//
Arquivos

Violência

Esta categoria contém 241 posts

Quem matou Andreza?

A morte de Andreza Castro de Souza, no dia 13, foi uma execução. Quem a teria praticado? O Partido Comunista do Brasil, ao qual ela se filiou para disputar a eleição do ano passado, sem conseguir o mandato de vereadora em Belém, diz que ela foi mais uma vítima da violência e do extermínio, “seja … Continuar lendo

Violência: entre o medo e a razão

Walter Júnior, que mora em Macapá, atuando há muitos anos na publicidade e no jornalismo, reproduziu no seu blog um dos meus artigos sobre a senhorita Andreza. O texto provocou muitos comentários, elípticos e, às vezes, contundentes. Ao final da leitura, se reforça a certeza de que os paraenses – e os belenenses em particular … Continuar lendo

Andreza, a quase-miss

A senhorita Andreza foi a campeã dos acessos e comentários em toda história deste blog. Não por ter participado do Big Brother nem por possuir um cãozinho de raça, saber fazer quitutes tirados de um livro para gourmet ou por causa de um selfie em Paris. Andreza conseguiu finalmente a grande fama que buscava ao … Continuar lendo

Arquivo morto

Eram oito horas da noite. A “senhorita Andreza” caminhava com uma prima pela avenida Independência, na Cabanagem, bairro limítrofe entre Belém e Ananindeua, com 40 mil habitantes. Uma motocicleta com dois homens, sem capacete nem capuz, se aproximam. Andreza começa a correr, procurando fugir. Está próxima da sua casa, numa das muitas vielas da região … Continuar lendo

Vida breve

Andreza Ariani Castro de Souza se tornou famosa nas redes sociais ao postar um vídeo, que ela mesma gravou em selfie. Com voz e expressões características do mundo do crime, ela convidou quem se interesse por uma festa. Mesmo sugerindo bebida e droga à vontade para quem aceitasse o convite, garantia que não ia haver … Continuar lendo

Morta senhorita Andreza

Andreza Ariani Castro, que ficou conhecida como senhorita Andreza,foi baleada por dois homens, que a perseguiram numa motocicleta. Ela tentou fugir, mas foi alcançada, baleada com cinco tiros na cabeça e nas costas e morreu, agora à noite, no bairro da Cabanagem. A polícia está fazendo o levantamento do local. Ainda não se tem maiores … Continuar lendo

O povo, esse detalhe

Augusto das Chagas Ferreira Júnior tem 33 anos. Não é casado formalmente, mas tem dois filhos – um menino de cinco anos e uma menina de nove – de uma relação estável e duradoura. Mora no Barreiro, um dos bairros pobres de Belém, com fama de ser violento. Augusto está desempregado. Sobrevive como mototaxista. É … Continuar lendo

A história na chapa quente (85)

Arquivamento precipitado (Artigo publicado no Jornal Pessoal 288, de julho de 2002) Quinze anos depois do assassinato do ex-deputado estadual Paulo Fonteles, o caso pode ser remetido para o arquivo morto por estar plenamente elucidado? Aparentemente, sim: o principal personagem conhecido da trama que levou à morte o combativo advogado foi preso, julgado duas vezes … Continuar lendo

O crime com muitas balas

Os criminosos de Belém não estão economizando balas para matar. Em três homicídios praticados ontem, foram 29 balas, quase todas de uma arma de grosso calibre (pistola ponto 40). Nove desses tiros, em dois casos, foram dados na cabeça das vítimas. Todos os assassinatos foram execuções sumárias. Os mortos tinham passado de envolvimento com o … Continuar lendo

Violência: protesto e silêncio

Na sua rotina de sensacionalismo, aproveitando-se do noticiário policial para manter ou conquistar leitores, o Diário do Pará ocupou dois espaços da sua capa com as fotos de mais duas vítimas da assustadora violência cotidiana em Belém. Numa, o corpo do soldado Moisés Jesus, mais uma vítima da Polícia Militar, morto pela manhã durante um … Continuar lendo