//
Arquivos

Cultura

Esta categoria contém 949 posts

Onde fica o Boto?

Em julho deste ano, o Namazônia (Centro de Estudos para Desenvolvimento de Tecnologias para a Amazônia) foi declarado de utilidade pública por ato do governador Helder Barbalho, a partir de projeto de lei apresentado pela deputada estadual Marinor Brito, do PSOL. Com o diploma, a tal entidade se habilitou para receber incentivos de qualquer natureza. … Continuar lendo

A farra do cachê: R$ 50 milhões

A farra dos cachês continua, conforme prova o blog Olho de Lince, que continua a acompanhar o desperdício (ou desvio) de verba pública para os amigos da casa. ________________________ A farra na Fundação Cultural do Pará continua a todo vapor. Só neste ano já foram gastos mais de R$ 50.000.000,00 (Cinquenta milhões de reais!) com … Continuar lendo

Çairé tecnológico

O Banco do Estado do Pará doou 200 mil reais para que o Namazônia (Centro de Estudos para Desenvolvimento de Tecnologias para a Amazônia) realize o “Auto do Boto – Çairé 2021”, que será realizado em 14 de novembro, em Alter do Chão, Santarém. A tal instituição foi declarada de utilidade pública por ato do … Continuar lendo

Um debate justo, não uma justa

Para contextualizar o artigo de Marilene Felinto, que reproduzi, publico os artigos dos autores que ela citou e criticou tão asperamente, sem dar-lhes os nomes. Assim, espero que o debate, se houver, não continue a ser uma batalha de impropérios, mas uma controvérsia bem fundamentada ________ Luxo e riqueza das ‘sinhás pretas’ precisam inspirar o … Continuar lendo

Menções

Segundo o portal Academia, com sede em São Francisco, na Califórnia (Estados Unidos), que cadastra a produção acadêmica mundial, 3.158 artigos mencionam textos meus, registrados como Lúcio Flávio Pinto. Ao fazer suas buscas de menções a duas variantes (Lúcio Pinto e Pinto, Lúcio), os pesquisadores encontraram 22 milhões de artigos, livros, rascunhos, teses e programas … Continuar lendo

R$ 1 milhão em livros

A Fundação Cultural do Pará vai comprar um milhão de reais (R$ 999.975,00) em livros da R.A. Palmieri Livraria Amazônica, ao longo dos próximos 12 meses. O extrato do contrato, publicado hoje no Diário Oficial, não informa quantos exemplares estão incluídos na conta ou quais os títulos dos livros.

Livros para quem lê

Quem vai a uma feira de livro por gostar realmente de ler tem dois objetivos fundamentais. O primeiro é encontrar livros que raramente chegam à rede de lojas locais, por serem de editoras alternativas e artesanais, ou por não estarem na categoria de best-sellers, autoajuda, esotéricos ou religiosos. O segundo objetivo é comprar com descontos. … Continuar lendo

O poeta da mesopotâmia do sol

Em 1971 eu editava um caderno de cultura e escrevia uma coluna diária (Quark) em A Província do Pará. No meio da correspondência, recebi um texto que retratava fielmente Marabá, muito bem escrito. Publiquei-o com o título certeiro: “Marabá, terra mesopotâmica do sol”. No mesmo dia da publicação, apareceu na redação o autor. Era um … Continuar lendo

As 15 mais

Felizmente, as 15 músicas brasileiras mais gravadas até hoje são de alto – ou altíssimo – nível de qualidade, garantindo a perenidade da criação musical de um dos países de maior expressão no mundo. Com uma surpresa: a Aquarela do Brasil, de Ary Barroso, voltou ao topo do ranking, superando a Garota de Ipanema, de … Continuar lendo

Memória – Os filmes de 1968

Estes foram os melhores filmes exibidos no Rio de Janeiro em 1968 (o ano que o AI-5 liquidou antes que se encerrasse), segundo os críticos do jornal Correio da Manhã: ].° – 2001: Uma Odisseia no Espaço, de Stanley Kubrick, com 70 pontos 2.° – Quando Duas Mulheres Pecam, de Ingmar Bergman, 60 pontos 3.° … Continuar lendo