//
Arquivos

Cultura

Esta categoria contém 381 posts

Ai de ti, Belém

A filha de um amigo, que mora no Rio de Janeiro, depois de passar muitos anos em Belém, enviou-lhe de Portugal, onde mora, um texto produzido por aqui, escandalizada pelo que leu. Devemos nos escandalizar mais ainda. Parece que o choque causado por mais essa selvageria na nossa cidade repercute mais fora do que dentro. … Continuar lendo

Contra a dissonância

Reproduzo para os leitores deste blog o trecho final da resenha que Ladislau Dowbor, economista e professor da PUC de São Paulo, fez no seu blog do livro de Barbara W. Tuchman, The March of Folly: from Troy to Vietnam (Random House, New York, 2014, 470 páginas), que pode ter amplo uso por lados convergentes … Continuar lendo

Tempo de perseguições e altivez

(Publicado no Jornal Pessoal 651, de março de 2018) Ao morrer, em janeiro deste ano, às vésperas de completar 87 anos, Carlos Heitor Cony era um dos escritores brasileiros mais produtivos de todos os tempos. Sua obra inclui acima de duas centenas de títulos. É o que computa a sua bibliografia, preparada pela Academia Brasileira … Continuar lendo

Uma diva se foi

Comecei a formar meu gosto musical no momento em que a música popular transitava no Brasil do bolero para o samba-canção, entre os anos 1950/60. Uma das cantoras que mais representou essa época foi Ângela Maria, que morreu no sábado, 29, em São Paulo, aos 89 anos. O naipe de mulheres com grande potência vocal … Continuar lendo

Arquivo JP (48)

Belém: da saudade ao tempo presente   (Jornal Pessoal 244, de outubro de 2000) Belém da Saudade, um álbum que mostra a Belém do início do século em cartões-postais da época, custa 100 reais e só circula entre a elite. Não é sem razão: tem que custar caro mesmo, tal a qualidade da impressão e … Continuar lendo

A destruição e o silêncio

Depois de dar o primeiro combate ao fogo, um único servidor municipal, que cumpria o seu expediente esse dia, 9 de março do ano passado, chamou os bombeiros para uma ação qualificada para deter o incêndio que irrompeu no circuito elétrico do palácio Antônio Lemos, sede da prefeitura e do museu de arte de Belém. … Continuar lendo

Pavese não morreu

Neste último dia 9 transcorreu o centenário do nascimento de Cesare Pavese. Sob silêncio quase absoluto. Parece que foi esquecido. Seu último livro traduzido para o português que li foi O Ofício de Viver, de 1988, o que mais me impressionou. Tinta anos depois, jamais foi reeditado. Nem pela Bertrand, responsável pela edição única. Ela vale de … Continuar lendo

Arquivo JP (44)

Orquídeas da Amazônia (JP 243, setembro de 2000)   Escrevi o texto abaixo para apresentar o CD Olá, Belém. Cantos do Portal da Amazônia, produzido por Carlos Lima e lançado no início do mês em Belém. Todas as cidades do mundo são diferentes umas das outras. Mas poucas são únicas. Paris é uma delas: toda … Continuar lendo

A paz de Francis

Ruy Castro, o maior contador de histórias da imprensa brasileira e dos mais agradáveis biógrafos do país, dedica a sua crônica de hoje na Folha de S. Paulo (reproduzida pelo Diário do Pará) aos 88 anos que Paulo Francis teria feito, no dia 2. Ele morreu em Nova York, onde morava, em 1997, aos 66 … Continuar lendo

Os incendiários ocultos

Depois que a casa, mais do que arrombada, pegou fogo, o governo federal resolveu destinar 15 milhões de reais ao Museu Nacional, no Rio de Janeiro. Não para restaurar o palácio da Quinta da Boa Vista ou recompor uma fração dos 1,6 milhão de itens do acervo da instituição que foram destruídos, a maioria irremediavelmente. … Continuar lendo