//
Arquivos

Cultura

Esta categoria contém 1150 posts

Sangradouro e sumidouro

Quanto custaria ao Estado apoiar a maltratada atividade dos produtores de juta que ainda se mantêm nesse cultivo, minorado o seu trabalho e valorizando a sua produção: Certamente, bem menos do que os 2,3 milhões de reais que sairão dos cofres públicos para as contas de cantores e grupos musicais (e suas origens e extensões), … Continuar lendo

Passo de tartaruga

Em 2014, Anastácio Trindade Campos requereu ao Ministério Público que acionasse a Secretaria de Estado e de Cultura e a Fundação Cultural do Município de Belém, através de inquérito civil, “com a finalidade de apurar o estado de má conservação e abandono do imóvel conhecido como Palacete Faciola, localizado na Av. Nazaré, N° 166, em … Continuar lendo

No Pará, “cultura” é gazua de “rachadinha”

Em duas edições do Diário Oficial do Estado, de ontem e de hoje, a Fundação Cultural do Pará homologou a inexigibilidade de licitação para a assinatura de 29 contratos de pagamento de 3 milhões de reais, na forma de cachês artísticos a cantores e grupos musicais desconhecidos ou sem prova de notoriedade pública ou qualidade … Continuar lendo

A história, a curiosidade e a paixão

(Texto de 2008) Existe livro simples e fácil de ler sem sacrificar seu conteúdo, sem caricaturar o tema? Existe – e um dos maiores exemplos é a História da Revolução Francesa, de François Mignet. Foi com ele que deparei aos nove anos, vasculhando a biblioteca da minha tia, Erotildes Pinto Frota Aguiar. Ela era diretora do … Continuar lendo

Os 7 livros do poeta Paulo Vieira

VieiraNemBeira – poemas escolhidos pelo autor (Ed. Amo) é uma seleção em sete livros de Paulo Vieira, feita pelo próprio autor, que estreou na poesia em 2004 e vem mantendo tanto intensidade quanto fertilidade e qualidade criativas. O novo livro é uma expressão dessa obra, a ser lançada no dia 25, às 19 horas, no Bar Café … Continuar lendo

O monumento do barão

(Texto de 2008) Antônio Olinto tinha uma coluna sobre livros em O Globo, que se chamava ‘À Porta da Livraria’. Stanislaw Ponte Preta, que não o tinha em boa conta, certo dia lhe deu um conselho: por que o distinto colunista não entrava de uma vez na droga da livraria, comprava o diabo do livro e … Continuar lendo

O Clube da Esquina

Não há nada igual ao Clube da Esquina na música brasileira. É – mas não é – um conjunto, uma banda. Não é também apenas um grupo de compositores e instrumentistas como o dos baianos, gravitando em torno do tropicalismo. É uma associação livre de amigos, que se mantêm unidos e sob uma identidade tanto … Continuar lendo

Jornalista escritor (e vice-versa)

Algumas palavras para o autor de tantas (Texto de 2007) Comecei no jornalismo profissional em 1966. Foi nesse ano que Truman Capote lançou A Sangue Frio, uma reportagem sobre fato real escrita em linguagem literária, sem submissão às regras do jornalismo, para caber num livro de bom tamanho. Esses ingredientes compõem uma salada ou miscelânea batizada … Continuar lendo

Sem-energia

Publicado há três dias, o artigo Chega!, do teatrólogo, ator e diretor teatral paraense Paulo Faria, que vive há muitos anos em São Paulo, mas mantém sua ligação com o Pará, teve 136 visualizações, mas nenhum comentário. Os artistas paraenses já foram mais ativos.

Boiada

A boiada dos cachês artísticos continua a fluir pela porteira da Fundação Cultural do Pará, arrastando no seu tropel milhares de reais arrancados do arrombado tesouro estadual, para servir a negociatas políticas e de outros fins. E ninguém ouve o barulho dos cascos. A doentia sociedade paraense não vê, não ouve, não fala.