse

O Ministério Público Federal e o Ministério Público do Pará divulgaram, hoje, uma nota (reproduzida na íntegra a seguir), a propósito da suspensão do funcionamento da Alunorte e da mina de bauxita de Paragominas. Defendem a justeza da punição da Hydro pela poluição causada em fevereiro, sustentando que ela resultou do despejo clandestino de efluentes … Continuar lendo